Capítulo 14 – O que está acontecendo aqui?

Nina seguia fazendo força para conter as lágrimas e voltar para o bar, mas as pernas pesavam e ela seguia sem capacidade de se mover.

“Levanta daí Nina! E volta lá. Mostra para essa vaca quem é que está à altura dele. Ele já disse várias vezes que era a autenticidade que você trazia para a vida dele que ele estava procurando. Você tem o que nenhuma dessas mulheres de pernas compridas e vestidos de grife tem.” Nina implorava para si mesma em seus pensamentos e finalmente conseguiu se acalmar e voltar a respirar normalmente.

Ela foi forte e as lágrimas chegaram, mas não escorreram pelo seu rosto. E já recuperada, finalmente conseguiu se levantar e sair daquela cabine. Lavou o rosto, ajeitou o cabelo e retocou seu batom vermelho.

Ela voltou para o bar e encontrou seu lugar ocupado por Clarissa que conversava animadamente com Roberto.

– Oi Nina! Tudo bem? Você demorou. Ele disse quando ela chegou, claramente preocupado.

– Sim! Está tudo bem! Podemos dar uma volta? Ela disse sem pensar muito.

– Claro. Nos dê licença Clarissa. Disse Roberto se levantando e pegando a mão de Nina.

Eles saíram do bar e encontraram uma noite fresca, com brisa cheirosa do lado de fora.

– O que foi Nina? Parece chateada. Ele perguntou.

– Não foi nada! Só estou me acostumando com as pessoas. Pensei que seríamos somente nós dois hoje à noite.

– Eu também pensei! Não esperava por isso. De verdade. Me desculpe por isso. Prometo que vou te recompensar em um outro final de semana.

– Você é demais Bob.

– Agora venha aqui porque estou morrendo de saudades de você.

Ele puxou Nina para perto de si a beijou carinhosamente.

– Acho que eu estava precisando desse beijo. Disse Nina de maneira charmosa.

– Estarei sempre à disposição.

– Quer entrar? Ela convidou na esperança que ele dissesse que não.

– Acho que é prudente voltarmos. Ele concordou.

Eles voltaram para dentro do bar em silencio, mas os pensamentos de Nina estavam mais barulhentos do que nunca. Ela tentava planejar consigo mesma a melhor maneira de se comportar naquela noite.

Eles entraram no salão e naquele momento acontecia uma degustação de cachaça que era produzida no local.

A mulher feliz que tinha os recebido no final da tarde se animou ao vê-los e os puxou pelas mãos para participarem da degustação de bebidas que estava deixando todos muito animados.

Nina e Roberto se juntaram aos demais e começaram a interagir com o grupo tomando shots de cachaça.

Os olhares de Roberto para Nina ao longo da noite a faziam se sentir querida e desejada, mas as palavras cruéis de Clarissa insistiam em se reapresentar ao longo da noite, e por isso, todo o carinho de Roberto e toda cachaça não pareciam ser suficientes para devolver a tranquilidade e a segurança para Nina. Naquela noite ela estava mais quieta e insegura do que nunca.

Já era de madrugada e Roberto seguia cada vez mais animado, enquanto Nina só pensava em sumir dali. A cachaça deixava ela cada vez mais triste e as palavras de Clarissa a faziam acreditar que ela era comum demais para aquele homem que todos ali em volta pareciam amar e admirar.

Todos pareciam querer ficar de perto de Roberto. Nina ficava observando a forma como todos o tratavam e sentia um certo orgulho por um homem tão desejado ter escolhido ela. Mas naquela noite, pela primeira vez desde que tinham começado a namorar, ele parecia não se importar muito com ela.

Até que o cansaço venceu e uma voz na sequência dela gritou para ela sair dali.

– Acho que vou para o quarto. Estou cansada Bob. Disse Nina cansada de disputar a atenção dele com todas aquelas pessoas.

– Nina, entendo se você quiser ir para o quarto, mas eu não posso ir agora. Nosso CEO chegou a pouco e preciso ficar mais um pouco.

– Te entendo totalmente, mas vou subir. Ok?

– Claro Nina! Te encontro já.

– Boa noite Bob.

– Boa noite Nina. Ele disse dando um beijo nela.

Nina saiu dali se sentindo derrotada.

“Ele preferiu ficar ali com aquelas pessoas do que vir para o quarto comigo.” Pensava Nina enquanto caminhava na direção do quarto.

E nesse momento ela não conseguiu resistir e começou a chorar.

Ela sentia um tremendo alívio por deixar todas aquelas lágrimas rolarem por seu rosto. Naquele momento ela estava sozinha e não precisava esconder nada de ninguém.

E não havia nada que a fizesse parar de chorar. Ela soluçava enquanto caminhava.

Na recepção o atendente se preocupou:

– Está tudo bem com a Senhorita?

– Sim! Tudo bem! Obrigada! Disse ela enxugando as lágrimas do rosto.

Ela seguiu andando e as lágrimas insistiam em escorrer.

Finalmente ela chegou no quarto e foi direto para o chuveiro.

“Acho que estou louca achando que tenho alguma chance nessa história.” Pensava ela alimentando a sua tristeza e fazendo brotarem ainda mais lágrimas em seus olhos.

Ela saiu do banho se sentindo mais calma, colocou seu pijama e foi para a varanda, de onde era possível ver o salão onde Roberto estava. Sons altos saiam de lá mostrando que as pessoas ali estavam se divertindo muito e que aquela noite não estava perto de acabar.

Nina seguiu ali olhando o nada e aliviada por conseguir finalmente se acalmar e parar de chorar. Ela se sentou em uma grande espreguiçadeira e ficou ali alguns minutos pensando na sua trajetória com Roberto até ali.

“Será que eu serei suficiente para um homem desses?”

E seguia duvidando de si mesma em seus pensamentos.

“Nina, amanhã será um novo dia! Vá dormir! Vá tirar essa insegurança de dentro de você.”

E ela finalmente decidiu ir deitar.

Ela deitou na cama, se sentindo exausta, mas era incapaz de dormir e seguiu ali brigando com o sono, até o momento em que finalmente Roberto abriu a porta do quarto.

Ela seguiu ali parada e fingiu que estava dormindo.

Ele foi ao banheiro em silencio, se trocou e se deitou ao lado dela tentando fazer silencio para não acordá-la. Assim que ele deitou, colocou o braço sobre ela.

Ela sentiu algum alívio por ele estar ali, por ele parecer mais dela do que nunca e finalmente conseguiu dormir.

O dia amanheceu ensolarado e Nina acordou com a claridade em seu rosto.

Ela ficou algum tempo olhando para Roberto enquanto ele dormia até que decidiu acorda-lo.

– Bob! Bom dia! Vamos perder o café.

– Hum! Bom dia Nina! Que delícia é acordar com você. Você quer mesmo tomar café? Porque estou com outros planos.

– Acho que posso reconsiderar o café. Ela respondeu de maneira charmosa.

Ele subiu encima dela e começaram a se beijar. Eles começavam a tirar as roupas um do outro quando o telefone do quarto tocou.

– Alô. Roberto atendeu contrariado.

– Oi Roberto! Bom dia. Aqui é a Clarissa.

– Oi Clarissa, bom dia.

– Desculpe te incomodar aí, mas a imprensa está aqui e resolvemos dar uma coletiva agora no café da manhã. Foi inesperado, mas seria ótimo se você pudesse vir agora. Seria uma publicidade importante para o filme.

– Clarissa não me sinto confortável em conceder uma entrevista assim, sem qualquer planejamento.

– Te entendo e posso cancelar a entrevista.

– Claro que não vamos cancelar a entrevista. Que horas está marcado?

– Em 30 minutos.

– Estarei aí. Ele respondeu contrariado e desligou o telefone.

– O que houve? Perguntou Nina.

– Vou precisar conceder uma entrevista em 30 minutos. Fico muito bravo com essas coisas fora do plano.

– Mas uma entrevista é sempre uma entrevista. E você é o diretor do filme. Nina disse sem pensar muito.

– Você tem razão. Vou ser menos rabugento.

– Acho que deveria considerar.

– Você é demais Nina! Infelizmente não conseguiremos continuar o que estávamos fazendo. Preciso me arrumar.

– Vai lá! Resolvemos isso mais tarde. Eu posso esperar. Cuide dos jornalistas.

– Me desculpe! Esse final de semana está sendo muito diferente do que planejei.

– Eu entendo. Para mim também. Ela respondeu, concordando totalmente com ele sobre o final de semana.

Ele foi tomar banho e ela ficou ali na cama.

Em alguns minutos ele saiu deslumbrante do banheiro, vestindo uma camisa branca que o deixava ainda mais bonito e uma calça social.

Ele se despediu.

– Nos vemos em 2 horas lá embaixo. Tente se divertir. Me desculpe mais uma vez por isso. Ele disse dando um beijo nela.

– Boa sorte na entrevista Bob!

– Você é demais. Acho que eu já disse isso né? Te ligo quando acabar para me encontrar com você. Ele disse dando mais um beijo nela e foi embora.

Ela respirou fundo e ficou ali alguns minutos olhando para o teto, até que tomou coragem para se levantar e foi tomar banho.

Apesar de ter acordado bem, as lembranças dos momentos ruins do dia anterior insistiam em se reapresentar para ela.

“Pare com isso Nina! Desse jeito vai se tornar realmente alguém nada interessante.” Ela brigava consigo mesma em seus pensamentos.

“Você vai sair desse banho e colocar uma roupa maravilhosa e passar um batom e seguir sendo a mulher que você é. Estamos entendidas?”

Ela riu de si mesma enquanto saia do banho.

E o drama da roupa começava novamente. Se ela já andava insegura com suas roupas ultimamente, naquele dia se trocar parecia ser um pesadelo.

Depois de algumas tentativas, ela finalmente conseguiu. Estava linda em um vestido longo, sandálias baixas e o seu batom vermelho de sempre. Dois sprays de perfume e ela estava pronta.

Ela desceu sem ter muita direção ou planos.

“Vou andar por aí. Pensar um pouco. Buscar alguma inspiração.”

Ela andava falando consigo mesma em seus pensamentos, quando viu, de longe, Roberto dentro de uma sala com paredes de vidro. A cena chamou a atenção dela e ela ficou ali paralisada alguns segundos olhando. Ela seguia encantada com ele, se sentindo a pessoa mais sortuda do mundo por ele ser namorado dela, quando Clarissa entrou na cena e chegou bem perto dele. Ela começou a cochichar e arrumou a gola da camisa dele de maneira muito íntima.

O chão de Nina se abriu e ela morreu de ciúmes.

“Eles devem estar tendo um caso. Se não tem, vão ter. Que homem resiste a uma mulher dessa?” Pensava Nina arrasada.

“Melhor eu sair daqui, antes que eu enlouqueça.” Concluiu.

Ela apressava o passo para ficar o mais distante que conseguisse dali quando seu celular começou a tocar.

– Oi Maju! Ela disse atendendo o telefone.

– Oi Nina! Você pode falar?

– Ai amiga! Que bom ouvir sua voz. Que bom estar falando com alguém que me ama.

– Hey Nina! O que aconteceu? Assim me deixa preocupada.

– Estou em uma viagem com o Roberto para uma comemoração do trabalho dele. E aquela girafa da loja de bebidas. Lembra dela?

– Sim! Impossível esquecer. Foi bem estranho.

– Então! Ela está aqui. Ela está sempre por perto na verdade. Eles tem uma interface enorme de trabalho.

– E qual é o problema?

– O problema é que ela é deslumbrante e dá encima do Roberto o tempo todo e estou certa de que ele não vai resistir por muito tempo.

– Nina! Que monstro é esse que você está alimentando? Ela já existia quando você chegou. Ele quis ficar com você, mesmo ela já existindo. Por que ele ia querer ela agora?

– Ah Maju te ouvindo até consigo acreditar que estou imaginando coisas, que estou louca, mas eu sinto. Eu pressinto na verdade.

– Amiga, nunca te vi tão desestruturada. Você não é assim. Você namora com ele. Ele te escolheu por você ser quem é. Só vai perde-lo se se tornar outra pessoa. Não faça isso. Aí sim entrega ele de bandeja para a girafa.

– Maju você tem toda razão! Que madura amiga e que sensata. Queria ser assim, segura como você.

– Você é amiga! Muito mais segura do que eu. A diferença é que estou do lado de fora da sua situação e isso muda tudo. Você é humana Nina. Está tudo bem sentir medo, insegurança. Só não deixa isso te paralisar ou te transformar em algo que você não é.

– Certa! Certa! Certa!

– E preciso te contar uma coisa em primeira mão.

– O que foi?

– Estou grávida de novo!

– O que? Vocês estavam tentando?

– Não exatamente, mas estamos felizes.

– Parabéns Maju! Vai precisar diminuir o ritmo agora.

– Nem me fala.

– Estou feliz por você. Disse Nina de maneira carinhosa.

– Estou só um pouco assustada, mas certa de que tudo dará certo.

– Tudo encontra o seu lugar quando a gente encontra o nosso. E sua vocação é ser mãe. Sorte desse bebezinho.

– Nina! Você é demais. Obrigada minha amiga e veja se esquece dessa girafa e foca no Roberto e na ligação incrível que vocês tem.

– Vou tentar.

– Aproveite seu final de semana. Nos vemos no começo da semana. Que tal?

– Acho uma ótima ideia! Aproveite seu final de semana também. Beijo.

– Beijo

Nina desligou o telefone e por um instante se desconectou dali para se conectar com a sua amiga.

“Meu Deus! A Maju vai ter outro filho. Preciso começar a pensar na minha vida. No ano que vem faço 30 anos. Será que estarei com o Roberto ainda?” E de repente Roberto e a girafa voltaram para os pensamentos dela.

“Vá andar Nina!”

E foi isso que ela fez. Ela foi caminhar por um enorme gramado cercado por um lago gigante, onde podia alimentar os patos.

Já era hora do almoço e Roberto ainda não havia dado nenhuma notícia, então ela seguiu caminhando, como se fosse chegar no Japão.

Nina já morria de fome quando recebeu uma mensagem de Roberto:

“Nina, me desculpe, mas vou ter que almoçar com os jornalistas. Nos vemos mais tarde, logo depois do almoço aqui. Pode ser?”

Ela leu e releu a mensagem e não conseguia acreditar que ele estava a deixando sozinha em um sábado para almoçar com jornalistas com quem ele tinha conversado a manhã inteira.

Ela estava com muita raiva e respondeu o que veio na cabeça dela.

“Não deixe os jornalistas esperando. Vou almoçar por aí. Nos vemos mais tarde.”

Era assim que ela se sentia. Alguém jogada de canto perambulando por aí…

Já se passava das duas horas da tarde quando ela resolveu voltar para o hotel e comer alguma coisa.

– Aí está você. Roberto disse ao vê-la chegar no hall do hotel.

– Oi Bob! Como foi a entrevista?

– Foi excelente. Estou muito animado com a exposição que o filme terá. Acabamos nos estendendo demais. Muito além do plano. Mas foi por uma boa causa. Espero que você não tenha ficado aborrecida.

– Só um pouquinho! Ela respondeu de maneira charmosa, mas espumando por dentro. – Mas estou com fome, então talvez eu melhore depois de comer.

– Não acredito que fiz isso com você.

– Não foi você quem fez. Fui eu. Eu tomei a decisão de seguir andando por aí ao invés de vir comer. Não se culpe. Você vem comigo ou nos encontramos mais tarde?

– Você parece realmente aborrecida. Vou com você, se não se importar.

– De maneira nenhuma.

Ela tomou a iniciativa de se mover e ele acompanhou.

– Me desculpe mais uma vez. Ele disse constrangido.

– Roberto, por favor pare de me pedir desculpa. Já passou. Esse é o seu trabalho e estamos aqui para isso.

– Então porque está tão brava?

– Não estou!

– Está sim!

– Acho que é fome.

– Então vamos chamar um garçom para resolver isso. Ele disse fazendo sinal para o garçom.

– Um hambúrguer e um milk-shake de chocolate por favor. Ah, acompanha batata frita? Ela pediu.

– Não senhorita. Precisa pedir à parte.

– Então acrescente batata frita por favor.

– Sim senhorita. Só isso?

– Só. Obrigada!

Roberto seguiu olhando para ela e sentia a braveza dela só no jeito dela falar. No momento em que ela o distraiu completamente.

– Você não vai acreditar, mas estou pensando na sobremesa. Acho que vou pedir um sundae. Você divide comigo?

Ele achou graça.

– Divido! Ele respondeu.

Nina comeu o sanduiche como se fosse o último alimento do planeta Terra. E Roberto passou o almoço inteiro achando graça.

– Acho que não vou aguentar a sobremesa e acho que só volto a comer daqui uns 5 dias. Meu Deus, comi demais. Concluiu ela depois de comer a última batata frita do pote.

– Está melhor depois de comer?

– Sim! Ela respondeu, mas sem estar totalmente convencida.

– Vamos dar uma volta? Ele convidou.

– Depois de toda essa comida é realmente o melhor a fazer. Ela respondeu.

Eles saíram de mãos dadas do restaurante, mas ambos não se sentiam confortáveis. Elas mal saíram e encontraram Clarissa na recepção.

– Aí está você! Disse ela. – Vou precisar te roubar mais um minutinho. Vamos repassar o conteúdo de hoje à noite e o trailer final.

– Então não será um minutinho. Demoramos pelo menos uma hora nisso. Me dá uns minutos e encontro vocês na sala de reuniões.

– Não demore. Precisamos de você. Clarissa disse em tom de intimação. Ignorando a presença de Nina.

– Mais um pedido de desculpas. Disse ele no momento em que Clarissa saiu.

– É o seu trabalho Roberto. Estamos aqui por isso. Juro que entendo.

– Mas fica chateada?

– Sim! É mais forte que eu. Queria ficar com você.

– Eu também queria ficar com você. Achei que tudo estaria muito mais pronto. Mas vou te recompensar! Prometo.

– Estou curiosa.

– Pode ficar. Prometo que vai gostar.

– Vá lá fazer o seu trabalho. Vou dar uma volta e subir para descansar um pouco.

– Boa ideia. Terá um baile de gala hoje à noite.

– Não trouxe roupa para eventos de gala. Nina respondeu preocupada.

– Não se preocupe com isso. Prometa não se preocupar com mais nada. Ele disse fazendo carinho no rosto dela.

– Prometo! Ela respondeu. – Agora vai. Porque quanto mais rápido você for, mais rápido você volta.

– Combinado! Nos vemos já. Ele deu um beijo nela e foi ao encontro de Clarissa.

Nina foi andar para tentar digerir aquilo tudo. Além do excesso de comida, Clarissa ficava cada vez mais difícil de digerir.

Ela terminou seu passeio e voltou para o quarto. Quando entrou, encontrou uma caixa com um belo laço vermelho e um buquê de flores. Quando ela chegou perto encontrou um cartão.

“Espero que você goste. Não ficará mais linda do que já é, mas acho que vai combinar com o seu batom. Aquele que adoro tirar.

Te prometo que vamos nos divertir hoje à noite.

Adoro você!

Bob”

“Meu Deus! Esse homem tem o dom de controlar meu coração.” Pensava ela abraçando o cartão que tinha acabado de ler.

Ela abriu a caixa e encontrou um belo vestido vermelho, sapatos de salto com sola vermelha e uma caixinha de joias. Ela tremeu inteira. Abriu e encontrou uma pulseira e um par de brincos.

Nina ficou chocada olhando aquilo tudo, um pouco paralisada, tentando entender o que sentia. Nunca nada parecido com aquilo tinha acontecido com ela. E de repente ela se inspirou para escrever o capítulo final da sua história.

“O capítulo final da personagem inspirada em mim, vai passar exatamente por isso que estou passando.” Nina falava consigo mesma em seus pensamentos e se sentia a Julia Roberts no filme Uma Linda Mulher.

Ela foi tomar banho, quando Roberto chegou batendo na porta.

– Desculpe a pressão, mas precisamos estar lá embaixo em 30 minutos.

– Ok! Estou saindo ela respondeu. E nesse momento o pânico tomou conta dela.

Ela se apressou em sair do banho e saiu do banheiro enrolada na toalha.

– Ah como eu queria aproveitar sua total ausência de roupas. Ele disse ao vê-la.

– Uma pena não termos tempo. Ela respondeu deixando a toalha cair.

– Você está brincando com fogo.

– Obrigada pelos presentes. Você me surpreendeu completamente. Ela disse abraçando ele totalmente sem roupa.

– Nina, vamos perder o evento assim.

– Obrigada! Ela disse novamente olhando fixamente nos olhos dele.

– De nada! Fico feliz que tenha gostado. Não vejo a hora te ver usando. Ele respondeu tentando se controlar.

– Então vamos correr porque 30 minutos é um tremendo desafio para uma mulher se vestir para um baile de gala.

– Vou tomar banho! E já te garanto que essa cena aqui vai ficar na minha cabeça a noite toda.

– Espero que sim. Ela disse se cobrindo de novo com a toalha.

Ele foi tomar banho e ela foi se arrumar. O vestido serviu perfeitamente e ela ficou deslumbrante.

Quando ele saiu do banheiro, paralisou.

– Você está maravilhosa! Disse ele boquiaberto. – Que mulher é você Nina!

– Obrigada! Ela respondeu fazendo reviver sua deusa interior que andava meio adormecida.

Ele seguiu olhando para ela sem fala.

Em poucos minutos ele estava vestido, totalmente deslumbrante em seu smoking.

– Vamos? Ele convidou dando a mão para ela.

– Sim!

– E você conseguiu se arrumar em 30 minutos. Você é impressionante Nina.

– Você também! Ela respondeu encantada.

– Você está linda, mas não vejo a hora de tirar a sua roupa.

– Mal posso esperar. Ela provocou.

Eles entraram de mãos dadas no salão e todos os olhares foram para eles. A cena quase podia ser vista em câmera lenta.

Eles caminharam elegantemente e chegaram perto do palco onde Roberto anunciaria o trailer para abrir a noite de gala.

Um silencio tomou conta de tudo. Algumas caras de espanto pareciam olhar para Nina e Roberto. E Nina achou estranho. Quando ela olhou para Roberto para ver se havia algo errado, uma loira vestindo um longo de paetês pretos com decote e fenda generosos, ainda mais deslumbrante que o pesadelo Clarissa, estava tapando os olhos de Roberto com as mãos, anunciando que estava ali para fazer uma surpresa para ele.

CONTINUA…

O CAPÍTULO 15 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

2 thoughts on “Capítulo 14 – O que está acontecendo aqui?

  1. Ah não! Pelo amor de Deus se ela não explodir, vai estourar, devia ligar para uma das amigas ir buscá-la e ele que fique escolhendo entre as Ângela da Victoria Secrets, ele estava muito perfeito, mas ela tem que desentalar tudo que final de semana do capeta; faz ela ir embora e ele ficar pensando no porquê!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *