Helena acordou com alguns raios de sol batendo em seu rosto. Ela se preparava para se levantar quando Miguel chegou no quarto trazendo uma bandeja com café da manhã para ela.

– Bom dia! Namorada.

– Bom dia! Namorado. Assim vou ficar muito mal acostumada.

– Quero te fazer a mulher mais feliz do mundo.

Helena não podia acreditar que aquilo estava mesmo acontecendo. Miguel era muito melhor do que o homem dos sonhos dela.

– Está fazendo! Ela respondeu.

– O dia está lindo. Pensei em darmos uma volta na praia. Você precisa voltar cedo para casa?

– Um passeio na praia seria maravilhoso. Não venho para a praia desde o ano novo. E eu amo praia. Essa em particular. Tenho casa aqui desde criança. É estranho estar aqui e não estar em casa.

– Eu comprei a casa recentemente. Na verdade comprei o terreno e construí a casa. Acho que esse foi o projeto que mais gostei de fazer. Também me mudei para o seu prédio em São Paulo recentemente. Minha nova vida é recente.

– E onde você morava antes? Ela perguntou.

– Eu era casado Helena. Me divorciei há um ano.

– Você já foi casado?

– Sim. Por pouco tempo na verdade. Ficamos casados dois anos. Somos amigos de faculdade e sócios no escritório. A sociedade começou antes e o casamento veio depois. Mas não deu certo. A gente queria coisas diferentes. E ela acabou ficando com o meu melhor amigo, enquanto ainda estávamos casados.

“Que mulher deixaria esse homem escapar? Ainda mais dessa maneira. Será que pergunto quais eram as diferenças? Se eles ainda são sócios? Melhor não. Deixa ele falar, se quiser.”

– Nossa Miguel, nem sei o que dizer. Queria dizer que sinto muito, mas na verdade fico feliz por ter acontecido, assim você pode ser meu.

Ele deu uma gargalhada.

– Você é maravilhosa demais Helena!

Ela respirou aliviada. Ela estava feliz por ter conseguido aliviar o assunto.

– Essas torradas estão deliciosas. Você é um cozinheiro muito talentoso.

– Só as coloquei na torradeira. Não foi preciso muito talento.

– Tudo o que você faz é demais.

– Não! Você é demais. Ele disse chegando perto dela para beijá-la. E em poucos minutos o clima entre eles esquentou e eles começaram a tirar as roupas um do outro.

Helena estava sem folego quando terminaram e ainda mais apaixonada.

– Vamos para praia? Convidou Miguel, também recuperando o folego.

– Vamos. Ela disse se levantando.

Ela tinha terminado de se vestir e se olhava no espelho quando seus pensamentos a atropelaram.

“Ele era casado e tudo terminou recentemente. E eles ainda são sócios. Será que ele está realmente livre? Será que ele não gosta mais dela? Ela o traiu. Será que ele superou isso? E o melhor amigo? Por onde anda? Que história gente! Tinha que acontecer alguma coisa para atrapalhar a minha paz e a minha felicidade. Hey Helena! Todos tem passado. Pare de bobagem! Você estava com o Gustavo 3 meses atrás, esperando ser pedida em casamento, aqui mesmo nessa praia. E agora está perdidamente apaixonada pelo Miguel! Ele deveria se preocupar com o Gustavo? Claro que não! Nenhum pouco. Então pare de bobagem. Não boicote à sua felicidade.”

Ela tratou de espantar aqueles sentimentos de dúvida que colocavam um nó de angústia no meio da felicidade dela.

Quando ela desceu, ele já estava pronto na sala esperando por ela.

– Vamos? Ele disse estendendo a mão para ela.

Eles foram de moto até a praia, que estava particularmente cheia naquele domingo.

– Vai ser interessante passear por aqui com você. Ela disse esperando pelo encontro com vizinhos. “Gente meus pais nem sabem que estou namorando e os vizinhos fofoqueiros vão me ver com o Miguel.”

– Por que? Miguel perguntou.

– Meus pais são muito amigos das pessoas que vamos cruzar por aqui. E eles ainda nem sabem que estou namorando. Vai ser engraçado.

– Então liga para os seus pais e avisa que estamos namorando.

– Acho que não precisamos ligar muito para isso. Vamos curtir nosso dia.

– Boa ideia.

Eles caminhavam de mãos de dadas, sentindo o sol queimar a pele e a água do mar molhar os pés. Um vento fresco deixava a temperatura perfeita e um sorriso se instalava automaticamente nos lábios deles.

– Que especial estar aqui com você. Disse Miguel, enquanto caminhavam.

– Para mim também! Aquela ali é a minha casa. Disse Helena apontando sua casa que ficava de frente para o mar.

– Que bela casa você tem! A melhor localização da praia.

– Meu pai comprou esse terreno quando esse condomínio nem existia e nos últimos anos a casa valorizou muito. Ele pagou muito, mas muito mais barato, do que ela vale hoje.

– Seu pai é um homem de visão para investimentos.

– Ele faz isso! Ele trabalha desde sempre como controler em um banco de investimentos. E trabalha muito. Desde sempre também.

– E sua mãe?

– Minha mãe é pedagoga e trabalha em uma escola há muitos anos. E seus pais?

– Minha mãe é arquiteta e meu pai engenheiro. Se conheceram no trabalho. Trabalharam juntos em uma construtora.

– Então a arquitetura está nos seus gens!

– Deve estar. Gosto de desenhar desde criança. E como a perfumaria entrou na sua vida?

– Na verdade foi sem querer. Comecei a trabalhar em uma casa de fragrâncias logo que saí da faculdade e acabei me apaixonando pelo universo da perfumaria. Me formei em marketing. Esse ano eu estou planejando fazer um curso em Paris para me tornar perfumista.

– Em Paris?

– Sim! Somente em Paris tem curso de formação de perfumista.

– Quanto tempo demora esse curso? Miguel perguntou temendo ficar muito tempo longe dela.

– Um mês. Mas se der certo, e eu seguir nessa formação devo passar alguns meses lá.

Miguel respirou fundo.

– Você mal chegou na minha e já gosto tanto de você Helena. Fico imaginando a saudade que vou sentir de você.

– Miguel, eu também gosto muito de você.

– Que tal um banho de mar? Ele convidou tentando dar mais leveza ao momento com Helena.

– Boa ideia! Ela disse de maneira animada, já correndo para o mar.

Miguel ficou por um momento olhando encantado para ela e logo correu atrás dela.

Eles ficaram ali dentro da água por mais de uma hora. Conversaram, namoraram e ambos não queriam que aquele momento passasse, nem que o dia acabasse.

O sol já começava a se pôr quando eles voltaram para casa. Helena terminava de arrumar suas malas quando se lembrou da conversa sobre a ex mulher de Miguel. Ela imaginou que aquilo viria incomodar seu sossego ao longo do dia, mas era a primeira vez que ela lembrava daquilo. Ela riu de seus pensamentos e aceitou na íntegra sua felicidade. Ela terminava de se arrumar quando Miguel chegou.

– Pronta?

– Pronta.

– Então vamos. Me deixa te ajudar com isso. Ele disse pegando a mochila dela.

– Eu adorei nosso final de semana. Obrigada por tudo. Disse Helena.

– Eu também adorei Helena. Foi totalmente inesperado e delicioso.

– Eu adoro o inesperado! Helena disse empolgada.

– Eu estou aprendendo a gostar! Ele disse dando um beijo nela.

Eles subiram na moto e viram a noite chegando enquanto andavam pela estrada que os levava de volta para casa.

Já em casa, Miguel levou Helena até a porta da casa dela.

– Não queria me despedir de você. Ele disse, dando um beijo nela.

– Nem eu. Adorei demais nosso final de semana.

– Boa noite namorada!

– Boa noite namorado!

Helena entrou em casa e seus pais estavam comendo pizza. Ela se juntou à mesa e eles comiam juntos quando Vitor chegou.

– Tem espaço para mais um nesse jantar? Ele perguntou ao chegar.

– Claro meu filho. Disse a mãe, se levantando para pegar um prato para ele.

– Estou arrasado com tudo o que aconteceu com a Raissa. Disse Vitor antes de qualquer coisa.

– Com qual parte Vitor? Helena perguntou.

– Com a parte que ela foi embora pra sempre.

– Pra sempre é muito tempo Vitor.

– Você acha que temos chance ainda?

– Você realmente queria uma segunda chance ou está arrasado porque perdeu a Raissa, que sempre esteve disponível para você?

– Eu realmente queria uma segunda chance. Me dei conta do quanto gosto ao ve-la beijando aquele cara.

– Quando ela voltar, diga isso para ela. Mas por hora, você não pode fazer nada.

– Filho, a Raissa vale ouro. Acho que deveria procura-la e tentar de verdade fazer a história de vocês dar certo. Disse a mãe.

– Por falar em Raissa. Ela está ligando. Disse Helena atendendo o telefone e saindo para falar com a amiga. – Oi Raissa.

– Oi Lelê! Estou embarcando. Vou morrer de saudades. Disse Raissa chorando.

– Amiga! Eu também. Vou morrer de saudades. Não chora.

– Estou morrendo de medo.

– Eu também estaria. Mas acredite que tem um monte de coisas lindas te esperando por lá.

– Eu sei! Sinto que tem algo novo começando. Preciso desligar. As portas do avião acabaram de fechar. Queria saber do seu encontro com o Miguel, depois da minha festa.

– Estou namorando com ele!

– C-H-O-C-A-D-A! Quero saber tudo, mas preciso desligar o telefone.

– Vai amiga! Vá viver aventuras em Barcelona. Te espero com histórias lindas para contar.

– Feliz por você. O choro passou. Te amo Lelê.

– Te amo! Boa viagem.

Helena pensou em contar que Vitor estava desesperado por perde-la, mas achou melhor não colocar ainda mais coisas na bagagem pesada que a amiga estava carregando naquele momento. Então ela desligou o telefone e desejou toda sorte do mundo para a amiga.

E nesse momento ela se lembrou de Lara e da ansiedade que ela estava vivendo por causa da sua viagem a trabalho com Rodrigo. E resolveu ligar para a amiga.

– Oi Lelê! Lara disse atendendo no primeiro toque.

– Oi Lara! Tudo bem por aí?

– Sim! Acabei de arrumar a minha mala. Acredita que fui ao shopping comprar roupas novas para levar? E que agora estou abrindo uma garrafa de vinho. Preciso de uma taça de vinho.

– Lara você está irreconhecível.

– Estou mesmo! Estou uma pilha. Faz três dias que não vejo o Rodrigo e não consigo pensar em outra coisa, senão na expectativa que estou de encontrar com ele.

– Amiga aproveite esse sentimento.

– E você e o Miguel? Alguma novidade?

– Sim! Novidades.

– Ai meu Deus! Transaram?

– Sim! E estamos namorando.

– NÃO ACREDITO. Lara gritou. – Vamos brindar a isso. Te dedico amiga. Lara disse dando um gole no seu vinho.

– Vou ficar arrasada sem você e a Raissa essa semana toda aqui.

– Mas agora você tem o Miguel.

– Isso ajuda! Devo confessar. Estou completamente apaixonada amiga. Tipo muito apaixonada mesmo. Acabei de me despedir dele e quero falar com ele agora. Quero dormir com ele todos os dias. Amiga eu gozei em menos de trinta segundos. Eu queria dizer eu te amo para ele no final da transa.

Lara riu alto.

– Ainda bem que me ligou. Estou muito mais relaxada agora. Disse Lara.

– Você vai tirar de letra.

Nesse momento Vitor chegou no quarto de Helena.

– Estou indo! Vim dar tchau. Ele disse.

– Já vou. Me espera. Disse Helena. – Amiga preciso ir. O Vitor está aqui e eu estava jantando com meus pais.

– Vá lá ficar com eles. Vou ficar aqui com minha taça de vinho e minha ansiedade.

– Boa viagem Lara.

– Obrigada amiga. Volto sexta e quero te ver. Quero saber tudo desse namoro.

– Combinado! Até sexta. Beijo.

Lara desligou o telefone e foi com sua taça de vinho para frente da televisão. Ela tentava se concentrar no filme, que tinha acabado de começar e ela estava louca para ver, mas Rodrigo seguia povoando os pensamentos dela.

O filme acabou e já era de madrugada quando ela apagou a luz para dormir. Ela precisava estar muito cedo no aeroporto, por isso tinha pouco mais de quatro horas de sono. Isso somava um pouco de pânico na sua ansiedade, que naquele momento já tinha redobrado.

Depois de pouco mais de uma hora, rolando na cama de um lado para o outro, ela finalmente dormiu.

O despertador tocou despertando Lara ainda de madrugada. Ela se levantou em expectativa e se arrumou mais que o habitual. Saiu de casa deslumbrante, vestindo um terno comprido de tweed colorido e uma calça justa de couro, arrastando sua pequena mala de rodinhas e carregando uma bolsa grande da Chanel.

Quando ela chegou ao aeroporto, Rodrigo já a esperava. Ele estava mais lindo do que nunca. Ela caminhava na direção dele, sentindo o coração acelerar e perdendo o ar.

CONTINUA…

O CAPÍTULO 13 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

Capítulo 15 – Chegadas e Partidas

Sabrina Almeida


Sou mãe, filha, esposa, mulher, amiga, confidente, conselheira. Sonhadora, determinada e realizadora. Organizada, mas com um que de caótica. Apaixonada pela vida e pelas pessoas. Intensa! Publicitaria, trabalho desenvolvendo produtos e marcas para deixar as pessoas mais bonitas e felizes. Escrevo porque amo escrever. Minha cabeça está sempre repleta de sonhos e devaneios. Sigo sempre meu coração. Hoje penso mais antes de tomar uma decisão. Encontrei a FELICIDADE, assim todinha maiuscula, nas coisas simples da vida. E escrever é uma delas. Enquanto as pessoas vão para a academia, fazem trilhas, tocam instrumentos musicais, cozinham… Eu escrevo! Esse é o meu hobbie… Escrevo para traduzir o que está no meu coração, sem regras, métodos ou filtros. Escrevo porque me inspira e me faz feliz. Acredito que é simples ser feliz e que para isso é preciso uma boa dose de coragem, de sorte e de sonhos e devaneios. Quando eu decidi escrever, uma pessoa me perguntou: “quem te garante que as pessoas vão se interessar pelo que você escreve?” E a minha resposta é como vou concluir minha apresentação. Vou escrever para tentar ajudar as pessoas a ver diferentes perspectivas, rir no meio de um dia difícil ou enxergar poesia no dia a dia. E se eu conseguir tocar o coração de pelo menos uma única pessoa, já terá valido à pena.


Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *