Capítulo 11 – Visitando os pais

Eles se beijaram intensamente por alguns segundos e parecia que ambos estavam matando a vontade que sentiam um do outro.

– Que deliciosa recepção. Podemos dar uma volta? Disse ele gritando para ser ouvido.

– Sim! Vamos.

E os dois saíram de mãos dadas da pista de dança.

– Me desculpe por hoje. A Clarissa trabalha comigo. Ontem eu e ela almoçamos com o cliente. Um importante estúdio de Hollywood e conseguimos aprovar nosso projeto. Ela é do marketing. Por isso ela estava indo também ao jantar. O trabalho dela foi importante para aquela conquista. Mas te garanto que não existe nada entre nós.

– Roberto, fico feliz que não tenham nada um com o outro, mas você realmente não precisa me explicar nada.

– Você é especial! Diferente de todas as mulheres que conheci. Pensei que eu demoraria algumas horas para ficar numa boa com você e você me recebeu com abraço e beijo. Você é realmente muito especial.

– Não sou nada.

– Para mim é. Você é tão especial que quero ser seu namorado, se você quiser.

Nina engoliu em seco.

– Você está me pedindo em namoro?

– Sim senhora. E estou esperando uma resposta.

– Claro que quero ser sua namorada.

– Fiquei tão aflito que você não quisesse mais me ver por causa desse encontro atrapalhado de hoje.

– Isso porque você não sabe que vi você abraçado com ela entrando em um restaurante no Itaim ontem.

– Não acredito! E por que não me falou?

– Não me sentia no direito de nada.

– Eu senti tanto ciúme de você quando te vi conversando com aquele cara na pista.

– Eu também senti ciúme. Mas não me sentia no direito. Você entende?

– Te entendo completamente. Posso ir com você para a casa dos seus pais nesse final de semana? Quero te pedir em namoro para o seu pai.

– Vou adorar! Disse Nina lembrando que tinha dito para ele que ia visitar os pais só para se fazer de difícil.

“Agora vou precisar ir! E vou levar o Roberto.” Pensava Nina apavorada.

– Vou conhecer os pais da minha namorada. E no outro final de semana quero que você conheça minha família.

Nina sentiu um frio na barriga.

– Esse namoro está indo rápido. Brincou Nina.

– Estou tão feliz de tê-la em minha vida.

– Por que Roberto?

– Porque você me traz novas e deliciosas perspectivas.

– Devo confessar que você também.

– Nina, gostei de você no dia que te vi chegando toda sem graça e linda para pegar o Borges para passear. A cada nova descoberta sobre você mais eu me encantava. Você me despertou algo bom. Quero explorar o mundo com essa menina. Era o que eu pensava.

– Nunca imaginei que aquelas roupas e aquele jeito tímido e atrapalhado poderiam despertar esse tipo de sentimento em alguém.

– Bom, uma coisa é o que a gente mostra e outra coisa é o que os outros veem.

– De qualquer maneira, estamos aqui. E por fim, é isso que importa. Concluiu Nina.

– Certa mais uma vez! É raro conhecer uma mulher assim tão prática como você.

– Só simplifico a vida.

– Isso é um tremendo mérito seu. Saiba que a maioria das pessoas não é assim.

– Quero te fazer uma pergunta. Agora que é meu namorado.

– O que quiser?

– Quantos anos você tem?

Ele deu uma gargalhada.

– 35. E você? Não espera, me deixa tentar adivinhar…. 27.

– Quase. Quer dicas ou quer que eu diga?

– Você é muito maravilhosa. Ele disse dando um beijo nela. – Pode falar.

– 28 anos.

– Quer voltar para a pista com suas amigas?

– Na verdade preciso ir embora. Está super tarde e acordo cedo amanhã.

– Está com algum trabalho?

– Sim! Um parecido com a boneca LOL. Para a mesma empresa na verdade. Estou me fantasiando de um personagem, que está servindo como teaser de um lançamento de uma marca de temperos. Para uma grande marca.

“Nunca vou dizer que estou me fantasiando de galinha.” Pensava ela achando graça.

– Parece bem legal.

– A grana será a melhor dos últimos tempos.

– Isso é bom! E eu viajo amanhã para o Chile. Volto na sexta. A tempo de ir com você para a casa dos seus pais.

– Que legal filmar no Chile! Falta muito para terminar?

– Na verdade estamos na última semana. E na semana que vem começamos aquele outro projeto para o escritório de Hollywood.

– É o projeto mais importante da sua carreira?

– Sem dúvida que sim.

“Eu me vestindo de galinha e ele indo pro Chile terminar um projeto antes de começar outro com Hollywood.” Pensava Nina achando certa graça.

– Vamos embora? Convidou Nina.

– A hora que você quiser.

– Vamos lá nos despedir das meninas.

Nina foi de mãos dadas com Roberto procurar pelas amigas na pista de dança. Não encontrou. Deu uma olhada em volta e viu Maju sozinha no camarote.

– Oi Maju, cadê as meninas?

– Banheiro. Estão animadíssimas e eu a essa altura só consigo pensar na minha cama.

– De onde saiu tanta energia?

– Da tequila, eu acho!

E nesse momento as meninas chegaram, ainda empolgadíssimas.

– Mais um shot de tequila e vamos para a pista? Propôs Erica.

– Eu preciso ir embora. Disse Maju. – Adoraria voltar a beber e ir para pista, mas estou realmente cansada e só de pensar que hoje é terça, já me sinto cansada pelo resto da semana. E quando penso que o João estará acordado antes da 7 da manhã no sábado, me dá até pânico por estar acordada ainda.

– Nós também vamos embora. Vou aproveitar a carona do Roberto. Tenho que acordar cedo amanhã e já são quase 2 horas da madrugada.

– Se vocês vão, então melhor irmos também. Olhando pela perspectiva da Maju estaremos mortas de cansaço no final de semana. Até eu fiquei com sono. Disse Melina.

Elas caíram na gargalhada.

– Melhor irmos então. Disse Erica.

Elas foram embora se sentindo felizes pela noite que tinham tido. Cada uma em um taxi e Nina no carro do seu namorado.

“Não consigo acreditar.” Ela pensava olhando em volta e olhando para Roberto.

– O que foi? Perguntou ele com sorriso nos lábios.

– Nada. Disse ela também sorrindo. – Só não imaginava que voltaria para casa assim.

– Surpresa boa?

– Maravilhosa, na verdade.

– Eu confesso que também não esperava. Te deixar ali naquela adega e ir embora com a mulher errada apertou meu coração. As minhas perspectivas para a noite não eram nada boas. Por fim você me surpreendeu completamente, mais um vez.

– E o seu jantar foi bom?

– Excelente na verdade. Esse time trabalhará junto por muitos meses, mas acho que a química da equipe foi boa.

– Isso é bom!

– Sim! Respondeu ele, achando graça mais um vez. – E no próximo você vem comigo.

– Vamos ver! Respondeu ela, fazendo charme.

Eles chegaram na rua em que moravam e Roberto perguntou:

– Quer vir dormir comigo?

– Quero! Ela respondeu sem pensar. – Amanhã passo em casa para me trocar. Afinal somos vizinhos.

– Mais uma coisa que eu não esperava essa noite. Dormir com você.

Eles chegaram no prédio e o interfone tocou na garagem.

– Alô.

– Oi Seu Roberto. Tem uma moça chamada Clarissa, aqui na portaria esperando pelo senhor há algum tempo.

– Estou passando aí. Respondeu ele contrariado.

Ele desligou o interfone, sem saber o que falar para Nina.

– O que foi? Ela perguntou, percebendo que ele estava aflito.

– A Clarissa está aqui na portaria há algum tempo, segundo o Severino.

– O que ela quer?

– Não faço ideia.

– Eu faço.

– Ficou brava?

– Agora você é meu namorado, então as coisas são diferentes.

– Você quer vir comigo ou prefere me esperar lá encima?

– Prefiro te esperar lá encima.

– Te encontro em 5 minutos. Tome a chave.

– Se você demorar eu desço para te buscar. Ameaçou Nina de maneira charmosa.

– Não vou demorar. Prometo.

Nina deu um beijo nele e ele saiu do elevador.

– Clarissa, o que houve?

– Esqueci a chave da minha casa no seu carro.

– Por que não me ligou?

– Estou sem bateria no celular.

– O Severino me disse que você está aqui faz tempo.

– Um pouco mais de 1 hora. Ainda bem que o sofá aqui é bem confortável.

– Vamos lá buscar a chave.

Eles desceram juntos para a garagem num silencio constrangedor.

Ele abriu o carro e ela entrou para procurar a chave.

– Está bem aqui. Disse ela. – Ainda bem que encontrei.

– Que bom que encontrou. Preciso ir. Como você vai embora?

– Na verdade não tenho como ir embora. Ela riu. – Estou sem bateria no celular e não consigo pedir um taxi.

– Eu peço um para você. Pode ser?

– Te agradeço imensamente.

– Vamos subir lá para o térreo. Aqui não tem sinal.

– Sei que já te dei muito trabalho, mas seria muito inconveniente subir no seu apartamento para eu usar o banheiro?

“A Nina vai ficar possessa.” Pensava ele.

“Mas não posso negar o banheiro para uma pessoa do meu time.”

– Você pode usar o banheiro, enquanto eu chamo um taxi para você.

Eles subiram. Quando entraram no apartamento Nina não estava na sala.

– O banheiro é ali. Disse ele.

– Seu apartamento é lindo.

– Obrigado.

Ela foi para o banheiro e Roberto foi procurar por Nina. A encontrou tomando banho.

– Oi! Disse ele abrindo a porta.

– Espero que não se importe, mas eu precisava de um banho.

– Claro que não me importo. A Clarissa subiu.

– Ela está aqui?

– Sim. Esqueceu a chave no meu carro e está sem bateria no celular. Estou pedindo um taxi para ela.

– Você me empresta uma camiseta? Quer ajuda com ela?

– Vou deixar na cama para você e vou lá resolver isso.

– Ok!

– Queria estar aí com você. Ele disse de maneira maliciosa.

– Está perdendo uma água deliciosa.

– Posso até imaginar.

Ele jogou beijos no ar para Nina e foi embora contrariado. Quando chegou na sala, ela já estava lá.

– Acabei de pedir o taxi. Demora 10 minutos. Quer beber algo?

– Um copo d´água, por favor. Estou realmente encantada com o seu apartamento. Você mesmo decorou?

– Na verdade contratei uma reforma e a decoradora estava no pacote. Sua água.

– Muito obrigada. Ela disse pegando o copo, aproveitando para tocar a mão dele. – Desculpe o inconveniente.

– Imagine! Essas coisas acontecem. Ele respondeu totalmente constrangido.

Roberto começava a ficar aflito. Queria estar com Nina. Queria que Clarissa fosse embora. Mas ele não podia simplesmente enxotá-la da casa dele.

Foram os dez minutos mais longos da vida dele, até que finalmente o taxi chegou. Ele se despediu dela no corredor e entrou correndo em casa, direto para o seu quarto. Encontrou Nina dormindo com sua camiseta. Ficou ali olhando para ela por alguns segundos.

“Que linda é você.” Pensava ele enquanto olhava para ela dormindo.

Ele foi tomar banho e a deixou dormir.

Quando ele voltou para o quarto, ela estava na mesma posição e seguia dormindo profundamente. Ele se deitou ao lado dela e a abraçou. Decidiu não acordá-la e dormiu sentindo o cheiro dela.

Nina acordou quase sufocada com o abraço dele, quando os primeiros raios de sol invadiram o quarto. Ela olhou no relógio e eram 6 horas da manhã. “Posso dormir mais um pouco.” Pensou ela se sentindo a mulher mais sortuda do mundo tendo um Deus Grego dormindo ao lado dela na cama.

Ela deu um selinho nele e voltou a dormir.

Se passava das 7 quando Roberto acordou. Ele levantou em silencio para não acordar Nina e foi para a cozinha. Em poucos minutos voltou com uma bandeja, trazendo o café da manhã na cama para ela.

– Bom dia! Ele disse dando beijos carinhosos nela. – Precisamos ir. Acorde Nina.

– Bom dia! Que deliciosa visão logo de manhã. Ela disse de maneira carinhosa. Você me trouxe café da manhã na cama?

– Sim senhorita.

– Que delícia.

– Desculpe pelo que aconteceu ontem com a Clarissa.

– Essa mulher está louca por você. Mas eu não a culpo. Disse Nina de maneira charmosa.

– Você é a mulher mais incrível do mundo! Ele disse a agarrando e a enchendo de beijos.

Apesar de atrasados, não resistiram um ao outro e começaram a tirar as roupas um do outro. Ficaram ali por alguns minutos retomando o folego e fazendo carinho um no outro.

– Que delicioso jeito de começar o dia. Ela disse.

– Você se refere ao café da manhã na cama?

– Também! Ela respondeu caindo na gargalhada. – Preciso ir Roberto, já estou atrasada. Você me distraiu completamente.

– Eu também preciso ir. Tenho voo daqui a pouco.

– Só vou te ver na sexta. Vou sentir saudades. A Clarissa vai com você?

– Não. Viajo sozinho.

– Ainda bem!

– Está com ciúme?

– Um pouquinho.

– Quer que eu te deixe em algum lugar?

– Preciso passar em casa para me trocar. Não se preocupe, vou pegar um taxi. Boa viagem! Te ligo para falar sobre o final de semana com os meus pais.

– Combinado, namorada!

– Até sexta! Namorado.

Eles se despediram com um beijo de tirar o folego e Nina foi embora deixando um aperto do coração de Roberto.

“Essa mulher é a mulher da minha vida!” Ele pensava enquanto corria para o chuveiro.

Nina estava tão atrasada que mal teve tempo de tomar uma chuveirada rápida.

“Atrasada assim, vou ter que pegar um táxi. Mas valeu cada minuto de atraso.” Pensava ela se distraindo completamente.

“Acorde Nina, ou vai perder a galinha dos ovos de ouro!” Ela morria de rir de seus pensamentos.

Ela se apressou e em poucos minutos estava no taxi.

– Bom dia! Estou indo nesse endereço. Tenho 15 minutos. Você acha que chegamos?

– Bom dia! Hoje o transito está especialmente bom. A Senhorita está com sorte.

“Ah se estou! Namoro o cara mais incrível do planeta e transei hoje de manhã. Sou a pessoa mais sortuda do universo na verdade.” Pensava ela se derretendo por Roberto.

– Que bom! Respondeu ela.

O transito realmente estava ótimo e ela chegou antes do horário no escritório. Vestir a roupa de galinha naquela manhã foi bem mais fácil que nos outros dias.

O calor seguia insuportável dentro daquela galinha, mas dessa vez ela respirava com mais facilidade e se importava menos com tudo. Roberto tomava conta dos seus pensamentos e aquele dia passou mais rápido que todos os outros.

No final do dia, voltando para casa ela ligou para a mãe e contou sobre as novidades. Combinaram que chegariam na sexta, depois do jantar na casa deles. A mãe de Nina não cabia em si de tanta felicidade. Nem Nina.

A noite Nina falou com Roberto. Ele contou sobre o dia de filmagem e falou sobre sua empolgação com os projetos atuais. Ela disse que tinha avisado aos pais que levaria o namorado para a visita do final de semana e que a mãe estava feliz em recebe-lo. Ambos se sentiam felizes e especiais. Eles estavam totalmente apaixonados um pelo outro.

O resto da semana passou depressa. Nina e Roberto se falaram todos os dias. E Nina finalmente se despediu da galinha, feliz por guardar um bom dinheiro.

Nina terminava de arrumar as coisas quando Roberto ligou avisando que estava saindo de casa, para ela descer.

Ela entrou no carro e jogou nele.

– Que saudades! Disse ela beijando ele.

– Eu também minha Nina. A vida é muito melhor com você.

– Animado para conhecer meus pais.

– Mais do que animado.

E nesse momento o celular de Roberto começou a tocar e ele atendeu no viva voz do carro.

– Oi Clarissa.

– Oi Roberto, pode falar?

– Posso sim. Estamos no viva voz do carro.

– Já está de volta então?

– Sim.

– Que ótimo! Tive uma ideia para a comunicação interna do projeto e queria te contar. O que acha de jantarmos hoje?

Roberto engoliu em seco.

– Estou indo viajar com a minha namorada. Volto no domingo à noite. Mas podemos tomar um café de manhã na segunda e você me apresenta. Pode ser?

– Nem sabia que você namorava. Ela disse.

– Pois é! Comecei recentemente. Podemos falar na segunda?

– Claro! Desculpe incomodar. Mas eu estou realmente empolgada com as ideias.

– Também estou empolgado com as ideias. Falamos na segunda. Bom final de semana para você.

– Para você também! Beijo Beto.

– Outro para você.

Ele desligou o telefone.

– Essa moça está começando a me deixar brava. Riu Nina. – Que pessoa séria chama alguém para jantar numa sexta para discutir ideias de trabalho?

– Concordo com você. O comportamento dela anda muito estranho.

– Volto a dizer. Não a culpo. Deve ser perturbador trabalhar com você.

– Você é deliciosa. Que delícia tê-la na minha vida.

E assim eles pegaram a estrada. Nina cada vez mais segura dos sentimentos dele por ela e Roberto cada vez mais encantado com Nina.

– Fiz uma playlist para essa viagem. Disse ele.

– Você fez uma playlist? Que horas?

– No avião. Me distraiu a viagem a toda.

– Então vamos ver qual é o som dessa estrada. Disse ela.

Ele apertou o play e começou a tocar Shawn Mendes.

– Começou bem! Disse ela dando um beijo na bochecha dele.

– Senti sua falta. Ele disse. – Estou tão feliz em tê-la na minha vida.

– Eu também.

– Me fala um pouco sobre os seus pais.

– Meu pai é engenheiro e tem uma empresa que faz pequenas obras e reformas. Ele vai para China a trabalho e está animadíssimo. Ele é um homem simples, de coração enorme, muito íntegro. Criou os filhos para serem independentes e felizes. Minha mãe é professora e dá aula de Português na maior escola da cidade. Dedicou a vida à lecionar. Hoje tem uma vida mais tranquila. Dá aula apenas 2 vezes por semana e mesmo aposentada, segue apaixonada pela profissão. Ela é uma mulher muito forte e determinada. Penso que tudo que meus pais construíram foi graças a ela. Minha mãe é muito sensata, prática e bem mais racional que o meu pai, mas ainda assim tem um coração enorme.

– Seus pais parecem encantadores. Por isso você é assim.

– Assim como?

– Encantadora.

– Como eles se chamam?

– Beatriz e João Carlos.

– E o seu irmão.

– Ele mora em Portugal há pouco mais de 6 anos. Foi para lá a trabalho. Se casou com a Cecília, já grávida da Paula. Ela é uma portuguesa belíssima. Depois da Paula, nasceu a Luísa. Tenho 2 sobrinhas maravilhosas. A Paula com 6 e a Luísa com 3 anos.

E nesse momento Nina recebeu uma ligação do irmão.

– Você não vai acreditar na coincidência. Estamos falando deles e meu irmão está ligando. Disse Nina surpresa ao ver a ligação do irmão naquele momento.

Ela atendeu o Skype.

– Oi Cadu! Tudo bem?

– Oi Nina. Boa hora para falar?

– Estou na estrada, indo para casa dos nossos pais.

– Que legal que está indo visita-los. Eles devem estar felizes.

– Estou indo com o meu namorado. Olha ele aqui. Disse Nina virando a câmera do celular para Roberto. – Dá um oi para o Roberto.

– Oi Roberto, prazer te conhecer.

– O prazer é meu.

– Diga irmão. Disse ela de volta ao telefone.

– Na verdade a Paula quer falar com você.

– Oi tia Nina.

– Oi meu amor! Tudo bem?

– Sim. Queria te mostrar minha janelinha! Perdi meu primeiro dente.

– Meu amor! Você está ficando muito crescida. A fada do dente passou aí?

– Ainda não tia Nina. O dente acabou de cair e você foi a primeira a saber depois do papai, da mamãe e da Luísa.

– Me sinto muito especial por isso.

– Te amo tia Nina. Estou te esperando aqui. O papai disse que você vem nas férias. Não vejo a hora.

– Vou nas suas férias. Te amo meu amor.

– Tchau tia Nina. Ela se despediu mandando beijos com as mãos e desligou o telefone.

– Que família linda você tem Nina! E mesmo distante, ela quis que você fosse a primeira a saber do dente?

– Sempre foi assim. Meu irmão é bom em manter conexões. Foi assim quando elas começaram a andar, no primeiro dia da escola. Elas sempre me chamam para contar suas conquistas e suas primeiras vezes na vida.

– Que coisa linda de ver. Sinto falta de não ter um irmão e uma família grande.

– Minha família é tudo para mim. Estou decidida! Vou comprar minha passagem e vou visita-los em Portugal esse ano. Chega de promessas. Dessa vez eu vou. Consegui guardar um bom dinheiro. Queria comprar meu apartamento e por isso adiei todas as viagens que quero fazer. Mas minhas sobrinhas estão crescendo e isso se tronou prioridade. Um dia eu compro meu apartamento.

– E te lembrando: Você tem só 28 anos.

– Isso! E tem mais essa. Minha meta era comprar meu apartamento antes dos 30. Mas estou mudada. De repente estar perto das pessoas que eu amo se tornou mais importante do que qualquer aquisição de imóvel ou de algum bem material.

– Nina, você é uma inspiração. Talvez eu escreva algum roteiro com uma personagem inspirada em você.

– Isso seria uma honra.

– Você tem me inspirado muito Nina.

– Você também!

A viagem durou pouco mais de 1 hora e os pais de Nina os aguardavam no portão da casa.

Era uma casa simples, com um lindo jardim e muitas luzes acesas.

– Seja bem-vindo Roberto! Disse a mãe de maneira carinhosa.

– É um prazer conhece-los.

– Você deve ser especial. A Nina nunca trouxe ninguém aqui. Disse o pai apertando a mão de Roberto.

– Pai!

– É verdade minha filha.

– Aproveitando a abertura, quero aproveitar para pedir sua filha em namoro. Disse Roberto.

– Se ela está feliz. Estou feliz. Está feliz minha filha?

– Muito! Ela respondeu.

– Então, Roberto, vocês tem minha permissão.

Eles entraram na casa e foram direto para a copa onde a mãe tinha servido o jantar.

– Vocês devem estar com fome. Disse Beatriz.

– Famintos mãe.

A mãe serviu os pratos e Roberto se sentia em casa. Parecia até que ele estava visitando os próprios pais. Nina olhava a cena e não se lembrava do dia em que ela tinha se sentido tão feliz e tão em casa.

CONTINUA…

O CAPÍTULO 12 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *