Amar o bonito é fácil

Começo pela famosa expressão: “Prometo amar-te na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, todos os dia da minha vida”. Quando uma pessoa fala essa frase para outra pessoa, ela está, sem dúvida nenhuma, assumindo o maior compromisso de toda a sua vida. Além de amar também o feio, ela se compromete em amar para sempre.

É fácil amar o bonito, amar na viagem para a praia paradisíaca, no jantar à luz de velas. Amar o outro bem vestido, com dinheiro sobrando no banco, nas festas, no início do romance, no flerte, no jantar comemorando a promoção ou a compra do apartamento. Mas isso não convence o nosso coração. O coração que só ama o bonito não passou pela maior prova do amor. Amar o feio.

Essa não é uma tarefa fácil. O amor afinal é uma coisa boa e por isso, não deveria estar relacionado com o feio. Pois para mim, é aí que o amor vive. O amor que sobrevive ao feio e ao difícil, se torna o verdadeiro amor, com suas doçuras e amarguras.

No amor se compartilha a parte boa e a ruim. Ele nos impulsiona, faz a gente se doar verdadeiramente para o outro, a segurar a mão, a compartilhar a dor, a ter paciência para esperar a tempestade passar. O amor se fortalece no tempo. E a cada fase feia superada, mais bonito o coração fica e mais espaço ele encontra para fazer crescer o amor.

Amor de verdade é aquele em que amamos as pessoas quando elas menos merecem, porque é quando elas mais precisam. Quando amamos o todo, sem separar defeitos de qualidades. Quando amamos sem dinheiro. Nas noite de choro ininterrupto do filhos. Depois do acidente ou na doença. Amor é sentir que é realmente difícil viver sem o outro, não importando a condição. É querer ver o outro feliz e ser feliz ao lado do outro. É ter sempre um abraço para oferecer e andar de mãos dadas.

O amor não se explica. É um conjunto de sensações, dúvidas e certezas. É muito diferente de uma pessoa para a outra. Ele faz a vida e o mundo melhores. E certamente, mesmo nas suas diferenças, o amor só é amor quando sobrevive ao feio e assim se torna ainda mais forte.

É enorme a recompensa de quem segue amando depois que a tempestade passou.

No amor encontramos carinho, o prazer, o riso solto, apoio, compromisso. Certa vez, eu estava muito infeliz no trabalho, mas precisava muito do dinheiro. Queria mudar a minha carreira radicalmente aos 30 anos e tive uma das maiores provas de amor. Meu marido me apoiou e disse para eu pedir demissão, investir nessa mudança arriscada, e que juntos daríamos um jeito. Esta aí! Amar é sempre darmos um jeito.

“Um amor e uma cabana” ou “a sorte de um amor tranquilo com sabor de fruta mordida” são os nossos maiores desejos de amor. E são conquistados somente se o amor for de verdade. Aquele que sobrevive às tempestades. Só o amor sobrevivente traz cumplicidade, compreensão, gratidão, respeito e reconhecimento. Sentimentos que só o feio e o tempo são capazes de trazer e que fazem o amor desejado realmente possível. Não se engane pensando que o amor tranquilo com sabor de fruta mordida se conquista só com a sorte.

Como disse Mario Quintana, “amor é síntese, é uma integração de dados, não há que tirar nem pôr. Não corte o outro em fatias, ninguém consegue abraçar um pedaço. Envolva o outro todo em seus braços e ele será perfeito.” Isso é amor.

Com amor.

Coração

image

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *