Capítulo 19 – Acordando de um Sonho

Eles já estavam chegando na casa de Vitória e o sol terminava de se por quando Eric a surpreendeu completamente:

– Muito obrigado por tudo isso que você me deu. Materializamos a exposição e estamos evoluindo muito além do que eu esperava. Estamos dando um formato muito melhor do que eu esperava. Você foi muito além nessa exposição. Você me mostrou seu lugar especial no meio do nada e me apresentou uma sensação de paz e felicidade que eu não conhecia.

– De nada! Fico feliz por ter te dado tudo isso. Tudo é tão simples e me surpreende ter surpreendido tanto.

– Acho que foi por isso que me surpreendeu. E por isso quero te fazer um convite.

– Nossa! Um convite?

– Sim! Estou indo para a Itália no meio dessa semana para um trabalho e quero que você venha comigo, se puder. Você disse que ainda não conhece a Itália. Então, eu gostaria de retribuir te levando para conhecer a Itália.

– Nossa! Itália? Não conheço mesmo a Itália. Nada da Europa ainda, na verdade. Mas assim, tão rápido?

– Em três dias precisamente.

– Eu adoraria, mas não tenho dinheiro para isso.

– Você será minha convidada. Não estou te convidando para você pagar. Venha por favor. Aceite! Será um prazer ter você comigo.

– Vou pensar.

– Preciso que me responda hoje. Minha secretária terá que providenciar tudo amanhã de manhã. Temos pouco tempo. A Itália está te chamando baby.

– Vou pensar e te respondo. Obrigada pelo convite e boa sorte com o seu compromisso de última hora.

– Obrigado! Espero sua resposta…. Ansioso.

Vitória foi se despedir dele para sair do carro e não sabia onde beijá-lo. Ela ia em direção ao rosto dele, quando ele a puxou para os seus braços e lhe deu um beijo de tirar o folego.

– Nunca vou conseguir te agradecer por tudo isso que você fez e me deu. Boa noite!

– Boa noite! Respondeu ela ainda sem fôlego.

Vitória caminhou em nuvens até sua casa e desde que recebera o convite, a Italia não saia da sua cabeça. Ela ponderava sobre os prós e os contras de aceitar o convite quando sua amiga Tatiana a interrompeu com um telefonema.

– Oi Tati. Tudo bem? Disse quando atendeu Vitória.

– Bem e você? Saudades. Vamos ao cinema hoje?

– Nossa… que inesperado. Disse rindo Vitória. – Meu final de semana está cheio de convites inesperados.

– Como assim? Perguntou Tati curiosa.

– Te conto pessoalmente. Vamos ao cinema! Saudades imensas de você!

– Eba! Então passo para te pegar em 30 minutos. E estou aqui me corroendo de curiosidade.

– Vem logo então. Porque não vou adiantar mais nada, além do que já adiantei.

– Estou indo! Beijos

– Beijos

Vitória correu para se arrumar para esperar a amiga e seguia com a Itália e o convite surpreendente de Eric na cabeça.

Tatiana chegou e Vitoria se sentia feliz em poder dividir sua duvida sobre aceitar ou não o convite de Eric com ela.

– Oi Vick! Que saudade. Pode ir me contando que convite foi esse! Disse Tatiana enquanto a Vitória entrava no carro. – E também quero saber de tudo que aconteceu nesse final de semana de trabalho no campo.

– Tati! Tem mil coisas para te contar. O final de semana foi maravilhoso. O trabalho foi incrível. Fizemos tudo que tinha para ser feito e eu estou gostando cada vez mais do formato que essa história está ganhando.

– Amiga! Super me importo com o trabalho e adoro o fato de estar tudo caminhando tão incrivelmente bem, mas por favor, me conte sobre beijos, sexo e romance.

– Calma. Vou contar. Ficamos juntos nesse final de semana. Transamos, trocamos ideias incríveis, nos conhecemos melhor. Ele me agradeceu por ter apresentado uma felicidade mais simples para ele, que confessou nunca ter vivido aquela simplicidade, e ainda falou sobre ter poucas lembranças da infância ou vínculos com o passado dele. Ele pareceu encantado com o que eu apresentava para ele e deixava isso muito claro para mim o tempo todo.

– Meu Deus! Você vai namorar aquele gostoso.

– Não acho que vou amiga. Ele me dá a sensação de que vai embora a qualquer momento.

– Por que? Como assim?

– Primeiro, porque acho que ele não é homem de relacionamento com uma única mulher e em segundo porque acho que sou uma mulher comum demais para ele. Ele namora top model. Ele é famoso. Não tem porque ficar comigo, se pode ficar com qualquer mulher mais bonita e poderosa do que eu.

– Vick! Você é uma mulher incrível e acho um grande absurdo você falar isso. Quanto a ele nunca ter ficado com uma única mulher… é mais complicado, mas pode ser diferente com você. Talvez ele ainda não tenha encontrado a mulher certa. E você nunca saberá se não tentar. Se não pagar para ver.

– Tati, você tem razão… mas tem algo no meu coração que não me deixa sentir diferente. Vai além da razão, minha amiga. É como viver uma grande ilusão. Como se fosse possível viver somente o lado bom a vida. Com ele, tudo é divertido, glamuroso, mas superficial também. Não sei explicar de onde vem. Mas parece um sonho que vai acabar a qualquer momento.

– Entendo você amiga. Quando o coração fala a gente precisa respeitar. E por falar em sonho e coração… como anda o Thomás?

– Estamos nos falando de vez em quando. Ele me acalma. Fico feliz quando falo com ele. Mas ele ainda está enrolado com a ex namorada. Ele está distante também. Mas ele ainda é como o meu porto seguro. Fico feliz quando tenho notícias dele. De saber que ainda está por ali.

– E ele é totalmente louco por você. Sempre bom pontuar.

– Mas não fez de tudo para ficar comigo. Ele bem que me colocou de lado.

– Amiga , não viaja. Ele não te colocou de lado… ele estava vivendo uma situação complicada e você foi seduzida por uma vida glamurosa com um fotografo charmoso que ainda te deu um projeto profissional incrível no momento que você mais precisava.

– E por falar em glamurosa… Preciso te contar sobre o convite…

– Sim! P-E-L-O-A-M-O-R-D-E-D-E-U-S. Interrompeu Tatiana empolgada.

– O Eric me convidou para ir até a Itália com ele. Ele está indo para um trabalho e me convidou para ir ele. Disse que ele conheceu um mundo novo comigo e quer me apresentar um mundo novo também.

– N-Ã-O A-C-R-E-D-I-T-O que ele te convidou para ir para a Itália! Como assim? Quando vocês vão?

– Não sei se vou. Ainda não respondi.

– Como assim?? Ainda não respondeu? Claro que você vai.

– Sei lá se devo ir.

– Amiga, por que você não deveria ir?

– Por que isso seria um próximo passo na relação… sei lá. Pelo menos a que pode existir na minha cabeça.

– Vick, ele não te pediu em casamento. Só te convidou para ir viajar. Você deve ir. Vai aproveitar a sua vida. Vamos! Liga agora e diga que você vai.

– Você tem razão! E eu quero tanto conhecer a Itália… Vou ligar.

Vitória pegou o celular para ligar para Eric e dizer que aceitava o convite e que iria com ele, mas ele não atendeu. Então enviou uma mensagem dizendo que aceitava o convite.

– Ele não me atendeu. Deve estar agora com outra mulher. É disso que estou falando. Ele parece viver várias vidas em uma.

– Vick, não coloca caraminhola na cabeça. Seja feliz. Aproveite ao máximo os seus momentos de felicidade.

-Você tem razão. Vou me preocupar menos.

– Sim! Por favor. Você sabota demais sua própria felicidade. Vá para a Italia, corra riscos, volte destroçada ou feliz. Você terá vivido algo incrível que certamente te ensinará muito para a vida. Agora deixar de viver algo incrível assim por medo de… sei la de que. Não! Não vou deixar. Sou sua melhor amiga e preciso ser seu lado insano.

– Ok ok ok! Você tem toda razão. Se vou voltar destroçada ou feliz, não me importa. A única coisa certa é que vou para a Itália.

– Muito bem! Agora vamos nos cotovelar para comprar os ingressos dessa estreia concorridíssima.

– Vamos. Respondeu Vitória muito mais aliviada depois de ter dividido tudo aquilo com a sua melhor amiga.

E assim elas terminaram aquela conversa totalmente decisiva para Vitória relaxar e aceitar a felicidade em sua vida. E enfim, elas entraram no cinema para assistir à uma comédia romantica com direito à pipoca, refrigerante e chocolate.

Antes de dormir Vitória checou o seu celular, mas não tinha nenhuma mensagem de Eric, que até aquele momento parecia não ter visto a mensagem dela e não saber que ela tinha aceitado o convite. Ela começou a pensar sobre o que era certo e errado novamente e de repente a voz de Tatiana apareceu na sua cabeça: “Aceite a felicidade amiga”. E ela resolveu parar de pensar, relaxar e dormir.

A segunda começou com uma ligação de Eric empolgado por Vitória ter aceitado o convite dele e pedindo para que ela passasse seus dados por email para a secretária dele. Ele também a convidou para uma reunião de briefing com Manuela, a produtora, no final do dia. A ideia dele era passar o briefing para a Manuela para que ela pudesse trabalhar nas agendas e na produção enquanto eles iam estar na Itália. Vitória sentia um tremendo frio na barriga ao pensar no que estava por vir e não sabia o que a deixava mais empolgada.

No final do dia se reuniram com a produtora e ficaram todos empolgados com as boas perspectivas. Manuela era a melhor produtora do mercado e eles confiavam que ela seria capaz de materializar a grande expectativa que eles tinham.

Eric tratou Vitória de maneira mais carinhosa do que o normal e confessou estar muito mais feliz do pensava, por ter a companhia dela na viagem. Ela tentava não se iludir, mas acabou se entregando dizendo que também estava muito mais feliz do que pensava por ter aceitado o convite.

Naquela noite não teve sexo, apenas trocaram beijos e carinhos e conversaram sobre trabalho.

Os dois dias seguintes foram dedicados a preparar a viagem: fazer a mala, comprar algumas coisas, como lingerie e pijamas novos. Vitória mal conseguia dormir e já tinha lido o guia da Itália tantas vezes, que já sabia tudo decor. Ela fez um roteiro com todos os lugares que gostaria de conhecer e explorou a internet atrás de dicas de blogs de viagem para aproveitar ao máximo a região.

O dia da viagem finalmente chegou e Vitória, apesar da enorme empolgação, se sentia estranha ao lado de Eric no salão de embarque. Ela não entendia o papel dela naquela viagem, porque dessa vez não estavam indo a trabalho. E ele parecia relaxado e feliz, sem ter nenhum pensamento complexo passando em sua cabeça. O que deixava Vitória ainda mais confusa sobre tudo que estava acontecendo. Mas expectativa de pisar em solo italiano em algumas horas fazia todo pensamento negativo se dissipar da sua cabeça.

– Dou todo o meu dinheiro por seus pensamentos. Disse Eric de maneira divertida.

– Te conto eles de graça. Estou pensando que em algumas horas estarei em solo italiano. E mal posso acreditar. Vou começar a minha descoberta da Europa pela Italia, um dos meus lugares preferidos no mundo. Um dos que mais quero conhecer. Respondeu empolgada.

– Vick, sua empolgação é contagiante.

– Como será a agenda por lá? Você vai trabalhar muito?

– Na verdade vou trabalhar bastante. No primeiro dia, não tem fotos e vamos poder passear bastante. Vamos onde você quiser. Nos 3 dias seguintes, terei a manhã livre, mas a tarde toda tomada. No quarto dia a manhã tomada, desde bem cedinho e uma festa à noite, que precisaremos ir. Você pode me acompanhar nas fotos, porque as locações são lindas, ou pode fazer seus programas para explorar a cidade. Ficaremos em Roma os 4 primeiros dias e depois vou te fazer uma surpresa, porque o útlimo dia de fotos acontece em uma locação linda em outra cidade.

– Uma surpresa! Adoro surpresas. Vou pensar sobre te acompanhar ou não. Fiz um roteiro, pensando justamente que você estaria ocupado e eu precisaria me ocupar.

– Me deixa ver o seu roteiro. Pediu Eric curioso.

– Claro. Respondeu Vitória tirando um papel de dentro do seu guia da Itália

Ele olhava atentamente e um sorriso apareceu em seus lábios.

– Você trabalhou bem. Disse ele. – Estão todos os lugares imperdíveis de Roma aqui.

– Que bom! Pesquisei bastante nesses últimos dias.

– Algumas das locações são nos lugares do seu guia. Podermos estar juntos. Disse Eric empolgado.

– Fico feliz! Será mais gostoso estar com você do que sozinha.

– Fico feliz em saber que é melhor estar comigo do que sozinha. Brincou Eric.

– Não foi isso que eu quis dizer. É sempre melhor estar acompanhada. Mas você ia travalhar então não tinha essa expectativa. Explicou-se Vitória.

– Eu já entendi. Você é muito engraçada Vick!

– Todo mundo tem me dito isso ultimamente.

– Engraçada e leve. É uma delicia estar na sua companhia.

– Obrigada! A sua também não é nada mal. Respondeu Vitoria de maneira tímida.

E nesse momento o voo deles foi chamado e aquele sonho que começara há 3 dias começava de fato a virar a realidade.

O vôo foi muito tranquilo, mas Vitória mal conseguiu dormir. Uma onda de adrenalina percorria seu corpo e ela não conseguia nem pensar em dormir. Assistiu à varios filmes e observou Eric dormir por alguns momentos. “Será que um dia esse homem poderá ser somente meu? Será que um dia ele será de uma única mulher?” Pensava ela enquanto o observava dormir.

Eles chegaram na Italia e Vitória agradeceu silenciosamente a oportunidade de estar pisando em um país novo no momento em que saiu do aeroporto em busca do táxi. “Itália! Estou aqui. Isso está mesmo acontecendo.” Pensava ela enquanto Eric se preocupava em conseguir um táxi.

Vitória ia em silencio olhando atentamente cada detalhe pela janela do carro. Ela tinha um sorriso espontâneo no rosto, que aparecia mesmo sem ela querer. Enquanto isso, Eric olhava para ela encantado. Ele não conseguia olhar para lugar nenhum além da expressão de felicidade e encantamento no rosto de Vitória.

– Nossa! A Fontana di Trevi! Quero vir aqui jogar minha moeda, para garantir minha volta à Roma! Disse Vitória empolgada saindo do seu momento de contemplação.

– Você poderá vir todos os dias. Nosso hotel fica a uma quadra daqui.

– Não acredito! Que legal. Já vi essa paisagem em tantos filmes. Queria muito conhecê-la pessoalmente.

– Pode preparar as moedas.

– Obrigada por tudo isso! Estou realmente muito feliz.

– De nada Vick. Estou retribuindo o que você me deu na semana passada.

Eles chegaram e foram direto para o quarto. Eric mal fechou a porta e partiu para cima de Vitória. Ele a beijava apaixonadamente e começava a tentar tirar as roupas dela, enquanto ela só pensava que queria tomar um banho. Não se sentia bem em transar com ele depois de ter viajado a noite a inteira. E nesse momento ela se lembrou de Thomas. E da noite maravilhosa deles que terminou sem sexo porque ela resolveu tomar um banho. E mesmo estando no paraíso, nos braços de um homem deslumbrante, realizando um sonho, ela sentiu saudades de Thomas e de toda a simplicidade e paz que vinham com ele.

– Eric! Onde você acha que está indo? Disse Vitoria interrompendo o beijo.

– Te dando as boa vindas à Itália! Respondeu empolgado.

– Eu realmente preciso tomar um banho antes.

– Que tal tomarmos um banho então? Eu também preciso tomar banho.

– Então resolvemos tudo tomando banho juntos.

E assim eles foram tomar banho juntos e Eric beijou o corpo de todo de Vitória. Eles saíram do banho e foram direto para a cama. Dormiram um pouco. Vitória acordou, sem saber direito onde estava, quando se deu conta de que tudo aquilo era real. O Eric estava no telefone quando ela acordou.

– Hey! Acordou! Você estava dormindo tão bem que não quis te acordar.

– Eu dormi bem mesmo. Eu precisava descansar um pouco. Mal dormi no avião.

– Então está pronta para começar a explorar a cidade?

– Sim! E faminta. Preciso comer alguma coisa.

– Então sugiro comermos algo rápido aqui perto do hotel, porque a noite quero te levar para jantar em um lugar muito especial.

Vitória não conseguia acreditar que tudo aquilo estava mesmo acontecendo. E parou por alguns segundos para pensar no responderia para ele.

– Te entrego o resto do meu dia e a minha noite nas suas mãos então.

– Vou me esforçar para merecer essa entrega. Agora vamos. Quero aproveitar a luz do dia com você.

Eles caminharam de mãos dadas até a Fontana di Trevi e Vitória finalmente fez seu pedido e atirou a sua moeda na fonte. Eles comeram sanduiches ali na praça e depois caminharam pelas ruas e exploraram pontos turísticos da cidade.

Vitória se maravilhava a cada esquina, e podia sentir toda história que aqueles lugares tinham presenciado. As obras de arte estavam fora dos museus, espalhadas pela cidade em forma de arquitetura, escultura e água. Tudo parecia arte e tudo parecia poesia, principalmente quando ela sentia o toque da mão de Eric na sua mão.

Quando já estava quase anoitecendo Eric convidou Vitória para jantar. Foram para o hotel e ambos se arrumaram para uma noite especial. Vitória sabiase vestir bem e deixou Eric de boca aberta, sem fala, quando chegou no quarto pronta para sair.

– Uau! E foi tudo o que ele conseguiu falar.

Vitória riu.

– Vamos? Disse ela de maneira charmosa.

– Vamos!

Eles foram em um dos restaurantes mais badalados da cidade. Um lugar de passagem obrigatória na cidade e que era frequentado pela alta sociedade e celebridades locais e internacionais. Era um lugar moderno, que ficava dentro de um dos prédios mais antigos da cidade e contrastava com a paisagem de séculos atrás, que se via pelas enormes janelas.

Durante o jantar a conversa fluiu e eles falaram dos mais variados assuntos. Eric contou sobre o trabalho para uma grife italiana de alta costura que o trouxe para a Itália e Vitória contou sobre sua formação e paixão por moda. Eles falaram sobre o projeto da exposição de beleza e fizeram planos para o futuro. Divagaram sobre quais os países as exposição poderia percorrer. Falaram da família e de como viam o futuro. Eric confessou a Vitória que começava a repensar o assunto paternidade em sua vida. Ele nunca quis ter filhos ou uma família, mas agora, perto dos 40 anos começava a considerar essa possibilidade. Vitória disse que não conseguia materializar o futuro ainda e que não sabia se queria filhos e família ou se preferia a liberdade de poder ir para Paris quando desse na telha.

O jantar estava acabando e eles escolhiam a sobremesa. Vitória percorria o cardápio eufórica na tentativa de entender todo aquele italiano. Ela adora o momento da sobremesa e isso ficava nítido em toda a sua expressão corporal. O entusiasmo de Vitória perdida entre as opções do cardápio, fascinava Eric e o fazia ficar olhando para ela de maneira totalmente encantada. E de repente Eric surpreendeu Vitória completamente:

– Passei a considerar novas perspectivas em relação à casamento e família depois que te conheci.

Vitória engasgou com a água.

– Nossa! Como assim?

– Calma Dona Vitória. Não estou te pedindo em casamento. Somente voltando no assunto sobre o que penso sobre o futuro. Depois que te conheci, vi que existe felicidade na simplicidade. Você me trouxe novas perspectivas que encantaram totalmente.

– Já eu… depois que te conheci fiquei ainda mais confusa sobre querer viver com o coração acelerado ou em paz na simplicidade. E passei a querer menos família, filhos e uma vida comum e convencional. Conheci uma felicidade muito distante da simplicidade. Sua vida nem parece de verdade, parece sonho. É tudo tão bonito, tão glamuroso, tão diferente de tudo que as pessoas comuns fazem.

– E você me mostrou que isso tudo é tão superficial…

– Você parece não ter problemas Eric.

– Claro que tenho problemas.

– Mas não parece. Sua vida parece perfeita. A vida que todos queriam ter.

– Engraçado ver a gente e a nossa vida através de outros olhos.

– Às vezes pode ser surpreendente. Concluiu Vitória. – E por falar em surpreendente. Preciso de ajuda para escolher a sobremesa. Esse cardápio charmoso é indecifrável para mim. Diz Vitória mudando de assunto porque não queria se revelar demais para ele.

– O que você quer comer? Chocolate, frutas?

– Sei lá. Quero algo delicioso que eu só possa comer aqui.

– Que tal uma panna cotta ai frutti di bosco?

– Me parece sensacional sonoramente. Mas do que se trata?

– Um pudim branco com frutos selvagens e calda de caramelo. Esse doce é muito tradicional aqui.

– Então é esse mesmo.

– Vou pedir o mesmo.

Eric chamou o garçom e pediu as sobremesas. Eles se divertiram no final do jantar. A conversa entre eles sempre era contínua e leve. Ambos tinham a sensação que aprendiam coisas novas um com o outro o tempo inteiro.

Voltaram para o hotel em silêncio no táxi. Vitória seguia maravilhada capturando cada detalhe da paisagem pela janela do carro e Eric seguia fazendo o que mais fazia desde que tinham chegado à Roma – olhava para Vitória encantado pela sua expressão de curiosidade e fascínio.

– O que você está sentindo agora Vick? Perguntou Eric curioso, quebrando o silêncio.

– Ai! Tantas coisas. Um misto de gratidão, euforia e encantamento. Estou encantada com Roma. Essa cidade é ainda mais incrível pessoalmente.

– Se eu tivesse que chutar o que passava pela sua cabeça, acho que diria isso. É isso que os seus olhos dizem.

– Então você acabou de aprender mais uma coisa sobre mim. Meus olhos nunca mentem. Mesmo que o meu corpo inteiro queira mentir, meus olhos nunca mentem.

– Uau! Você é mesmo incrível. Disse Eric se aproximando dela.

Sem que ela respondesse nada, ele a beijou carinhosamente deixando o cenário encantador de Vitória para tras na janela do carro.

Eles acordaram cedo depois de uma noite bem dormida. Eric precisava trabalhar e Vitória decidiu ir com ele para o local das fotos porque decidira visitar os locais próximos à locação do primeiro dia de fotos. E para ela estava excelente seguir sua exploração pelo Coliseu, onde aconteceriam as fotos.

As fotos começaram e tudo parecia muito glamuroso. A modelo era umas mais badaladas no cenário internacional, o céu estava particularmente azul e a luz fazia tudo ficar ainda mais bonito. Eric estava deslumbrante fazendo o melhor papel da sua vida, sendo o fotógrafo que consegue tirar o melhor das pessoas para conseguir fotos impecáveis esteticamente, mas com alma. Vitória teve um momento de encantamento que fez seu coração bater mais rápido por Eric.

A sessão de fotos segue depois do almoço e Vitória se despede de Eric para explorar sozinha a cidade no final de tarde. Eles se encontram no final do dia para jantar e Eric leva Vitória a um restaurante onde estavam algumas pessoas do time responsável pelas fotos naquele dia.

A conversa na mesa acontece em inglês e Eric não dá muita atenção à Vitória, que participa pouco dos assuntos, já que não divide aquele universo com aquelas pessoas. Ela sentia aborrecida e sentia novamente a formação de um muro entre o mundo dela e o dele. Quando estava somente com ela, ele parecia um sonho possível, quando tinham outras pessoas envolvidas parecia que tudo desmoronava.

Já no táxi voltando para o hotel, Eric sentindo a distância de Vitória pergunta:

– O que você tem? Algo te aborreceu? Ficou calada a noite toda.

– Está tudo bem. Estou cansada. Andei muito hoje. Visitei muitos lugares. Foram muitas informações para processar. E não tinha muito com o que colaborar nos assuntos falados na mesa hoje no jantar.

– Não parece ser exatamente isso. Algo te chateou.

– Eric está tudo bem! Disse Vitória dando um selinho nele.

Já no quarto, Vitória não queria transar com ele naquela noite porque realmente se sentia triste em relação à noite de figurante que tinha tido. Então resolveu tomar um banho para ver se mandava embora de vez a angustia que estava em seu coração e que sentia ao relembrar os momentos de solidão, mesmo rodeada de tantas pessoas naquele jantar. Ao contrário do que o mundo de simplicidade dela causava em Eric, o mundo de glamour de Eric parecia de fato não ser o mundo dela. Isso a fazia sentir-se diminuída, inapropriada, incapaz de parecer uma daquelas pessoas. “Eu não pertenço a esse mundo… E apesar de ser que aparentemente toda garota quer, parece estar muito longe de ser o que quero.” Pensava ela enquanto sentia a água quente cair sobre suas costas.

Vitória acordou melhor depois de uma noite bem dormida. Encontrou um bilhete de Eric informando o lugar da locação e a convidando para ir para lá se quisesse. Dizendo também que ele havia saído muito cedo pois as fotos precisavam acontecer com o nascer do sol e que ele teve pena de acordar Vitória. Ela se sentia aliviada por ter alguns momentos sozinha no próprio mundo dela, sem precisar impressionar ninguém, nem se preocupar por estar vestida de maneira inapropriada quando comparada às demais pessoas da mesa. Depois de ler o bilhete ela enviou uma mensagem para Eric.

“Acabei de acordar. Obrigada por ter me deixado dormir, porque me fez bem! Vou seguir com minhas explorações pela cidade e nos encontramos no final do dia pode ser?”

Ele respondeu na hora:

“Claro! Como quiser. Hoje sairemos para jantar. Surpresa. Seremos somente nós dois.”

Ela respirou aliviada e respondeu.

“Fiquei animada… e curiosa.”

“Nos encontramos no hotel por volta de cinco horas da tarde. Tudo bem?”

“Sim! Perfeito. Até mais tarde. Beijos”

“Beijos <3”

“Beijos e coração? O que ele quer dizer com isso?” Pensava Vitória surpresa. Mas resolveu relaxar e deixar aquele coração para lá, pelo menos naquela hora. Vestiu uma roupa confortável e em poucos minutos estava na rua começando mais um dia de exploração em Roma.

O dia passou voando e Vitória o aproveitou ao máximos. Conseguiu eliminar vários lugares “must be” da sua lista, fez refeições de absoluto prazer e se conectou com ela mesma, como há tempos não conseguia. Eric chegou cansado e um pouco bravo com a paciência que teve que ter com as algumas brigas de egos que testemunhou ao longo daquele dia.

– Que bom que você já está aqui. Senti sua falta hoje! Disse Eric ao entrar no quarto e realmente feliz por ver Vitória. E indo dar um abraço apertado nela. – Ah como gosto desse cheiro.

– Também senti a sua falta, mesmo tendo um dia maravilhoso. Respondeu ela, estranhando o alívio que ele parecia sentir ao encontrá-la.

– Seu dia foi maravilhoso então? Perguntou Eric, finalmente soltando Vitória do abraço.

– Sim! Já eliminei um monte de lugares da minha lista de desejos aqui de Roma. Hoje foi um dia muito produtivo.

– Me desculpe te deixar tanto tempo sozinha.

– Foi uma delicia estar na minha própria companhia. Percebi que estava com saudades de mim. Por favor não sinta culpa!

– Estou melhor agora. Agora vamos trocar de roupa. Precisamos começar esse jantar antes do por do sol.

– Nenhuma dica?

– Não senhora.

– Mas que tipo de roupa devo usar?

– O lugar não pede nenhum traje especial. Use o que quiser.

– Ok! Disse Vitória com alegria nos olhos e foi se trocar.

Em poucos minutos os dois estavam dentro do carro a caminho do lugar surpresa onde jantariam. Vitoria voltava a ter aquele olhar de expectativa e felicidade que tanto encantava Eric.

Eles chegaram a um lugar em ruínas que parecia ser muito antigo. Sem entender muito bem, Vitória seguia se enchendo de expectativa.

– Uau! Que pitoresco. Diz Vitória ao entrar no lugar.

O lugar parecia abandonado e castigado pelo tempo, mas tinha o jardim mais bonito que já Vitória tinha visto. Depois de andar um pouco, eles encontraram uma mesa posta com muitos talheres, taças e pratos. A mesa tinha uma vista estonteante para o por do sol e para a cidade de Roma que ficava metros abaixo dos seus pés,

Vitória achava tudo tão bonito que sentiu seu coração acelerar.

– Gostou? Perguntou Eric.

– Eu amei! Nunca estive em um lugar assim antes? Quanta beleza há aqui.

– Você tem razão! Há muita beleza aqui. Disse Eric, se referindo mais à beleza de Vitória do que à beleza estonteante do lugar.

– Como você conseguiu isso?

– Tenho muitos amigos em Roma e sentia que precisava te dar especial depois da noite chata que tivemos ontem.

– Isso é demais. Me conquistou totalmente.

Eles foram servidos por um simpático garçom e comeram pratos típicos da Itália. Assistiram ao por do sol, deram risada e beberam duas garrafas de vinho. Conversaram sobre os mais variados assuntos. Relaxaram. Com a sobremesa, e já totalmente tomada pelo vinho, Vitória começou a provocar Eric, com gestos, expressões e convites que o faziam querer tirar as roupas dela ali mesmo. Ela terminou enlouquecendo Eric tirando sua calcinha e colocando na mesa pedindo para que ele guardasse para ela porque sentia que não precisava mais dela, mas não tinha uma bolsa para guardá-la. Eric não resistiu a esse último gesto de Vitória e apressou a ida deles de volta para hotel. No carro seguiam se provocando discretamente que o motorista não percebesse e quando chegaram ao quarto já estavam a ponto de explodir de vontade um do outro.

Vitória acordou antes de Eric e flashes da noite de sexo deliciosa que tiveram se apresentavam na sua cabeça. Olhou ele dormir por alguns segundos e tentava decifra-lo, mas sem sucesso. Sentia um pouco o peso das duas garrafas de vinho na sua cabeça e resolveu ir tomar um banho e dois analgésicos para não deixar uma ressaca atrapalhar seu dia em Roma.

Ela terminava de se trocar quando Eric acordou.

– Bom dia! Disse ele. – Que horas são?

– Quase 10. Respondeu Vitória.

– Estou atrasado! Você me distraiu completamente e esqueci de colocar o alarme. Disse ele se levantando e dando um selinho Vitória.

– Então corre! E me desculpe a distração.

– Ah Vick! Eu adorei a distração. Teria feito tudo de novo.

Eric saiu do banho e enquanto se trocava convidou Vitória para passar o dia com ele.

– Que tal me acompanhar hoje e passar o dia comigo?

– Eu adoraria, mas realmente prefiro fazer turismo e deixar que trabalhe concentrado.

– Te entendo totalmente.

– Fico feliz.

– Hoje teremos uma festa. A grife italiana vai fazer uma festa para comemorarmos o final da produção da campanha. É uma festa de gala. Você trouxe um vestido mais sofisticado?

– Trouxe. Respondeu Vitória com medo do que viria à noite, mais uma vez inserida no frio e glamuroso mundo de Eric.

– O que foi? Está chateada? Não quer ir a festa?

– Não! Está tudo bem.

– As pessoas estão se estapeando para conseguir convites para essa festa. Acho que será muito boa.

– As pessoas se estapeiam por qualquer coisa hoje em dia… Disse Vitória, expondo seus pensamentos sem querer.

– Acho que você tem razão. Agora vamos! Preciso mesmo ir.

– Vamos.

Eles saíram do hotel, se despediram com um selinho. Eric entrou em um táxi e Vitória seguiu caminhando sozinha pela calçada. Ela se sentia feliz de estar sozinha, apesar de gostar muito da companhia de Eric.

Mais um dia passou voando e Vitória decidiu arrumar seu cabelo em um salão de belezas. Ela fez amizades com todos ali, que se solidarizaram com tema de ela ser uma pobre mortal em um reduto de deuses. Eles riram e se divertiram como se conhecessem a tempo e Vitória, por toda a sua simpatia, acabou ganhando uma maquiagem do simpático cabeleireiro que a atendera.

Ela chegou ao hotel e não encontrou Eric. Foi tomar um banho que mais parecia uma aventura, para não molhar cabelo e maquiagem, o que a fazia rir de si mesma.

Saiu do banho sem acabar com o seu cabelo e maquiagem e vestiu seu longo de paetês pretos com mangas compridas e decote generoso. Preocupada com o atraso de Eric pegou seu celular para enviar uma mensagem para ele e viu que já tinha uma mensagem dele.

“O último dia de fotos foi um caos e tudo se atrasou por aqui. Vou me vestir aqui e te encontro na recepção do hotel às oito.”

Ela olhou no relógio e viu que eram oito e cinco e por isso se apressou em descer.

Quando chegou à recepção, Eric já esperava por ela.

– Uau! Você está maravilhosa. Disse Eric encantando.

– Obrigada! E você está lindo nesse smoking.

– Obrigado! Desculpe o contratempo. Vamos senhorita Vitória? Convidou ele, dando o braço para ela.

– Vamos!

E assim, saíram lindos, arrancando olhares encantados de todos os presentes, combinando, como casal, em um contraste preto e bando que ganhava muito glamour com o brilho que vinha do vestido de Vitória.

Eles chegaram à festa que acontecia na Fundação Prada, em um prédio moderno para parecia ser feito de ouro. A festa começou e Eric apresentava Vitória para muitas pessoas badaladas e influentes no mundo da moda, além de celebridades do cinema. Ela não podia acreditar que estava conhecendo pessoalmente as pessoas que tinha estudado na faculdade e que admirava tanto por suas trajetórias de sucesso. As bandejas estavam repletas de bebidas caras e tudo em volta era muito glamuroso. Vitória sentia medo de se mexer e quebrar alguma coisa. Já perto do final da festa, todos muito animados pela bebida, finalmente descontraíram o clima e uma grande balada com pessoas dançando, já descalças, começava dando um novo clima para a noite. Vitória e Eric dançavam animados e se divertiam muito, quando uma mulher deslumbrante, de rosto familiar pediu licença e levou Eric embora.

Vitória sozinha, deixou a pista de dança e foi buscar algo doce para comer para quebrar o efeito de todo álcool que havia ingerido. Ela se sentou para comer seus doces e olhar as pessoas. Já esperava por Eric há mais de trinta minutos, sozinha, quando finalmente o viu de longe conversando animadamente com algumas pessoas e conversando bem de perto e abraçando a cintura da mulher de rosto familiar e um metro e oitenta de pernas, que o havia levado minutos antes. Ela não sabia dizer exatamente o que sentia ao ver aquela cena, mas um alarme começou a tocar no seu peito. Perto da meia noite, se sentindo a gata borralheira prestes a virar abóbora novamente, ela decidiu que era hora de acordar do sonho e voltar para casa.

CONTINUA…

O CAPÍTULO 20 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *