Capítulo 20 – O melhor lugar do mundo

Nina se despediu de Roberto na segunda de manhã e voltou a dormir. Ela tinha mais trinta minutos até o horário que precisava começar a se arrumar para ir à sessão de fotos que faria para a campanha de esmaltes naquele dia. Ela começava a sonhar novamente quando seu telefone tocou anunciando uma ligação da Erica.

– Alô! Ela atendeu sem lembrar onde estava.

– Oi Nina! Precisamos conversar! Almoço de emergência no Ritz do shopping às 13h.

– Erica, bom dia! O que aconteceu?

– Só conto pessoalmente.

– Ok! Estarei lá. Putz! Hoje tenho fotos da campanha de esmaltes. Vou chegar um pouco depois das 13h. Ok?

– Chegue atrasada, mas chegue!

– Ok! Me deixou curiosa.

– Então funcionou! Vou ligar para as meninas. Até já Nina. Não se atrase demais.

– Até já! Beijo.

– Beijo.

Nina ficou ali alguns minutos na cama sem conseguir se mexer. O final de semana tinha sido cheio de atividades e ela estava exausta. Pensou sobre o que poderia ser essa novidade de Erica assim tão urgente e tão inesperada.

“Será que ela vai casar com o Antônio? Eles estão juntos há 2 meses. Seria muito precipitado. Será que ela está grávida? Isso seria ainda mais precipitado. Bom, daqui a pouco vou saber. Melhor levantar daqui e ir me arrumar.” Nina seguia se distraindo com seus pensamentos.

E enfim tomou coragem para se levantar. Tomou um banho rápido e uma xícara de café puro. Pegou suas coisas e saiu em disparada para pegar o taxi que já a esperava.

“Como consigo me atrasar, mesmo acordando mais cedo, meu Deus?” Ela pensava enquanto passava um batom no espelho do elevador.

Ela chegou no estúdio e tinham outras mulheres já fazendo as unhas. Dessa vez a manicure era simpática e contou toda a sua vida para ela, que aproveitava para relaxar um pouco.

Nina foi para o local onde aconteceriam as fotos com as outras garotas e o fotógrafo as esperava.

O fotógrafo parecia dar mais atenção para ela do que para qualquer outra garota ali e isso ficava claro para todos os presentes. Nina ficava constrangida, mas de certa maneira aquilo fazia bem para o ego dela.

A manhã de fotos se estendeu e Nina estava mais de 30 minutos atrasada para o encontro com suas amigas.

Saiu correndo para pegar o taxi que a levaria para o almoço.

Quando chegou no restaurante, encontrou Erica, Maju e Melina já sentadas esperando por ela.

– Amigaaaa! Ainda bem que você chegou. Disse Melina ao vê-la. – A Erica não falou uma única palavra e disse que falaria só quando você chegasse.

– Meninas desculpem o atraso. Acabei demorando mais que o esperado. Agora acabe com esse suspense Erica, pelo amor de Deus!

– Ok! Agora eu conto.

– Peloamordedeus! Disse Maju.

– Vou morar na Europa de novo!

– Como assim? Perguntou Nina.

– Consegui um emprego na Espanha.

– E o Francisco? Perguntou Maju. – Vocês estavam tão apaixonados.

– Ele vai comigo.

– O que vai fazer lá? Vai trabalhar com o que? Perguntou Melina.

– Vou trabalhar como curadora em um museu! Erica respondeu gritando! – Eu já estava no processo quando precisei voltar para o Brasil. Não sei o que houve, mas depois de alguns meses eles me chamaram.

– Amiga!!!! O emprego dos seus sonhos. Disse Nina emocionada.

– Namorado indo junto e emprego dos sonhos. Que demais! Disse Maju.

– Estou tão feliz! Amo vocês. Disse Erica. – Acho que vou pedir um vinho.

– Pede! Não vou voltar para o trabalho hoje. Vou ligar agora e dizer que surgiu um tema pessoal e que estou no celular, se precisarem. Disse Melina empolgada.

– Nem eu! Disse Maju. – E apesar de não poder beber, vou tomar uma tacinha. Minha médica liberou. Ah e por falar em minha médica, serei mãe de uma menininha.

As três gritaram!

– Que legal! Um casal Maju! Me deu saudade das minhas sobrinhas. Disse Nina animada. – E a propósito…

Melina interrompeu.

– “Meudeus”, também está grávida?

– Não! ainda. Mas estou repensando a maternidade depois que o Roberto chegou na minha vida.

– Que máximo! Tenha filhos Nina! Que bom que mudou de ideia. A maternidade é assustadora, mas incrível. Descobri porque estou aqui nesse mundo depois que me tornei mãe. Maju falou emocionada.

– Mas esse Roberto te virou do avesso! Um brinde a isso. Disse Erica para Nina.

– Me virou mesmo amiga! Estou tão apaixonada. Experimentando coisas que eu nem sabia que existiam. Esse final de semana fui para a casa dos pais dele no Rio e me senti tão em casa. Senti que já conheço aquelas pessoas de outra vida.

– Acho bem possível. Respondeu Erica.

– Nossa amiga vai viver novamente longe de nós. Mas estou feliz. Um brinde a isso. Propôs Melina levantando a taça que o garçom tinha acabado de servir em homenagem à nova vida de Erica que se iniciava.

– Tim tim! Disse Erica, com um sorriso que parecia ocupar todo o rosto dela.

– Amiga! Seu coração vive em outro lugar. Fico feliz que ele esteja voltando para casa. Disse Nina apoiando a amiga.

– É mais o menos isso! Meu coração sempre esteve lá. Genteeee e o Francisco vai comigo. Estou tão apaixonada.

– Você merece! Disse Maju emocionada.

– Aproveitando o momento de realizações e próximos passos, preciso dividir uma coisa com vocês. Se me deixarem falar finalmente. Disse Nina, surpreendendo à todas.

– O que houve? Conta logo! Implorou Mel. – Só me falta mais uma amiga indo morar fora.

– Quase isso… disse Nina deixando um suspense.

– Vamos enlouquecer aqui Ninaaaa! Disse Maju.

– O Roberto está indo filmar em Hollywood e ele me convidou para ir com ele. Ficaremos 2 meses lá.

– Amiga, isso é praticamente casamento. Vocês vão morar juntos com poucos meses de namoro. Isso que é amor. Disse Erica, feliz pela amiga.

– Estou tão feliz minhas amigas!

– Ai amiga! Você merece tanto! E finalmente vai começar a conhecer esse mundo que você sonha tanto conhecer. Disse Maju.

– E com um belo homem. Gente, você namora o clone do Bradley Cooper, que além de tudo trabalha com cinema. Nina você superou todas as mortais! Arrasou amiga! E você merece! Isso e muito mais, porque você é muito maravilhosa. Disse Melina, muito feliz pela amiga.

– Vocês são demais meninas! Respondeu Nina.

– Agora me bateu uma preocupação aqui… Vou me casar em novembro e duas madrinhas podem estar fora do Brasil e uma vai estar parindo. Desesperei.

– Amiga, meu bebê é para agosto. Mesmo que eu fique grávida por 40 semanas não chega perto de novembro. Acredito que terei um bebê de 2 meses no seu casamento. Vai dar tudo certo. Disse Maju.

– E eu vou ficar pouco mais de 2 meses fora. Volto no final de julho amiga. Estarei aqui em novembro. Disse Nina.

– E eu volto para o seu casamento! Já negociei férias no Brasil alegando que tenho o casamento da minha melhor amiga! Foi condição para eu aceitar o emprego. Finalizou Erica, garantindo a presença das madrinhas.

Melina começou a chorar emocionada e ficou sem fala.

– Abraço na noiva! Ela se emocionou! Propôs Erica. E nesse momento todas se levantaram para abraçar a amiga.

Elas seguiram ali tarde adentro bebendo vinho, falando de sonhos, maternidade, futuro, casamento, viagens e propósito. De certa maneira todas estavam iniciando algo novo ao mesmo tempo. Melina se casando, Maju grávida do segundo filho, Erica voltando a morar na Espanha e Nina totalmente apaixonada, repensando o amor e a maternidade e iniciando o projeto mais importante de sua carreira com o livro que estava escrevendo.

A noite chegou e elas decidiram ir para a casa de Nina seguir com as comemorações, o vinho e a conversa boa. Avisaram os namorados sobre a noite das meninas na casa de Nina por mensagem de texto e seguiram totalmente dedicadas umas às outras o resto da noite, totalmente desconectadas do resto do mundo. Elas eram somente umas das outras naquela noite. E assim foi até o cansaço bater e cada uma voltar para sua casa.

Nina ficou repassando a noite e as novidades presentes na vida de cada uma de suas melhores amigas e um misto de tristeza e felicidade tomava conta do coração dela ao pensar que sua amiga ia deixar o Brasil mais uma vez e viver, novamente, longe dela.

Por uma noite, Nina esqueceu que tinha um namorado e não se lembrou das ligações dele. Ela foi somente a Nina, a amiga das 3 meninas que estão do lado dela desde sempre. E isso trazia uma tremenda felicidade para o coração dela.

Muitas ideias sobre a história que estava escrevendo passavam na cabeça dela naquele momento e ela decidiu se levantar da cama e ir escrever, mesmo com sono e depois de tantas taças de vinho.

“Não posso virar as costas para a inspiração.” Ela pensava em voz alta enquanto ligava o computador.

Ela ficou ali, na frente do computador por quase 2 horas e conseguiu produzir bastante conteúdo de qualidade. Ela seguia tentando escrever, mas seus olhos se fechavam, quando já se passavam das duas horas da manhã.

Nina dormiu até tarde no dia seguinte e quando acordou viu uma mensagem antiga de Roberto, que ele tinha deixado na noite anterior, depois de 6 ligações não atendidas.

“Oi Nina! Te liguei várias vezes, mas você não atendeu. Imagino que a noite com as meninas esteja sendo muito boa! Surgiu um imprevisto de trabalho e estou indo para Porto Alegre amanhã de manhã. Volto ainda no final do dia. Dependendo do horário podemos jantar. Pode ser?

“Que inesperado Bob. Não atendi ontem porque eu estava com as meninas aqui em casa e acabamos indo até tarde. Não vi as suas ligações. Que pena que não nos falamos. Te espero hoje à noite.”

Ela enviou a mensagem e sentiu um aperto no peito. Uma angustia fora de propósito tomou conta do coração dela.

“Por que ele viajou de maneira tão inesperada? Será que a Raquel está com ele?” E só de pensar nessa possibilidade ela se sentia mais angustiada ainda, com um ciúme irracional e esses sentimentos iam aumentado a angustia no coração dela. “Vou ligar para saber onde e com quem ele está. Ah como minha vida é melhor quando ele está só comigo. Fico descontrolada quando não sei o que está acontecendo! Preciso parar com isso ou vou ficar maluca. Vou ligar para ele. É o mínimo que devo fazer depois de tantas ligações dele. Estou certa de que a voz dele vai tirar toda essa angústia do meu coração.”

Ela ligou para ele, mas ele não atendeu e nesse momento o nível de chateação dela passava do céu.

“Melhor eu levantar e ir tomar um café.” Ela pensava tentando recobrar a sanidade.

Nina terminava seu café quando Roberto ligou.

– Alô! Ela atendeu.

– Oi Nina, tudo bem?

– Bem! E você.

– Precisei vir para o Porto Alegre de última hora para visitar uma vinícola onde faremos parte das filmagens do próximo filme. Te liguei ontem para te contar, mas você não atendeu. Imagino que a noite com as meninas tenha sido ótima.

– Foi incrível! A Erica está indo morar na Espanha novamente. Era essa a surpresa. E o Francisco vai com ela. Comemoramos muito ontem. Contei para elas que vamos viajar juntos. Enfim, foi uma noite realmente deliciosa. Desculpe não ter atendido. Acabamos super envolvidas com o papo e me desconectei do telefone. Fazia tanto tempo que a gente não tinha uma noite dessas!

– Fico feliz que tenha se divertido.

– Você viajou sozinho?

– Não. Ele respondeu simplesmente.

– Quem está com você Bob? Ela perguntou, temendo pela resposta dele.

– A Raquel.

Nina ficou em silencio. O que ela mais temia estava acontecendo.

– Nina, não se preocupe, por favor.

– Não estou preocupada.

– Por favor não fique. Ele implorou.

– Bom trabalho aí para você. Espero que a vinícola seja ótima.

– E é.

– Por que essa viagem tão repentina Bob?

– Foi uma oportunidade. Eles ligaram ontem dizendo que poderíamos vir hoje e estamos muito interessados nessa locação. Por isso viemos hoje cedo.

– Entendi.

– Está aborrecida?

– Está tudo bem Bob. Nos vemos a noite. Juízo aí.

– Pode deixar. Preciso ir agora. Até mais tarde. Beijo.

– Beijo.

Ela desligou o telefone e uma onda de adrenalina e desespero percorreu seu corpo.

“Gente, eu não posso ficar assim todas as vezes que eles estiverem juntos. Preciso confiar nele. Aliás, preciso confiar mais em mim. Não pense mais nisso Nina! Não pense nisso! Não pense nisso! Não pense nisso!” Ela dizia para si mesma, tentando resgatar sua paz.

O dia se estendeu e nem o passeio com cachorros que sempre ajudava Nina a esvaziar a cabeça pareciam ajudar no final daquele dia.

Ela voltava para casa, já com a noite chegando quando Roberto ligou.

– Oi Bob! Ela atendeu na expectativa que ele já estivesse a caminho da casa dela.

– Oi Nina! Tudo bem?

– Sim! E com você?

– Mais ou menos.

– O que houve? Ela se preocupou.

– Cancelaram nosso voo e vou precisar dormir em Porto Alegre hoje. Só volto amanhã.

Nina sentia que estava pegando fogo naquele momento e que uma baforada de fogo dela chegaria em Porto Alegre e atearia fogo em tudo pelo caminho. Ela queria gritar, mas se acalmou.

– Nossa que azar. Queria tanto dormir com você. Ela disse simplesmente.

– Eu também meu amor. Amanhã ficaremos juntos, prometo.

– Combinado! Boa noite Bob.

– Boa noite Nina! Ele respondeu se sentindo aliviado por ela não ter surtado.

– Beijo e juízo. Ela falou.

– Beijo Nina!

Ela desligou o telefone e a angustia, que apenas tinha passado ao redor do coração dela naquele dia, acabava tomando conta de tudo e ela era somente angustia naquele momento.

“Eles devem estar indo jantar juntos agora. Meu Deus! E eu que achava que não era ciumenta e que era segura e controlada. Quem eu queria enganar meu Deus?” Ela pensava querendo se descabelar com aquela situação.

Ela chegou em casa e tentou se dedicar às coisas que a distraiam e a faziam bem. Tentou ler, escrever, assistir um filme, assistir novos episódios da sua serie favorita, mas nada capturou a sua atenção. Seus pensamentos estavam em Porto Alegre e ela se fazia mil perguntas sobre Roberto, a ex namorada e onde eles estariam naquele momento.

Ela seguiu o resto da noite esperando por uma ligação dele. Mas ele não ligou. Ela enviou uma mensagem de boa noite, mas ele não respondeu. A mensagem não parecia nem ter sido entregue para ele.

Ela resolveu abrir uma garrafa de vinho e tentar mais uma vez assistir a um filme e na segunda taça de vinho, de repente, a calma tomou conta dela. Ela se lembrou do amor dele e do fato de ele querer estar com ela, mesmo quando podia estar com qualquer outra pessoa, incluindo a ex namorada, e como se o vinho fosse um bálsamo calmante dos deuses, ela finalmente se acalmou e conseguiu se entregar a um filme que estava a inspirando para algumas passagens do romance que estava escrevendo.

Assim que o filme terminou ela dormiu, ali no sofá, de onde não se sentia encorajada a se mover.

O dia chegou claro, acordando Nina muito cedo. Num sobressalto ela se levantou porque tinha que estar cedo no estúdio para a última sessão de fotos da campanha de esmaltes que tinha começado a fotografar dois dias atrás.

No caminho para o estúdio, ela recebeu uma mensagem de Roberto.

“Fiquei sem bateria ontem e cheguei no hotel muito tarde. Tive um dia muito ruim. Tudo pareceu dar errado. Estou de volta ao aeroporto esperando pelo voo. Tenho uma reunião importante em São Paulo na hora do almoço. Acabando essa reunião, vou para sua casa. Estou com saudades. Beijos Bob.”

O coração dela se acalmou. E ela respondeu simplesmente:

“Que bom que está voltando para casa. Que bom que está voltando para mim.”

“Nos vemos já.”

“Te esperando. Mas tenho uma sessão de fotos hoje e não sei até que horas fico por lá.”

“Vamos nos falando. Te aviso quando chegar. Bom trabalho para você.”

“Obrigada Bob! Bom voo de volta.”

Ele não respondeu mais e Nina voltou a buscar seu autocontrole. “Preciso superar a Raquel.” Ela pensava, no momento em que o táxi estacionou na frente do estúdio.

A sessão de fotos começou e o fotógrafo que parecia ter dado mais atenção a ela do que a qualquer outra pessoa no primeiro dia de fotos, estava muito mais atencioso naquela manhã.

As fotos duraram o dia todo e pouco antes das cinco horas, durante uma parada para um café, o fotografo convidou todos para um happy hour para comemorar o final das fotos.

Nina ponderou, pois Roberto estava voltando de viagem e depois de tantos desencontros era sensato ir encontrar com ele, mas ao mesmo tempo ela sentia que era importante não se mostrar tão disponível e ao  mesmo tempo aproveitava para estabelecer conexões de trabalho e construir uma rede de relacionamentos, então, depois de ponderar muito sobre ir ou não ao happy hour, ela acabou aceitando o convite do fotógrafo.

Ela tinha acabado de concordar com o happy hour quando recebeu uma mensagem de Roberto.

“Oi meu amor, estou liberado. Estou indo para sua casa.”

“Oi Bob! As fotos ainda não acabaram e vou tomar um drink com o time aqui para celebrar o final da produção de fotos para a campanha. Te aviso quando eu estiver indo para casa. Se não ficar tarde, nos vemos.”

“Que pena que não vamos nos ver. Estou com saudades. Aproveite o seu happy hour. Nos vemos amanhã. Beijos”

“Combinado! Até amanhã. Beijo.” Ela respondeu.

Ela tinha acabado de enviar a mensagem e se sentia bem de não estar tão disponível, depois de Roberto ter ficado preso em um outro Estado com a ex namorada, depois de uma viagem tão repentina.

As fotos seguiram por mais 2 horas e o fotógrafo seguia dando mais atenção para Nina do que para qualquer outra pessoa. Isso a fazia se sentir uma mulher irresistível, mas ao mesmo tempo aumentava a saudade que sentia de Roberto.

Um misto de sentimentos tomavam conta dela no momento em que se arrumava para ir ao happy hour com o time da campanha de esmaltes.

Eles chegaram ao bar e por mais que tentasse se divertir e se conectar com as pessoas ali, Nina sentia falta de Roberto e só pensava em estar com ele naquela noite.

Ela foi ao banheiro e retocava seu batom no espelho quando Roberto invadiu seus pensamentos.

“O que estou fazendo aqui?” Então decidiu voltar para a mesa, tomar seu drink, encerrar aquela noite ali e ir se encontrar com Roberto.

Ela se despediu de todos ali e saiu em expectativa.

No caminho enviou uma mensagem para Roberto.

“Estou a caminho de casa. Conseguimos nos ver?”

“Vou para a sua casa. Me avisa quando estiver chegando.” Ele respondeu.

Um arrepio percorreu o corpo dela. “Como sou louca por esse homem, meu Deus!” Ela pensava.

“Combinado” Ela respondeu.

Ela chegou em casa e enviou uma mensagem para ela avisando que esperava por ele.

Foi o tempo te tomar um banho rápido e ele batia na porta.

– Nina! Que saudade. Ele disse assim que ela abriu a porta.

– Eu também! Ela respondeu, se jogando nos braços dele.

A partir daquele momento eles não se soltaram mais. Sem falar mais nada, começaram a tirar as roupas um do outro e transaram ali mesmo na sala.

Eles recuperavam o folego, quando Roberto quebrou o silencio.

– Esse é o melhor lugar do mundo. Ele disse totalmente agarrado nela.

“Como eu amo esse homem. Meu Deus!” Ela pensava enquanto se sentia aliviada e feliz por ele estar ali.

– Esse é o melhor lugar no mundo para mim também. Ela respondeu.

Eles ficaram ali em silencio, curtindo aliviados a companhia um do outro, como se não tivesse existido voo cancelado, viagem repentina, hapy hour com fotógrafo charmoso, ex namorada francesa com dois metros de pernas ou qualquer outra coisa que ocupasse o coração deles além do amor que sentiam um pelo outro.

                                                     CONTINUA…

               O CAPÍTULO 21 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

 

 

2 thoughts on “Capítulo 20 – O melhor lugar do mundo

  1. Esse estica e puxa com essa ex já está passando do limite; às vezes acho que ele é bipolar. Quando está com ela é um príncipe dos sonhos, mas é só ela sair do lado dele e já brota uma ex, ficante, sei lá um motivo para ele ter um compromisso com outra e ela ficar à ponto de cortar os pulsos; relação um pouco tóxica né? Pelo menos quando ela resolve ser firme, consegue com mérito, só espero que a Raquel não vá nessa viagem, porque aí não dá pra piorar!!!!

    1. Olá Andréia, na verdade ele não é bipolar. Nina que fica muito insegura quando ele não está com ela. O Roberto não tem interesse nenhum na Raquel. O problema está mais na cabeça de Nina do que em qualquer outro lugar. Eles inclusive vão falar sobre isso no próximo capítulo! Estou adorando seus comentários. beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *