Raissa saiu do banho e seu telefone tocava sem parar. Ela correu atender num sobressalto e por um instante se esqueceu que Andre dormia na sua cama.

“Pensando ser Vitor no telefone, esqueci por um momento que você estava dormindo aqui na minha cama.”

Ela pegou o telefone e era Helena. Ela enviou uma mensagem dizendo que ligaria em uma hora. Ela ia se trocar quando Andre acordou.

– Bom dia Raissa! Ele disse abrindo um lindo sorriso.

“Como você é lindo Andre!” Ela pensava se distraindo completamente.

– Bom dia! Ela respondeu.

Ela tentava achar as melhores palavras para aliviar aquela situação constrangedora quando ele propôs:

– Vou te levar tomar café da manhã em um lugar que tenho ido e tem me dado sorte.

– Como assim?

– Não sou supersticioso, mas esse lugar tem algo especial. Sempre que começo meu dia lá, tenho dias bons. Dias em que acontecem coisas boas.

– É mesmo! Quando foi a última vez que você foi até lá?

– Ontem!

– E o que houve de bom no seu dia ontem?

– Eu acordei aqui hoje.

Raissa engoliu em seco. Ela tinha sido a coisa boa do dia dele. E nesse momento se derreteu.

– Fico feliz de ser algo bom.

– Preciso te confessar, que presto atenção em você desde o meu primeiro de trabalho aqui. Aquele dia em que nos encontramos no elevador.

– Também me lembro desse dia. Por que nunca me disse?

– Por que eu era o chefe e levo minhas relações a sério.

– Mas o que mudou? Você ainda é meu chefe.

– Você tem razão. Não pude resistir a você. E você está saindo em licença por alguns meses. Confesso que encorajou um pouco.

– Mas pretendo voltar…

– Eu vou voltar para a Argentina Raissa. De qualquer maneira, não vamos pensar muito sobre isso. Vamos esperar que as coisas aconteçam. Agora vem aqui. Ele a puxou para perto dele e a beijou carinhosamente. – Que pena que precisamos ir. Você se importa se eu tomar um banho?

– Claro que não! Vou buscar uma toalha para você.

Ele foi para o chuveiro e Raissa foi buscar a toalha tentando recuperar o fôlego. “Que homem é esse meus Deus?” Ela pensava enquanto caminhava em expectativa. Ela abriu a porta e deixou a toalha na pia do banheiro. Saiu constrangida, apesar de terem transado naquela noite, ele ainda era um total estranho para ela e por isso ficou constrangida.

Ela terminava de se arrumar quando ele apareceu lindo e cheiroso. Parecia até que tinha acabado de tirar uma camisa limpa do armário.

– Vou te esperar na sala. Ele disse.

– Ok! Preciso de cinco minutos.

Raissa terminou de se arrumar e foi para sala encontrar Andre. Eles saíram juntos e no elevador, riam uma para o outro achando graça da situação deles. Eles tomaram café da manhã no lugar de sorte de Andre e chegaram juntos no escritório.

– Acho melhor você ir na frente. Não quero que as pessoas pensem que dormimos juntos. Raissa propôs chegando no prédio.

– Boa ideia Raissa. Prefere subir primeiro?

– Não, pode ir. Vou aproveitar para fazer uma ligação aqui embaixo.

– Não vejo a hora de te ver lá em cima. Até já. E obrigado pela noite. Queria te beijar agora. Ele disse virando as costas e indo embora, sem dar chance para ela responder qualquer coisa.

Raissa ficou ali na calçada, tentando recuperar o ar. “Esse homem é profissional da sedução!” Ela pensava enquanto pegava o telefone para ligar para Helena.

– Oi! Finalmente consegui ter notícias suas. Eu estava preocupada! Disse Helena em tom de alívio, atendendo o telefone.

– Lelê, se eu te contar tudo o que aconteceu comigo nas últimas 24 horas você não vai acreditar!

– Está me assustando.

– Está tudo bem! Não se preocupe.

– Pode tratando de me contar.

– Eu transei com dois homens nas últimas 24 horas!

– Não acredito!!!! Com quem?

– Com o seu irmão. Não resisti a ele e acabei dormindo na casa dele. Fiquei arrasada de manhã ao ouvir uma mensagem melosa de uma mulher na secretaria eletrônica del. Fiquei arrasada num nível inimaginável. Passei o dia chateada até a hora do happy hour de despedida que o Andre organizou para mim.

– Não acredito! Vou comer minhas unhas. Conta Raissa.

– O happy hour foi uma delícia! Me diverti muito, me senti especial. Tomamos muitas tequilas e na hora de ir embora, deixei meu carro no estacionamento e o Andre me levou para casa de taxi.

– Você transou com seu chefe Deuso?????

– Sim! E foi maravilhoso! Ele é gentil, gostoso, carinhoso. Disse que quer ficar comigo desde a primeira vez que me viu. Me beijou como se fosse meu namorado hoje de manhã e ainda me levou tomar café da manhã em um lugar especial para ele. Ai Helena, estou amando. Disse Raissa, no momento em que caiu na gargalhada.

E Helena riu junto com ela do outro lado da linha.

– Que demais Raissa! E agora?

– E agora nada! Domingo estou indo para Espanha e volto daqui três meses. E ele vai voltar para a Argentina. A vinda dele pra cá é temporária.

– É verdade. Isso tem um que de especial.

– Super! As condições temporárias me libertaram de certa maneira. E seu encontro com o Miguel ontem?

– Foi especial, como sempre. Ele me levou no restaurante daquele chef famoso que tem um programa na televisão. Jantamos em uma sala privada com acesso à cozinha industrial impecável do restaurante, com brindes com o chef famoso na nossa mesa, enquanto a fila para entrar no restaurante parecia não ter fim. Foi tudo muito exclusivo. Me senti muito especial. Demos risada, trocamos olhares, eu senti arrepios pelo corpo o tempo todo. Fui mimada e paparicada por ele. Falamos do futuro e sobre artes e filosofia. Ele parece ser o homem da minha vida. A gente combina. Parecemos ter uma super conexão. Eu não quero que a noite acabe, nem que a hora passe quando estou com ele. Lamento a hora de ir embora. Nunca fiquei tão feliz e nem senti tão eu ao lado de alguém.

– Uau! Se isso não amor à primeira vista, não sei o que é. Rolou algo? Beijo?

– Não! Nada! Nem um beijo. Já não sei mais o que pensar. Será que ele não está interessado em mim?

– Talvez ele seja tímido.

– Mas nesse nível?

– Amiga ele não faria isso tudo com você, se não quisesse estar com você.

– Mas é estranho. Saímos duas vezes e cada encontro a conexão parece ficar mais forte. Mas não rola beijo. Não consigo entender.

– Apenas curta Lelê.

– Você está certa. Tudo certo para sua despedida hoje à noite! Está animada? Perguntou Helena mudando de assunto.

– Super animada. Só não sei de onde vou tirar forças. Tem duas noites que bebo e não durmo direito. Posso chamar o Andre para ir hoje à noite?

– Claro amiga! Pode chamar quem quiser.

– Você acha que o Vitor vai?

– Não sei Raissa. Eu convidei.

– Você acha que pode ser constrangedor estar com o Andre lá?

– Acho que você não deve se preocupar com o que ele acha.

– Certa Helena! Por isso é minha melhor amiga. E a Lara? Falou com ela?

– Ela está lamentando passar três dias sem ver o Rodrigo e já começou a fazer a mala para a viagem para Argentina que será em três dias. Ela está irreconhecível.

– Estou morrendo de saudades de vocês. Estou animada para nossa noite hoje. Amo você Lelê! Obrigada por tudo.

– Não sei como viver 3 meses sem você.

– Nem eu! Mas não vamos falar nisso. Vamos comemorar essa nova fase e aproveitar o momento.

– Vamos aproveitar o momento. Concordou Helena. – Preciso desligar. Vou entrar em reunião.

– E eu preciso subir. Já tem 20 minutos que estou aqui embaixo. Até mais tarde. Chego às sete.

– Chega logo. Até já amiga.

Elas desligaram o telefone e Helena foi para a sua reunião. Ela levou Miguel com ela. E os pensamentos dela ao longo daquele dia foram todos dele. Ela fantasiava sobre a cena onde aconteceria o primeiro beijo deles e repassa em detalhes as cenas dos últimos encontros. Ela se lembrou do primeiro encontro no elevador. Na véspera do ano novo. Aquele encontro tinha acontecido há poucos meses e para Helena já parecia uma década. Quantas coisas tinham acontecido desde aquele dia. Ela estava indo para praia comemorar a chegada do ano novo com sua família e melhores amigas e cheia de expectativas e planos, quando Miguel entrou no elevador arrancando suspiros dela. E como se o universo quisesse passar um recado para ela, eles se encontraram no seu lugar preferido no primeiro dia do ano. Naquele mo8mento, ela esperava ser pedida em casamento pelo Gustavo. Seu primeiro amor e aparentemente o homem da vida dela. O Gustavo não pediu ela em casamento e ele tinha ido embora. Ele já não era mais parte da vida dela e parecia muito mais distante dela naquele momento do que nunca. Era como se ele nunca tivesse existido. A nova vida dela definitivamente não tinha espaço para ele e toda a dor da separação e da falta de consideração dele. Naquele momento a ferida parecia estar cicatrizando. Uma paz se instalava no seu coração enquanto ela fazia aquela retrospectiva silenciosa e Miguel era o grande responsável por aquilo estar acontecendo. A companhia e a gentileza dele, a falta de pressa e o carinho, a beleza e o charme sem igual, a inteligência e a timidez dele, a forma apaixonada com que ele fala das coisas que gosta e o enorme repertório dele faziam com o que o coração de Helena sentisse uma enorme vontade de ve-lo.

O dia foi cheio de coisas, mas assim que terminou sua última reunião, Helena foi embora para casa. Deixou o computador no escritório com alguns e-mails sem ler. Ela não costumava fazer isso, mas naquele dia ela tinha pressa e sonhava acordada.

Ela correu para casa, animada com a festa que ia começar em duas horas. No caminho ligou para Miguel.

– Oi! Ele disse, atendendo o telefone no primeiro toque.

– Oi! Tudo bem?

– Sim! E com você?

– Tudo bem também. Estou indo pra casa. Hoje é dia da festa da minha amiga Raissa. Você quer ir comigo?

– Eu adoraria. Mas tenho um jantar para apresentar um projeto. Se eu sair cedo, passo para te ver. Pode ser?

– Claro! Que pena que não pode. Tenta ir. Vou te enviar o endereço.

– Vou mais do que tentar.

– Então te espero. Beijo e bom jantar de negócios.

– Obrigado! Boa festa pra você. Beijo.

Helena desligou o telefone e sentiu uma pontinha de tristeza. Ela queria muito ver Miguel.

“Tomara que ele vá!” Ela pensava, acreditando que o universo poderia ouvir e colaborar para que ele fosse.

Ela chegou em casa correndo. Tomou banho, Caprichou no look. Escolheu um vestido de paetês preto com uma saia mais curta e mangas tipo camiseta. Colocou algumas gotas do seu perfume preferido. Fez uma maquiagem leve com delineador preto e batom vermelho. Calçou sandálias pretas de tiras e saltos médios. Fez alguns cachos com babyliss no cabelo e saiu feliz de casa.

Ela estava entrando no taxi quando seu celular tocou.

– Oi! Ela atendeu.

– Você não me enviou o endereço.

– Ah Miguel! Desculpa. Estou fazendo isso agora mesmo.

– Nos vemos mais tarde.

– Combinado! Te espero.

– Não esquece de me enviar o endereço.

– Não vou esquecer.

– Até já. Preciso ir.

– Até. Beijo.

– Beijo.

Helena desligou o telefone suspirando. Enviou o endereço para Miguel e se perdeu em seus pensamentos. Depois de apertar a tecla enviar ela só pensava nele.

Ela chegou no lugar onde ia acontecer a festa e logo a enorme quantidade de coisas que ela tinha para organizar a distraiu completamente.

A festa começou todos os convidados já tinham chegado quando Raissa chegou.

Raissa estava linda, vestindo uma calça de couro justa no corpo e uma blusa de tule transparente preta com bolinhas brancas bordadas e uma blusa justa de alcinha por baixo.

– Oi! Disse Vitor sem jeito. Indo recebe-la.

Ela respirou fundo.

– Oi Vitor.

– Vamos conversar?

– Por favor Vitor. Hoje não.

E nesse momento Andre chegou.

– Olá! Ele disse sem perceber nada do que estava acontecendo entre Raissa e Vitor.

Ela escancarou um sorriso ao vê-lo.

– Oi! Ela disse dando um beijo na boca dele.

Ele ficou surpreso, mas retribuiu o beijo de maneira carinhos.

Vitor observava tudo sem acreditar no que estava acontecendo e sobrando completamente na cena, virou as costas e foi embora.

Raissa nem percebeu a ausência dele e foi de mãos dadas com Andre apresenta-lo para todo mundo.

Helena, Lara e Raissa se divertiram como nunca. Apesar de conectada com as meninas, Helena passou a noite olhando para a porta, ansiosa pela chegada de Miguel. Olhou algumas vezes para o telefone, mas não recebeu nenhuma notícia dele.

As pessoas começavam a ir embora, quando Miguel apareceu.

– Miguel! Ela disse animada!

– Só consegui chegar agora. Desculpe.

– Sem problemas. Que bom que você veio. Como foi seu jantar?

– Foi ótimo! O projeto foi aprovado. Vou trocar a fachada de um prédio.

– Que legal! Parabéns! Vamos comemorar. Disse Helena, colocando vinho em uma taça.

– Tim tim! Ele propôs, olhando ela no fundo dos olhos.

Helena sentiu um arrepio e retribuiu o olhar.

A partir da chegada de Miguel, Helena se conectou totalmente com ele. A noite terminou e Raissa foi embora com Andre. A despedida foi alegre, mas deixou um nozinho no coração das melhores amigas.

Lara foi embora empolgada com o término da arrumação das malas, ansiosa pela chegada da viagem que faria Rodrigo em dois dias.

Helena e Miguel foram embora juntos para casa. Quando saíram para pegar o taxi chovia forte. Eles entraram no carro e um clima elétrico tomou conta do ambiente. Helena estava alta pelo vinho e desejava mais do que nunca um beijo de Miguel. Ele também estava alto pelo vinho e desejava beija-la, mas sua timidez o impedia.

Eles chegaram em casa a ainda chovia muito quando desceram do carro. Eles correram para dentro do prédio.

A chuva começava a encharcar os dois quando ele chegaram embaixo do toldo da porta que dava acesso ao hall do elevador.

Eles respiravam fundo tentando recuperar o folego da corrida e riam da situação. Miguel ia abrir a porta para Helena.

Ele olhou para ela e de repente tudo parecia estar em câmera lenta. Ele se aproximou dela. Os rostos estavam muito perto e eles seguiam tentando retomar o ar.

Helena sentia o corpo se arrepiar.

Miguel começou a se aproximar e encostou Helena na parede. Os corações dos dois aceleraram. O caminho até ela estava percorrido e ele parou por um instante. Eles olharam intensamente nos olhos um do outro. Os corações seguiam acelerados.

 

CONTINUA…

O CAPÍTULO 14 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

 

Capítulo 13 – Sonhando Acordada

Sabrina Almeida


Sou mãe, filha, esposa, mulher, amiga, confidente, conselheira. Sonhadora, determinada e realizadora. Organizada, mas com um que de caótica. Apaixonada pela vida e pelas pessoas. Intensa! Publicitaria, trabalho desenvolvendo produtos e marcas para deixar as pessoas mais bonitas e felizes. Escrevo porque amo escrever. Minha cabeça está sempre repleta de sonhos e devaneios. Sigo sempre meu coração. Hoje penso mais antes de tomar uma decisão. Encontrei a FELICIDADE, assim todinha maiuscula, nas coisas simples da vida. E escrever é uma delas. Enquanto as pessoas vão para a academia, fazem trilhas, tocam instrumentos musicais, cozinham… Eu escrevo! Esse é o meu hobbie… Escrevo para traduzir o que está no meu coração, sem regras, métodos ou filtros. Escrevo porque me inspira e me faz feliz. Acredito que é simples ser feliz e que para isso é preciso uma boa dose de coragem, de sorte e de sonhos e devaneios. Quando eu decidi escrever, uma pessoa me perguntou: “quem te garante que as pessoas vão se interessar pelo que você escreve?” E a minha resposta é como vou concluir minha apresentação. Vou escrever para tentar ajudar as pessoas a ver diferentes perspectivas, rir no meio de um dia difícil ou enxergar poesia no dia a dia. E se eu conseguir tocar o coração de pelo menos uma única pessoa, já terá valido à pena.


Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *