Capítulo 06 – Tem algo diferente acontecendo

Ana não entendia muito bem se sonhava ou se pensava tendo flashes da noite apaixonada que tinha tido, quando seu celular tocou a despertando.

Ela se assustou porque ainda eram 6h30 de um sábado.

O número era desconhecido. Ela pensou em não atender, mas acabou atendendo:

– Alô. Disse ela simplesmente.

– Oi Ana, tudo bem?

– Sim. Quem é?

– Já se esqueceu de mim?

“Meu Deus o Michel!” Pensou ela.

– Oi Michel. Não me esqueci de você. Só estou acordando ainda.

– Então fico feliz. Me desculpe te ligar tão cedo. Mas tenho um voo agora e acho que esqueci minha carteira no seu carro. Preciso muito pega-la. Desculpe mais uma vez.

– Claro. Sem problemas. Você está vindo agora?

– Estou no taxi a caminho do aeroporto. Me passa o endereço e desvio para passar aí.

– Te passo o endereço por mensagem.

– Perfeito. Até já.

– Até já.

Ana enviou o endereço como combinado e se apressou em levantar, trocar a roupa e escovar os dentes. Não havia muito tempo para grandes produções então desceu usando sua roupa de corrida e nenhuma maquiagem porque ia aproveitar sair mais cedo para sua corrida, aproveitando que já tinha acordado. Enquanto ela esperava pela chegada de Michel pensava sobre como seria encontra-lo pessoalmente, fora do escritório, depois da noite de sexo e beijos que tiveram.

Em poucos minutos, mal Ana conseguia organizar seus pensamentos, e Michel chegou a fazendo sentir uma eletricidade percorrer seu corpo quando colocou os olhos nele.

– Bom dia! Disse ele animado e extremamente charmoso. Dando um beijo no rosto dela. – Espero que tenha dormido bem.

– Bom dia… Respondeu sem jeito. Dormi muito bem! Respondeu Ana parecendo mais empolgada do que gostaria.

– Me desculpe pelo transtorno que tenho causado. Desviei seu caminho ontem e te tirei cedo da cama em pleno sábado.

– Não tem nenhum problema. E gosto de correr bem cedo e corro todos os sábados. Então estou acostumada.

– Fico menos culpado então.

– Fico feliz que não tenha te deixado culpado. Disse sem graça entregando a carteira a ele. – Sua carteira.

– Obrigado. Disse ele. – Eu nunca tinha esquecido minha carteira em lugar nenhum. Acho que você causa um efeito de distração em mim. E foi assim desde que te vi pela primeira vez na revista.

Ana corou. Não sabia o que responder para ele.

“E você me fez perder a virgindade na primeira noite que saímos juntos.” Pensava ela e achava graça se controlando para não dizer toda a verdade para ele.

– Espero que eu não te coloque em perigo. Disse ela.

– Você é um perigo, menina! Agora preciso ir ou vou acabar perdendo meu voo.

– Melhor se apressar então. Não quero causar mais transtornos. Respondeu Ana sem graça.

– Você tem razão! Bom final de semana para você. Disse ele dando-lhe mais um beijo no rosto e entrando no taxi.

– Boa viagem! Disse ela.

Ele jogou beijos no ar para ela enquanto o carro começava a se movimentar.

Ela sentia que voltava a respirar depois de minutos segurando o ar. Ficou paralisada por alguns segundos tentando entender o que sentia e quando o coração voltou a bater no ritmo normal ela começou a correr.

O dia estava prometendo ser muito quente, era o final de um dos verões mais quentes da história. Ela não sabia exatamente se era o sol ou sangue dela que faziam ela sentir o seu corpo ferver.

Ela finalmente começava a relaxar com a corrida quando seus pensamentos foram tomados por Michel e as últimas horas. “O que posso pensar de tudo isso? Sexo totalmente sem compromisso? Beijo no rosto sinalizando que ontem foi ontem e hoje é hoje, um novo dia? Eu fui mais uma da lista dele? Será que ele tem uma meta de mulheres para transar? Por que fui me encantar por um Dom Juan? …Você é um perigo menina!” E a última frase dele se apresentou em seus devaneios mostrando que por mais que o cenário fosse claro em relação ao que pareciam ser as intenções dele, ela romantizava o suficiente para achar que ele estava alimentando o ego dela.

Em alguns minutos de corrida toda aquela confusão e sentimentos tinha se dissapado e ela relaxava ao som de sua playlist favorita. Os pensamentos conturbados em relação a Michel davam lugar à Hungria e ela se sentia feliz em saber que em 4 meses ela viveria a grande aventura com que tanto sonhara toda a sua vida. Porém a ficha de que tinha transado pela primeira vez caia e o choque pela perda da virgindade acabava voltando a tomar conta de seus pensamentos. Naquela manhã nem a Hungria estava sendo suficiente para acalmar os pensamentos dela. Ela tinha enfim tinha perdido a virgindade e não tinha sido nada especial como ela sempre achou que seria.

A corrida acabou durando mais tempo do que o normal e ela parou no seu ponto de sempre, para tomar seu açaí de sempre.

– Bom dia! Disse Ana de maneira gentil.

– Bom dia Dona Ana! Como foi a corrida hoje? Perguntou João, o balconista que sempre a atendia aos sábados.

– Foi muito boa!

– Parece ter sido! A senhora está muito bonita. Com todo respeito Dona Ana. Disse João.

– Obrigada João! E pare com esse “Senhora”. Tenho 21 anos e já somos conhecidos de longa data.

– Isso é verdade! São muitos anos. Me lembro de você no colo da sua mãe aqui. Você devia ter uns 3 anos. Meu Deus como o tempo passa.

– Passa mesmo João. E esse lugar me traz lembranças felizes da minha infância. Me lembro de como era rustico e aconchegante antes da grande reforma que fizeram e dos sonhos super recheados que meu pai levava para casa dia sim e no outro também.

– E como anda o seu pai? Nunca mais vi o seu Leandro.

– Ele não mora mais em São Paulo. Falo pouco com ele. Se casou de novo e vive no Rio Grande do Sul. Mas está muito bem.

– Preciso ir atender outras mesas Dona Ana, porque o movimento começa a aumentar agora. Obrigada pela prosa e me chame de precisar de algo.

– Claro! Vá atender seus clientes. Estou bem aqui. “Estou ótima aliás.” Pensou Ana trazendo algo que vinha do seu coração. Ela estava realmente ótima depois de tudo.

Ana ficou ali sozinha com seu açaí e mesmo que evitasse, seus pensamentos foram novamente para a noite anterior. Ela tinha feito sexo pela primeira vez na vida e isso a fazia morrer de vergonha, por outro lado tinha se divertido e pensava no quanto Lara estava certa ao racionalizar menos tudo e aproveitar mais. Ana se convencia de que não queria romance. Tinha começado de fato a olhar de maneira diferente para Michel há poucos dias, mas tinha algo nele que a fazia querer mais. Querer mais do que deveria. Querer mais do que seu próprio coração poderia aguentar. E ao contrário de tudo que a razão dizia, seu coração pedia por mais, seu corpo pedia por mais. Pensava sobre onde ele estaria naquele momento. Que viagem era aquela que fez e não deu nenhum tipo de explicação – afinal ele não precisava mesmo dar nenhuma explicação. Ela desejava uma ligação dele. Olhava para o seu celular na esperança de que ele tocasse novamente, marcando um próximo encontro ou dizendo apenas algo como “Hey, tudo bem? Só liguei para saber se está tudo bem”. Ela evitava aceitar, mas estava apaixonada, mesmo sendo totalmente irracional. E essa era a primeira irracionalidade na sua vida amorosa e ela não tinha a menor ideia sobre como lidar com isso. E seus devaneios de amor foram interrompidos pelo celular tocando.

– Oi Lara! Atendeu Ana tentando parecer mais animada do que realmente estava.

– Oi Ana! Tudo bem? Já correu? Está comendo seu açaí?

E nesse momento Ana se sentiu completamente acolhida. Poucas pessoas no mundo a faziam sentir-se tão bem quanto Lara. Sua melhor amiga sabia exatamente tudo que passava em seu coração. Sua melhor amiga sabia tudo sobre ela.

– Como você sabe de tudo! Sim! Já terminei minha corrida e estou comendo o meu Açaí. Tudo certo para hoje noite? E aproveitando… Parabéns melhor amiga! Feliz aniversário. Não quis te ligar para não correr o risco de te acordar.

– Obrigada Ana! Estou tão empolgada! Queria tanto fazer 22 anos. E acho que a noite hoje será maravilhosa. Queria te pedir para almoçar comigo. Quero comprar um vestido para a festa de hoje à noite e preciso da usa ajuda. Você é maior fashionista que conheço.

– Claro Lara! Será incrível passar o dia com você.

– Passo na sua casa para te pegar às 13h. Pode ser?

– Pode! Combinado.

– Vou para o cabeleireiro retocar minhas luzes.

– Mande muitos beijos para o Rodrigo e diga para ele que vou marcar em breve meu corte de cabelo.

– Por que não aproveita e vem comigo? Podemos passar a manhã no cabeleireiro e depois vamos almoçar.

– Quer saber, boa ideia! Vou com você e vou mudar completamente o meu visual.

– Eba! Não é à toa que te escolhi como melhor amiga. Posso te pegar em casa em uma hora e vamos juntas?

– Pode! Estou indo para casa tomar um banho. Até já.

– Até Ana! Estou histéricaaaaa de tão animada. Beijos

– Beijos Lara!

Ana desligou o telefone sorrindo. Poucas pessoas tinham tanta influência positiva sobre ela como Lara. Ela pensava sobre como contaria toda história com Michel, que nunca tinha sido citado antes, e se sentia aliviada ao ficar tão ocupada o dia todo, o que a faria esquecer o desejo pela ligação de Michel, que racionalmente não fazia o menor sentido.

…“Afinal por que mesmo ele me ligaria?” Concluía ela em seus pensamentos, enquanto se apressava em correr para casa para estar pronta quando Lara chegasse.

Lara ligou anunciando sua chegada e pediu para Ana levar suas roupas para que fossem direto para a festa. Ana já tinha pensado nisso e esperava pela amiga pronta e com a mala feita, pontualmente no horário em que combinaram.

– Oi Ana! Que bom que deu certo passarmos o dia juntas. Disse Lara ainda animada.

– Você é minha melhor amiga e hoje é seu aniversário. Sou toda sua! Respondeu Ana. – Aliás… Feliz aniversário cabeça. Disse Ana entregando um pequeno embrulho para a amiga.

– Obrigada! Presente! Eba! Respondeu histérica, começando a desmanchar o laço. Ela seguia concentrada para descobrir o que era e vibrou ao ver uma pulseira com um pingente de coração e um cartão que dizia: “Que seu coração seja grande o suficiente para caber todo amor e felicidade que você merece. Ah e que sempre tenha espaço para a sua melhor amiga. XO Ana” – Você é muito maravilhosa mesmo! Amei! Obrigada Cabeça. Disse Lara enxugando uma lágrima que escorria em rosto.

– Você que é.

Lara se apressou em colocar sua nova pulseira e seguiu em direção ao cabeleireiro.

– O que quer ouvir? Perguntou Lara.

– Me surpreenda. Brincou Ana.

E Lara colocou Cold Play para tocar.

– Me mata um curiosidade. Pediu Ana.

– Qual?

– O Caique estará na festa hoje?

– Sim.

– E vocês estão oficialmente juntos? Será seu primeiro aniversário ao lado de alguém?

– Ai Cabeça. Assim parece mais sério do que é de fato. Sim! Estaremos juntos. Mas não tem nada de oficial. Estamos curtindo.

– Entendi. Que legal! Gosto do Caíque.

– Para ser sincera, nem sei como tudo vai acontecer hoje.

– Let it be, cabeça! Tudo vai dar certo. E afinal, para tudo sempre tem uma primeira vez. Disse Ana corando ao se lembrar que tinha feito sexo pela primeira vez, tentando dar um jeito de contar para a amiga.

– Você tem razão. E por falar em primeira vez… E você cabeça? Precisa começar a experimentar as coisas boas da vida. O Caíque tem um monte de amigos gatos e eles estarão lá hoje. Hoje você vai se dar bem.

Ana não podia esperar melhor oportunidade para contar e foi logo falando.

– Eu comecei a experimentar as coisas boas da vida ontem!

– O queeeeeeeeee? Lara gritou enfiando o pé do freio do carro. – Você transou ontem?

– Sim!

– Com quem, “peloamordedeus”? Não tinha ideia que tinha alguém no circuito. Você não me falou nada. Intimou Lara.

– Não tinha ninguém. Mas aconteceu. Rápido. De repente. E foi maravilhoso!

– Me contaaaaaaaaa. Tudoooooo. Meu Deus! Não acredito que finalmente aconteceu. Gritava Lara ainda mais alto.

– Foi com o novo editor da revista. Ele chegou há pouco tempo. Não tínhamos tido nenhum contato até essa semana. Ele escolheu uma ideia minha para ser matéria de capa da revista.

– Pera aí! Você será capa da National Geographic? E transou com o seu chefe???? MEUDEUS! Você é incrível.

– Não fala bobagem Lara… Bom e aí depois dessa primeira reunião tivemos um happy hour e eu fiquei morrendo de vontade de ficar com ele. Ele me dizia coisas que davam a entender que estava a fim. Me pediu carona. Uma eletricidade se instalou no carro. Ele me pediu para parar o carro e começamos a nos beijar. Sem trocar uma única palavra. E de repente estávamos transando.

– Como assim???? No meio da rua?

– Sim! No meio da rua.

– Gente, alguém trocou minha amiga. Que loucura Ana! Arrasou. Amei. E como você está sentindo?

– Sei lá. Querendo romance acho.

– Ele vai te ligar.

– Nos vimos hoje na verdade.

– Como assim? Gente vou morrer do coração.

– Ele passou em casa para pegar a carteira que esqueceu no carro.

– E aí? Meus Deus ele esqueceu de propósito.

– Que nada sua maluca. Ele tinha um voo hoje, não ia arriscar perder o voo.

– Ah não importa! Conta como foi o encontro.

– Ele foi gentil. Mas me beijou no rosto. Não demonstrou muito… hã… compromisso. Me falou umas coisas provocantes. E foi isso.

– Ele não tinha como demonstrar nada… e acho que talvez a relação de vocês possa ser sem vergonha e ponto. Já pensou que sexy isso pode ser? Afinal você tem 21 anos. Precisa se divertir e não está pensando em compromisso. Né?

– Você tem razão! Mentiu Ana, tentando gostar da boa perspectiva que trazia a amiga.

– Tomara que sim! Disse Lara sem se sentir muito convencida.

E depois de várias revelações, freadas abruptas e muitos “aimeudeus!” elas chegaram ao cabeleireiro.

– Que presente! Minha dupla preferida aqui logo cedo. Gritou Rodrigo empolgado as recebendo.

– Seu lindoooo! Disse Lara.

– Espero que consiga um espacinho para mim, porque não marquei e sei o quanto o senhor é badalado. Pediu Ana.

– Para você sempre meu amor. Darei um jeito. Disse para Ana a dando um abraço apertado. – E você senhorita, feliz aniversário. Disse para Lara a abraçando forte e a rodando no ar. – Saudades de vocês meninas!

– E como foi em Nova Iorque? Perguntou Ana empolgada.

– Meninas, foi maravilhoso! Tenho tantas histórias para contar. Ainda bem que teremos tempo hoje. E o que vamos fazer?

– Quero cortar as pontinhas e clarear o cabelo. Gostaria de mais luzes dessa vez. O que acha? Perguntou Lara.

– Acho que vai ficar linda, já que está super bronzeada. Respondeu Rodrigo. – E você Ana?

– Vou cortar!

– Os mesmos 3 dedos de sempre.

– Não será o de sempre hoje. Quero acima no ombro. Bem moderno. Uns 10 dedos dessa vez!

– Estou pasmooooo. Como assim? 10 dedos??? Você nunca deixou essa cabelão ficar curto.

– Mas dessa vez vou deixar. Quero um refresh.

– Tem alguma coisa acontecendo mocinha?

– Por que teria?

– Sei lá. Quando as mulheres querem radicalizar assim, tem romance envolvido.

– Rô, não deixa de ser. Vou transformar minha vida em um romance. Quero viver mais intensamente a partir de agora. Sei lá. Me deu um click!

– Meu Deus! Que mulherão tenho aqui na minha frente. Isso pede champagne. Disse Rodrigo orgulhoso das meninas e se direcionando para Sueli a moça do café e das gostosuras. – Su, minha rainha, por favor poderia trazer uma garrafa de champagne? Temos muito o que comemorar aqui.

O champagne chegou e as transformações começaram. As meninas riam uma por cima da outra e Rodrigo contava suas aventuras nos Estados Unidos onde tinha ido fazer um curso de 6 meses. Ele maquiou celebridades de Hollywood, ficou com homens incríveis, quase começou um relacionamento com um ator em ascensão que começava a fazer sucesso. Ele falava ainda dos seus planos de ir morar lá e trabalhar para produção de cinema e televisão.

Depois de 3 horas, as meninas estavam prontas. E lindas! Lara loiríssima e Ana maravilhosa com seu novo corte de cabelo acima dos ombros. Unhas feitas e um brilho que parecia não estar ali dias atrás.

– Ana você ficou maravilhosa! Seu cabelo está maravilhoso. O Rô está certo. Você está mais mulherão.

– Obrigada! Estou me sentindo mais mulherão! Disse Ana orgulhosa balançando seu cabelo. Você está linda também!

– Obrigada amiga. Mas quanto a você, não estou falando só do cabelo. Tem um brilho diferente em você. Que não estava aí na última vez que te vi.

E nesse momento o celular de Ana começou a tocar. Mais uma vez era um número desconhecido e coração dela acelerou em expectativa.

 

CONTINUA…

O CAPÍTULO 07 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *