Eu não sei você, mas eu tenho um armário de sonhos.

É um armário onde eu guardo tudo referente aos sonhos da minha vida.

Ele é dividido em 4 prateleiras.

A primeira de cima pra baixo…a mais alta, é onde eu guardo os SONHOS IMPOSSÍVEIS. Fica no alto e por isso são sonhos pouco usados. É como aquele objeto precisoso e cheio de memórias que não utilizados no dia a dia e por isso guardamos lá no alto, nos lugares inacessíveis do armário. SONHOS IMPOSSÍVEIS. Aqueles que vêm sempre acompanhados da frase “se eu ganhar na mega sena vou morar em Paris no Triangle d’or em um apartamento de 8 janelas (acredite 8 janelas no Triangle d’or é muito luxo) sem ter que trabalhar, só desfrutando a vida, indo aos museus, comprando livros, roupas de grife. Vou andar de chapéu e passar tardes de ócio tomando café em alguma boulangerie muito chique.

A segunda prateleira é a mais complicada! É a prateleira dos SONHOS POSSÍVEIS. Aquela prateleira que você tem que ficar na pontinha do pé pra alcançar, chega até a doer as costas. Um pouquinho de esforço… E pronto! Conseguiu pegar o sonho.
SONHOS POSSÍVEIS são aqueles que dependem de esforço, dedicação, foco e determinação. Eles são difíceis, mas são possíveis, só dependem de você!
Morar 2 meses, de agosto a setembro, no Cipriani em Veneza. Ou então aquele cruzeiro pelo Nilo visitando todos os templos e monumentos do alto e baixo Egito. Alugar uma casa em praia paradisíaca, por 3 meses, com uma mesa em frente à uma grande janela com vista para o mar para escrever um romance.
É possível, porém é difícil. Mas se eu economizar, aceitar mais trabalhos, talvez mais 2 serviços, se eu virar essa noite trabalhando e algumas outras eu consiga! Aqui tambem cabe o sonho de se dar o tempo e fazer uma viagem de volta ao mundo. Essa prateleira acaba te enlouquecendo porque ela é acessível mas é difícil de alcançar. E ela te cobra. Uma despesa impulsiva te faz pensar que está renunciando ao seu grande sonho possível e que realizar só depende de você.

A terceira prateleira, fica na altura dos olhos. É a prateleira dos SONHOS COTIDIANOS OU PEQUENOS SONHOS. Essa prateleira é muito bagunçada! Entra sonho, sai sonho! É um sofá novo misturado com uma calça nova, emagrecer 5 kg, fazer 2 sessões de laser de luz pulsada, conhecer o Tahiti, Paris, Capadocia, Grecia…Um caos. Obrigatoriamente é preciso que arrumar essa prateleira toda semana, para evitar se perder. Ou colocar os seus sonhos acima das outras pessoas. Aqui é preciso manter a diciplina e estabelecer prioridades fazendo escolhas e renuncias, sempre que necessárias.

A quarta e última prateleira é a mais perigosa de todas! Ela fica bem embaixo, onde o olho não alcança, é difícil de limpar, precisa colar o rosto no chão para conseguir olha-la, como procurar coisas embaixo da cama. Essa é a prateleira dos SONHOS JUVENIS.
SONHOS JUVENIS são todas aquelas certezas que você tinha quando era jovem, que se não forem limpos e reciclados eles azedam, apodrecem com tempo, deixam tudo tóxico. Achar que aos quarenta anos você não vai ter patrão e que vai estar tranqüilo!
Achar que você vai encontrar o grande amor da sua vida e que todo dia ele vai te acordar com um beijo, um sorriso e falar que você é lindo enquanto dorme.

Cara….. Esquece!!!! Não fica com esses sonhos parados…recicla isso tudo.

Agradeça se aos 40 estiver trabalhando em alguma coisa ou lugar que te valorize. E de graças aos céus se tiver alguém pra puxar a coberta e te descobrir durante a noite! O beijo com elogios em todas as manhãs troque pela acolhida certa diante de um momento de crise! E o sorriso…nem é bom comentar sobre o sorriso. Você vai aprender a valorizar muitas outras coisas na sua relação.

Então, mãos à obra! Limpe o armário, organize os SONHOS, mude sonhos de prateleira, se for preciso, porque o impossível para os outros pode não ser impossível para você. Esqueça padrões e ignore a fala que pode vir de outros ou de você mesmo sobre o impossível. Livre-se dos sonhos juvenis. Não lamente. Seja grato. E nunca se esqueça: Melhor a realidade tangível do que um sonho que envenena a alma. Melhor sonhar com o impossível do que não sonhar. A melhor parte do sonho é a realização dele e só realiza sonhos quem tem capacidade de sonhar.

Este texto foi escrito pelo Jone Valeri, com algumas pequenas adaptações feitas por mim para o blog. Publicado com a autorização dele. Porque como o Jone, eu também tenho um armário de sonhos.

Processed with MOLDIV

 

 

Armário de Sonhos

Sabrina Almeida


Eu sou a Sabrina, mãe do Gabriel de 17 anos e do Guilherme e do Rafael de quase 8 meses, mulher do Alessandro. Para me apresentar, vou descrever as coisas que mais me fazem feliz, porque para mim, essa é a principal maneira de conhecer uma pessoa. E felicidade é o principal assunto desse blog. Ver o sorriso dos meus filhos no final do dia é o que mais me faz feliz. Não importa o quão difícil tenha sido o dia, os sorrisos dos meus filhos me fazem entender o que realmente importa e todas as angústias que ocupavam meu coração, de repente se evaporam e perdem completamente a importância. Olhar meu marido cuidando dos meus filhos e sentir que ele me ama com o melhor e o pior de mim, me faz feliz. Acalma meu coração, que antes era cheio de perguntas sobre ter realmente encontrado o amor e a pessoa certa. Ver meu marido amando os nossos filhos me dá a plena certeza de que tudo vai dar certo. De que nunca estarei sozinha. Que terei alguém ao meu lado para dividir o lado bom e o ruim da vida. Amar o que eu faço me faz muito feliz. Desde muito pequena eu sabia o que queria ser quando crescesse. Eu queria fazer coisas bonitas para as pessoas! Hoje eu trabalho todos os dias para fazer coisas bonitas para as pessoas. Ter minha mãe me apoiando no cuidado com os meus filhos me faz feliz. Ela faz as papinhas com a maior dedicação do mundo, dá dicas e conselhos preciosos, ajuda nas tarefas repetitivas e exaustivas do dia a dia. Ela dedica seu tempo mais precioso para mim e para minha família. Ter fé me faz feliz. Enxergar Deus nas coisas que são vivas, ver poesia no dia a dia, me sentir abençoada e protegida. Ter certeza de que tudo tem um propósito. Ter mais para agradecer do que para pedir. Ter muito o que celebrar. Ter a certeza de que tem algo, com uma força inimaginável, cuidando de mim e da minha família, me faz incrivelmente feliz. Tem muitos pequenos prazeres, pequenos luxos, muitos momentos de rir de perder o fôlego, que ajudam a complementar essa sensação de felicidade. Felicidade, que para mim, está nas coisas simples da vida. Ainda bem que descobri cedo, que é simples ser feliz e que para isso é preciso uma boa dose de coragem, de sorte e de dedicação. Quando eu decidi escrever, uma pessoa me perguntou: "quem te garante que as pessoas vão se interessar pelo que você escreve?" E a minha resposta é como vou concluir esse post de apresentação. Vou escrever para tentar ajudar as pessoas a ver diferentes perspectivas, rir no meio de um dia difícil ou enxergar poesia no dia a dia. E se eu conseguir tocar o coração de pelo menos uma única pessoa, já terá valido à pena.


Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *