Capítulo 16 – Cápsula Mágica

Nina acordou com o telefone tocando, sem ter noção de que horas eram.

– Alô! Ela atendeu.

– Oi Nina. Aqui é o Caíto. Tudo bem? Pode falar?

– Posso sim, Caíto. Quanto tempo. Por aqui tudo bem. E com você?

– Tudo bem também. Tem uma festa super exclusiva hoje. Festa de início de novela. Você pode trabalhar hoje à noite?

– Posso! Veio em ótima hora. Que horas?

– Vou te enviar as informações por mensagem. Legal poder contar com você.

– Obrigada por lembrar de mim.

– Até mais. Beijos

– Beijos

Nina desligou o telefone e se lembrou de sua vida 2 meses atrás, antes de Roberto. Como tudo tinha mudado completamente desde a chegada dele na vida dela. A ligação de Caíto a fez lembrar de quem ela era e da vida que tinha.

“Não importa o que aconteça, você não pode esquecer de onde veio.” Pensava Nina morrendo de orgulho de sua trajetória, da sua coragem e de ser quem ela era.

Ela seguiu ali deitada na cama pensando em seu caminho e se animou com a noite que estava por vir. Encontrar celebridades era sempre algo que trazia um frio na barriga e podia trazer algumas histórias divertidas para ela contar.

Ela tomou coragem para levantar da cama e ir tomar um banho. Além daquela festa e do passeio com cachorros, ela não tinha nada para fazer naquela segunda-feira chuvosa.

Tomou seu café e em seguida um banho demorado. Resolveu fazer uma máscara de argila para tratar do rosto, passou hidratante no corpo inteiro e sentia que sua alma estava sendo cuidada.

Ela foi desfazer a mala do final de semana e a primeira coisa que viu quando abriu o zíper foi o vestido vermelho. E nesse momento ela sentiu saudades de Roberto.

“Como posso sentir saudades de alguém que vi ontem à noite? Vou ligar para ele! Não, Nina! Deixe ele sentir saudades de você!” Nina brigava consigo mesma em seus pensamentos e ria de si mesma.

E nesse momento ela se lembrou do seu primeiro amor. Era um menino alguns anos mais velho do que ela, que no dia que terminou o namorico com ela disse uma frase que ela nunca esqueceu. “Você não me deixa sentir sua falta!” Ela achava graça de se lembrar disso.

“Eu era uma maluca. Deixei esse menino sem ar. Sufoquei ele com meu amor. E como sofri por causa dele meu Deus!”

Ela seguia ali pensando no seu passado e nas loucuras de amor que tinha vivido, quando seu telefone tocou a despertando de seus devaneios.

– Oi Bob! Estava pensando em você.

– Que sortudo que sou. Fiquei esperando uma mensagem sua ontem.

– Cheguei muito tarde e não quis te acordar.

– Se divertiu ontem?

– Sim, muito! É sempre uma delícia estar com as meninas.

– Fico feliz que tenha se divertido. Tenho uma novidade.

– Diga!

– Vou para os Estados Unidos daqui 1 mês para começar as filmagens do meu novo projeto e quero que você venha comigo. Ficaremos lá 2 meses.

Nina ficou sem fala. Era a oportunidade da vida dela.

– Que máximo! Vou amar ir com você.

– Que bom Nina. Então comece a se preparar. Jantamos juntos hoje?

– Vou trabalhar Bob. Acabei de aceitar um trabalho em uma festa. Uma festa de novela. Não consigo jantar com você hoje.

– Hum! Uma festa de novela?

– Sim.

– Vai trocar um jantar comigo por uma festa de novela?

– Não fala assim Bob! Preciso trabalhar. Desde que começamos a namorar praticamente não trabalho mais. Estou feliz com uma festa em plena segunda-feira.

– Contanto que no final de semana seja minha. Vamos viajar para o Rio para você conhecer meus pais e tenho uma surpresa para você.

– Você e suas surpresas. Está me deixando curiosa.

– Acho que você vai gostar.

– Uma dica, por favor.

– Tem a ver com música. Agora preciso ir. Tenho reunião agora. Liguei somente para dar um oi e te contar a novidade.

– Adoro música! Estou ainda mais animada. Boa reunião, Bob.

– Nos falamos mais tarde. Um beijo.

– Beijo.

Nina desligou o telefone sem conseguir acreditar no que estava acontecendo.

“Vou ficar 2 meses nos Estados Unidos com ele. Meu Deus! Só posso estar sonhando.”

Nina pensava consigo mesma, no momento que decidiu que era hora de parar de sonhar e começar a escrever e se dedicar para a sua história.

Naquele dia ela ainda teria um milhão de coisas para fazer e aquilo a fazia se sentir viva.

Ela seguiu escrevendo a tarde toda e conseguiu produzir bastante conteúdo. Parou somente na hora de passear com os seus cachorros. Fez uma trajeto mais rápido do que o normal e se apressou para estar pontualmente às oito da noite no local da festa em que ela ia trabalhar naquela noite.

Enquanto esperava por Caíto enviou uma mensagem para Roberto.

“Já estou aqui. Jantamos juntos amanhã. Saudades! <3 Nina”

Ela ficou ansiosa esperando por uma resposta dele, mas ele não respondeu. O lado inseguro dela voltou a se manifestar.

“Será que ele está chateado comigo por eu não ter ido jantar com ele hoje? Será que ele está com a Raquel? Como será que foi o reencontro deles no escritório hoje? Eu tinha me esquecido disso, mas o fato é que eles se reencontraram hoje. E ele não me responde. Acho que vou ligar. Tenho certeza que ele está jantando com ela. Nina pare com isso! Ele acabou de te chamar para ficar 2 meses nos Estados Unidos com ele. Ele praticamente te pediu em casamento. Casamento! Nina você está muito louca. Sério!” Nina ria de si mesma e dos seus pensamentos tão malucos. “Definitivamente, meu lado inseguro é muito louco e muito engraçado.”

E os pensamentos dela foram interrompidos pela chegada de Caíto.

– Boa noite Nina! Que bom que chegou. Disse Caíto ao chegar.

– Boa noite! Estou aqui. Ela disse.

– Obrigado por ter concordado em vir assim tão encima da hora. Vamos lá para você se trocar.

– Claro.

– Espero que não se importe, mas precisará usar uma fantasia. Ele disse enquanto caminhavam.

– Fantasia? Que tipo de fantasia? Ela perguntou se lembrando da galinha que tinha usado poucas semanas.

– De dançarina de can can. A novela é dos anos 20 e tudo será temático hoje à noite.

– Não tenho problemas com fantasia. Ela respondeu achando graça e seguia se lembrando da fantasia de galinha.

“Nada pode ser pior que aquela galinha.” Ela pensava.

– Que bom! Depois que desliguei o telefone pensei que teria sido importante te falar sobre a fantasia. Ainda bem que não se importa.

– Estou começando a me preocupar com essa fantasia. Ela disse de maneira divertida.

– Não se preocupe. Estou certo que ficará muito bonita. Ele respondeu. E parecia que estava dando mole para ela.

Ela ficou constrangida.

Quando chegou no local onde trocaria de roupa encontrou uma fantasia com um espartilho tomara que caia preto, meia arrastão e um tutu vermelho. Nina ficou em pânico.

“Meu Deus!” Ela pensou enquanto olhava a fantasia.

– Agora te entendo Caíto. Não tenho corpo para uma roupa dessas. Tem plano B? Ela brincou.

– Nina você é muito bonita. Estou certo que ficará muito bem com essa fantasia. Como poucas.

– Te ouvindo quase acredito.

– Estarei aqui fora. Me avise se tiver qualquer problema.

– Combinado.

Ele saiu e ela pegou a fantasia.

“Por que essas coisas acontecem comigo? A galinha pelo menos escondia o meu rosto.”

Ela terminou de se vestir e acabou ficando deslumbrante naquela fantasia. Seus seios pareciam maiores a cintura mais fina.

“Uau” Ela disse para si mesma enquanto se olhava no espelho.

Ela saiu, se sentindo um pouco constrangida.

– Pronta? Ele perguntou chocado ao vê-la e totalmente encantado. – Você está muito bonita Nina!

– Sim, pronta. Obrigada! Ela respondeu totalmente constrangida.

– Você vai fazer uma maquiagem. Venha comigo.

– Eu não vou precisar dançar né? Ela brincou, mas um lado dela realmente se preocupava.

Ele riu.

– Não! Fique tranquila. Ele respondeu achando graça da pergunta dela.

– Vou somente servir bebidas e canapés em bandejas, certo? Ela perguntou.

– Certo! Ele riu, mais uma vez.

– Oi Madá. Essa é a Nina. Disse ele apresentando Nina a cabeleireira.

– Oi Nina. Que linda você está.

– Obrigada! Prazer te conhecer Madá.

– O prazer foi meu. Sente-se aqui.

Nina se sentou e em poucos minutos a maquiagem leve com olhos esfumados e batom vermelho estava pronta. Madá finalizou a produção colocando uma tiara de plumas vermelhas na cabeça dela.

– Você está deslumbrante. Parece uma das atrizes da novela. Disse Madá ao concluir a produção dela.

– Você é muito gentil. Nina respondeu se olhando no espelho e ficando chocada com a sua imagem. Ela estava realmente deslumbrante.

“Queria que o Roberto me visse assim.” Ela pensava.

Nina foi para a copa, que era a área onde as pessoas que serviriam na festa estavam. O lugar estava cheio de pessoas fantasiadas e muito bonitas.

Como acontecia sempre, uma pessoa reuniu todos e passou as recomendações para a noite, reforçando que era para não se envolverem em fotos, conversas, pedidos de autógrafos para celebridades.

Nina se perdeu em seus pensamentos e se lembrou de Roberto e da falta de notícias dele. Era a primeira que ele sumia dessa maneira.

Ela teve seus devaneios interrompidos por uma mulher que lhe entregou uma bandeja cheia de canapés.

Nina começou a circular pelo ambiente e se maravilhou com o lugar. Estava tudo customizado e ela parecia ter feito uma viagem no tempo para os anos 20.

“Só faltava encontrar com o Rodrigo Santoro. Para essa noite ficar ainda mais mágica.” Ela pensava enquanto circulava com a bandeja. O Rodrigo Santoro era o homem da vida dela no mundo das ideias. Era aquele homem com quem ela trairia o marido, se tivesse oportunidade. O único com quem ela buscava autorização para trair se tivesse oportunidade.

Nina se lembrou do seu primeiro namorado e das conversas que envolviam o Rodrigo Santoro e Angelina Jolie. Eles conversavam sobre homens e mulheres dos sonhos, que se encontrassem poderiam ficar sem que se configurasse traição. Nina dizia que era o Rodrigo Santoro e ele a Angelina Jolie. Ela achou graça da lembrança e começou a rir sozinha.

Ela serviu várias celebridades e não tinha ideia de quem estaria ali naquela noite, até que o Rodrigo Santoro se materializou na frente dela.

E de repente parecia que seus desejos todos seriam realizados naquela noite e ela parecia estar sonhando.

– Boa noite! O que você tem aí? Ele perguntou para ela.

– Canapés de queijo brie com geleia de pimenta. Ela respondeu tentando parecer tranquila e profissional, mas com as pernas tremendo, sem acreditar que ele tinha aparecido no momento em que ela tinha pensado nele.

– Isso me parece delicioso. Ele disse jogando algum charme para ela.

– Acredito que sim. Experimente um. Ela disse.

– Acho que não vou resistir e vou pegar um.

– Aproveite! Ela sorriu.

– Como é seu nome? Ele perguntou para ela.

– Nina. E o seu? Ela perguntou sem pensar. Se arrependendo completamente, já que sabia exatamente quem ele era e o nome dele.

Ele achou graça.

– O meu é Rodrigo. Lindo nome Nina.

– Obrigada. Ela respondeu. – Licença, mas preciso circular com a bandeja, ou tomo bronca. Ela respondeu se lembrando do quão brava era a mulher que supervisionava o trabalho deles.

– Não quero que tome bronca por minha causa. Ele disse mais charmoso do que nunca.

– Até já. Ela disse.

– Até. Ele respondeu olhando ela nos olhos.

Nina saiu dali sem ar. O homem que era o sonho de consumo da vida dela, tinha acabado de dar encima dela.

“Que noite é essa Meu Deus? Parece que entrei em uma capsula mágica. E por onde será que o Roberto anda?” Ela pensava consigo mesma, sem o seu celular e sem ter ideia se ele tinha dado alguma notícia.

Ela seguiu circulando e serviu várias celebridades. Durante a noite tiveram performances de danças e Rodrigo tinha sumido depois daquela conversa meio desconcertante.

“Será que aconteceu mesmo. Ou foi minha imaginação? Ela pensava, acreditando mesmo que podia ter acontecido somente na cabeça dela, no momento em que ele apareceu novamente.

– Nina! Aí está você. Eu estava te procurando. Ele disse. – Aliás estou de olho em você a noite inteira.

– Aqui estou eu. Ela respondeu, sem ter ideia do que sentir e do que falar para ele.

– O que temos aí? Ele perguntou olhando para a badeja dela.

– Canapés de carpaccio.

– Me parecem bons também. Ele respondeu.

– Aproveite então.

– O que você vai fazer saindo daqui hoje? Ele perguntou.

Ela não podia acreditar.

– Vou para casa. Não tenho planos. Costumo acabar esses dias bem cansada.

– Queria que você viesse comigo para uma festa de um amigo.

Nina não sabia o que dizer. O homem que ela mais amava no mundo das ideias estava chamando ela para sair.

– Vamos ver como terminará essa noite. Pode ser?

– Pode! Vou te cobrar uma resposta! Ele disse no momento que foi capturado por alguém.

Nina seguia sem ar. Ela sabia que aquilo era errado. Ela tinha um namorado maravilhoso e estava dando mole para outro homem. Não importava se o outro homem era o homem da vida dela do mundo das ideias. Aquilo parecia muito errado para ela e isso a fazia sentir-se culpada.

A noite chegou ao final e Nina sentia que voltava a ser ela mesma e que aquela noite encantada estava acabando. Enquanto se trocava, parecia deixar a dançarina de can can sexy, para ser de volta a Nina.

Ela procurou por uma resposta de Roberto à sua mensagem, mas ele não respondeu. E então, mais preocupada do que brava com a ausência de notícias dele, ela resolveu ligar para ele, mas ele não atendeu. Ela se chateou e tratou de se apressar para ir embora dali.

Ela tirava a maquiagem quando bateram na porta.

– Oi Nina. Disse Madá abrindo a porta.

– Oi Madá.

– Tudo bem aí? Precisa de ajuda? Madá perguntou.

– Sim! Já estou terminado.

– Tem um moço aqui a fora aflito para falar com você.

– Diga que estou saindo.

– Direi. Ela disse fechando a porta.

Nina terminou de se arrumar em segundos e saiu pensando que encontraria Caíto com alguma desculpa para falarem, depois do comportamento mais saidinho dele naquela noite, mais cedo.

Quando abriu a porta encontrou Rodrigo Santoro esperando na porta.

– Finalmente te encontrei. Ele disse. – Você ficou me devendo uma resposta.

– Você estava falando sério mesmo?

– Claro que eu estava.

– Estou realmente cansada. Preciso ir para casa.

– Acho realmente uma pena.

– Me desculpe. Quem sabe outro dia. Ela disse.

– Quem sabe outro dia então. Ele disse dando um beijo na bochecha dela que a deixou arrepiada da cabeça aos pés.

Eles foram andando juntos até a saída e o carro que levaria Nina já estava lá.

– Foi um prazer te conhecer Nina. Ele disse dando outro beijo na bochecha dela. – Tomara que eu seja convidado para mais festas onde eu possa te encontrar.

– Para mim também foi um prazer. Boa festa para você. Ela disse entrando no carro, dando graças a Deus que o carro já estava ali, porque sentia que não resistiria a mais nem um minuto na presença dele, sem perder o controle e a cabeça.

Ela fechou a porta e tentava retomar o ar quando o carro arrancou.

Nina não podia acreditar que tinha falado não a um convite vindo do homem da sua vida e voltou a tentar falar com Roberto. Já se passava da meia noite e ele seguia sem dar nenhuma notícia.

Já chegando em casa, Nina passou pelo prédio de Roberto e viu todas as luzes do apartamento dele apagadas.

“Que estranho! Onde será que ele está? Será que ficou sem bateria e já está dormindo?” Nina pensava, já dentro do elevador em seu prédio. “E o que foi essa noite? Meu Deus! Quando imaginei na vida que uma coisa dessas poderia de fato acontecer? Que o Rodrigo Santoro ia me chamar para sair? E que eu diria não!!!”

O coração de Nina tinha sentimentos confusos naquela noite e ela demorou para conseguir pegar no sono.

Ela acordou cedo em um sobressalto, depois de ter tido um pesadelo com Roberto e não conseguiu voltar a dormir. Então resolveu levantar e ir tomar café da manhã com Roberto na casa dele. Se trocou, lavou o rosto, escovou os dentes e saiu de casa pouco depois da seis da manhã.

Ela subiu e usou a chave que tinha para entrar no apartamento dele. Foi caminhando bem devagar para o quarto para fazer uma surpresa para ele e quando chegou, seu coração quase parou. Ele não estava lá e não tinha dormido em casa.

“Onde ele está? Meu Deus!”

E resolveu ligar para ele.

O telefone tocava e ele não atendia.

Ela ficou ali mais um pouco, deu comida para Borges e seguiu esperando que ele entrasse pela porta.

Já se passava das sete da manhã e ela já se desesperava. Resolveu voltar para a sua casa e seguia insistindo em ligações para ele, mas sem resposta.

Ela já estava de volta em casa fazendo um café, quando ele ligou.

– Oi Nina, bom dia! Tudo bem? Vi várias ligações suas.

– Oi Roberto! Eu estava preocupada. Você sumiu ontem. Não respondeu minhas mensagens e não retornou minhas ligações. Fui para a sua casa, tomar café da manhã com você e te fazer uma surpresa, mas vi que você nem voltou para casa. Fiquei preocupada. Desesperada na verdade.

– É uma longa história. Te explico hoje à noite. Jantamos juntos?

– Onde você dormiu Bob?

– Te conto à noite. Se eu contar agora, fora do contexto, você não vai entender e estou certo que não vai terminar bem.

– Não vou esperar até a noite. Onde você dormiu, Bob?

– Nina, por favor, podemos falar hoje à noite?

– Não Bob! Não podemos. Onde você dormiu?

– Na casa da Raquel. Ele respondeu. – Estou saindo daqui agora.

O chão se abriu aos pés de Nina e ela não podia acreditar no que estava ouvindo.

CONTINUA…

O CAPÍTULO 17 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

4 thoughts on “Capítulo 16 – Cápsula Mágica

  1. Ora, Ora, ora; e ele começa a se tevelar; o Don Juan começa a se revelar, depois daquele evento dos infernos em que ela passou por poucas e boas ele não diz uma palavra carinhosa; e na primeira oportunidade, vai matar a saudade da ex; e vem sempre com as promessas de surpresa para distrair a atenção dela! Espero que tenha uma boa explicação no próximo capitulo, porque ela parece já estar perdendo um pouco a paciência; Aliás foi a melhor parte ele querer conversar à noite e ela dizer um sonoro NÃO! Está mais alerta!!!! Espero que se mantenha firme!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *