Helena terminava de se arrumar pensando em surpreender Miguel de alguma maneira. Faltavam vinte minutos para eles se encontrarem e ela resolveu ir surpreende-lo na casa dele.

Ela escolheu um vestido preto com uma saia justa até os joelhos, caprichou na maquiagem e decidiu tirar a calcinha e levar nas mãos para provocar Miguel a noite inteira, começando por uma surpresa logo que ele abrisse a porta.

Ela correu e saiu animada com o seu plano. Ficou repassando suas falas enquanto o elevador descia e sentiu frio na barriga logo que chegou na frente da porta do apartamento dele. Ela respirou, ajeitou o cabelo, tirou a calcinha da bolsa e tocou a campainha.

Ela tremia as pernas em expectativa. Quando a porta se abriu e uma mulher atendeu à porta. Uma loira alta, deslumbrante.

– Pois não. Ela disse abrindo a porta.

Helena ficou sem fala e se preocupou em esconder a mão com a calcinha atrás de si. “Que mulher é essa? E o que ela está fazendo aqui na casa do Miguel?”

– O Miguel está aí?

– Ele está tomando banho. O que você deseja?

– Nada. Diga a ele que a Helena passou aqui, por favor.

– Direi. Boa noite. A loira respondeu fechando a porta.

Helena ficou uns segundos paralisada tentando processar o que tinha acabado de acontecer. Ela pensou em bater na porta novamente e perguntar para o Miguel o que estava acontecendo, mas decidiu ir embora dali.

Quando entrou no elevador as lágrimas começaram a rolar pelo seu rosto.

“Ele estava tomando banho e tinha uma mulher na sala esperando por ele. Será que ele não é o homem incrível que penso que ele é?” Ela pensava no momento em que entrou em casa.

Ela foi direto para o seu quarto e tirou a roupa. Começou a desmontar sua super produção e se sentia sozinha. Colocou de volta sua calcinha e vestiu seu pijama mais confortável. Ela queria as melhores amigas, que estavam muito longe dela naquele momento e isso trazia ainda mais drama para aquele momento.

Ela terminava de tirar sua maquiagem toda borrada quando recebeu uma mensagem de Miguel.

“Oi! Desculpa o atraso. Te explico no jantar. Vamos?”

Helena sentia muita raiva naquele momento e não fazia a menor ideia do que responder para ele. “O que ele pensa que eu sou? Uma tonta? Ele estava com outra mulher agora mesmo, que aparentemente não disse que eu estive lá. Não vou responder. Não vou sair com ele. Não quero falar com ele. Ele disse que me explica no jantar… Acho que eu deveria dar uma chance para ele.”

Enquanto ela pensava no que fazer, ele ligou. Helena deixou o celular tocar e não atendeu. Por mais que ela considerasse ouvi-lo, ela já estava de pijama e sem qualquer vestígio da maquiagem e da produção que tinha feito. Para ela, aquela noite já estava acabada.

Ele ligou novamente e ela não atendeu. Na sequência chegou uma mensagem.

“Oi meu amor. Estou preocupado. Está tudo bem?”

Ela resolveu responder.

“Oi Miguel! Está tudo bem. Mas estou um pouco indisposta. Podemos conversar amanhã?”

“O que houve? Você estava tão animada. Fiquei preocupado. Quero te dar um beijo de boa noite.”

“Miguel nos vemos amanhã.”

“Eu não vou desistir de te ver hoje.”

Ela pensava no que responder, quando sua mãe chegou no quarto dela.

– Meu amor, o Miguel está aqui. Posso deixar ele entrar?

– Pode mãe! Ela respondeu surpresa.

Não deu tempo nem de limpar as lágrimas do rosto e Miguel já estava no quarto dela.

– Hey! O que houve? Ele, se preocupou ainda mais quando viu que ela tinha chorado.

– Miguel, eu fui na sua casa. Queria te fazer uma surpresa e uma mulher abriu a porta. Ela disse sem pensar.

– Era a minha ex mulher. Ela não me disse que você esteve lá.

– Eu imaginei.

– Agora eu entendi o que houve. Meu amor, não existe mais nada entre nós. Ela estava lá porque assinamos o divórcio hoje. Inclusive estou desempregado. Ela ficou com o escritório e com os clientes. Vou começar de novo. Nossos advogados estavam lá também.

– Miguel! Não acredito que você passou por isso hoje e não me disse nada.

– Eu não queria te aborrecer. Foram 6 meses de negociações. Acabou hoje. Desisti do escritório.

– Você vai começar de novo e vai dar tudo certo. Mas por que ela estava na sua casa enquanto você tomava banho? Sei lá. Ela parecia estar em casa. Eu me senti a parte fazendo algo errado. Foi muito estranho. Me senti estranha.

– Os nossos advogados estavam lá também. Enquanto eles organizavam tudo eu fui tomar banho pois não queria me atrasar para nosso jantar. Eles chegaram atrasados, devido a entrega de uma obra hoje. E ainda assim, me atrasei. Ainda assim te magoei. Me desculpe, meu amor.

– Ah Miguel. Eu que me desculpo. Eu deveria ter conversado com você, mas fiquei tão magoada com tudo. Me sentia a pessoa fazendo algo errado com o marido de alguém. Eu não sabia como agir.

– Eu imagino. Mas o importante é que acabou. Estou finalmente livre para recomeçar. Quero celebrar isso com você.

– Vamos. Vou colocar uma roupa.

– Não precisa. Você está pronta para passar a noite comigo na minha casa. O que acha de dormir lá? Pedimos uma pizza e tomamos um vinho especial para comemorar. Você não podia estar com uma roupa melhor.

– Desculpa ter bagunçado nossa noite?

– Eu que te peço desculpas. Imagino o que você sentiu. Não quero te ver triste nunca mais.

– Já passou. Ainda bem que você veio aqui.

– Eu não conseguia entender o que estava acontecendo e como você não respondia comecei a ficar aflito. Agora vamos?

– Sim! Ela respondeu, voltando a sorrir.

– Adoro esse sorriso Helena. Esse sorriso é meu primeiro pensamento do dia.

Helena se derreteu e escancarou ainda mais o seu sorriso. Eles se levantaram e saíram juntos do quarto. Helena foi até o quarto dos pais e avisou que ia dormir na casa do Miguel. Eles pegaram o elevador para o andar de Miguel. Ele super bem vestido, de cabelo penteado com gel e ela de pijama florido com o cabelo preso em um coque.

– Quer saber? Desisti da pizza. Vou cozinhar para você.

– Que delícia! Adoro quando você cozinha para mim. Mas você está mesmo bem? Podemos pedir algo e você descansa um pouco.

– Para mim, a cozinha é uma terapia. Eu descanso a mente enquanto cozinho. E hoje foi o ponto final de uma história que já estava acabada há muito tempo. Estou realmente livre e posso começar de novo.

– E o que você vai fazer? Helena perguntou.

– Eu não faço a menor ideia. Ele disse enquanto abria a garrafa de vinho. – É a primeira vez que não sei o que vou fazer. Trabalho desde a faculdade e sempre tive o escritório. Talvez eu abra um novo escritório, mas quero pensar no tipo de trabalho que vou fazer. O anterior tinha muito foco em decoração e design. Ele seguia dizendo,  enquanto servia as taças de vinho.

“Como ele fica sexy abrindo o vinho. Nossa Helena, vocês estão em uma conversa séria. Que pensamento é esse? Gente não consigo evitar.” Ela pensava e ria de seus pensamentos.

Ele deu a taça de vinho para ela.

– Tudo bem? Ele perguntou.

– Sim! Tudo ótimo.

– Estou adorando esse sorriso.

– Acho que ele veio para ficar. Ela respondeu.

– Ganhei minha noite. Um brinde a esse sorriso. Ele propôs.

– Um brinde ao seu recomeço. Ela propôs. – E às infinitas possibilidades que você tem agora.

– Você é maravilhosa Helena. Tim tim.

– Tim tim. Ela respondeu escancarando mais uma vez o seu sorriso.

Ele começou a organizar a bancada para fazer um risoto. E Helena seguia se perdendo em Miguel e na sua admiração por ele. Ele tinha muita intimidade com a cozinha e seus processos e ela não sabia se era a enorme paixão que sentia por ele ou se ele realmente tinha nascido com dom para a cozinha, mas ela achava ele mais incrível do que nunca. Enquanto ele cozinhava a música combinava perfeitamente com o momento e tudo ganhava certa poesia. De repente a cena da loira na porta da casa de Miguel tinha evaporado e ela perdia totalmente a importância. Helena se sentia grata por ter ouvido Miguel e não ter arruinado aquela noite que estava sendo perfeita.

– Agora você é minha única cliente. Disse Miguel enquanto seguia cozinhando como se fosse o maestro de uma ópera perfeita.

– Que privilégio.

– E de pensar que quando terminarmos seu apartamento você não vai mais morar no andar de cima. Estou fazendo um projeto que vai levar a mulher da minha vida para longe de mim.

“A mulher da minha vida! Foi isso que ele disse?” Helena pensava dando um longo gole no seu vinho.

Ela ficou sem fala.

– Eu nunca vou estar longe de você.

– Assim espero! Ele disse saindo um instante da frente da panela e correndo para dar um beijo nela. – Você é o amor da minha vida Helena.

– E você o amor da minha. Ela respondeu.

Ele voltou correndo para frente do fogão para calar a chaleira que avisava que água tinha fervido.

– Recebeu notícias das suas amigas?

– Não falo com elas há dois dias. A Raissa ia participar da leitura do testamento e a Lara estava super ocupada desde a hora que acordava até a hora de dormir. Essas foram as últimas notícias. Vamos conversar amanhã de manhã. Por falar nisso, vou precisar ir pra casa cedo me arrumar para ir trabalhar. Tenho reunião cedo amanhã.

– Você trabalha demais Helena.

– Eu sei. Mas gosto tanto do que eu faço.

– Isso é realmente um presente. Gostar do que faz. Gosto muito do que faço também.

– E os seus amigos? Tem falado com eles?

– Não muito na verdade. O divórcio e o final da sociedade tomaram todo o meu tempo nas últimas semanas.

– Por que você não disse o que estava acontecendo? Queria ter te apoiado mais.

– Eu não queria te envolver, nem te chatear com isso. Estava acabando e era isso que importava. Acabou e estou feliz e aliviado com isso. Me demandou tempo, mas não me chateou. Eu não via hora que tudo isso acabasse. Principalmente depois que você chegou. Um contrato de casamento, que envolve o contrato de uma sociedade, fica ainda mais complexo quando a sociedade acaba.

– Eu posso imaginar. Vocês começaram o namoro ou a sociedade primeiro?

– A sociedade. Tínhamos um outro sócio. Éramos muito amigos na faculdade. Ele se casou e se mudou para os Estados Unidos. Ficamos eu e ela. Alguns meses depois acabamos nos envolvendo e nos casamos. Eu queria ter filhos e ela não. Isso acabou afastando a gente. Ela queria a liberdade de poder ir a Paris quando tivesse vontade e eu queria uma família.

“Quero pedir ele em casamento agora mesmo.” Helena pensava encantada.

– Ainda bem que quero ter filhos e uma família. Helena disse sem pensar.

– Ainda bem que sim. Ele respondeu achando graça. – Nosso jantar está pronto! Ele disse pegando os pratos.

– O cheiro está delicioso.

– Agora vamos ver o gosto. Ele disse colocando o prato na frente dela.

– Hum, está delicioso! Você pode ser chef de cozinha. Você deveria explorar essa possibilidade, agora que está avaliando novas possibilidades. Ela disse, depois da primeira garfada.

– Como você é gentil. Vou avaliar essa possibilidade.

– Está mesmo uma delícia Miguel.

Eles terminaram de jantar e foram assistir um filme. Se aconchegaram um perto do outro debaixo das cobertas e ainda no começo do filme Miguel começou a acariciar o corpo de Helena por baixo de sua roupa. Aquele carinho tirava a concentração dela, que já não conseguia prestar atenção em mais nada além da mão dele passeando pelo seu corpo. Ela ficava tentando adivinhar para onde a mão dele iria. Ele também já não se concentrava em mais nada, além das curvas do corpo dela. E em poucos minutos eles estavam se perdendo um no outro.

– Eu preciso aprender a me comportar melhor ao seu lado. Acabo sempre me perdendo em você Helena. Ele disse no momento em que eles retomavam o ar.

– E eu em você. E discordo sobre o comportamento. Se for para ser assim, quero você mal comportado. Ela respondeu deitada no peito dele.

– Você é demais! Minha amora! Vamos recomeçar o filme? Ou deixamos para ver amanhã que é sexta-feira?

– Vamos deixar para amanhã? Preciso acordar cedo amanhã.

– Vamos! Você dorme aqui em casa de novo.

– Combinado!

Eles foram para a cama e em poucos minutos estavam dormindo.

O dia amanheceu enchendo o quarto de Miguel com a luz do sol. Helena acordou e ele não estava na cama. Em poucos minutos Miguel chegou trazendo uma bandeja com café da manhã na cama para ela.

– Bom dia, minha amora! Ele disse ao vê-la acordada.

– Bom dia, meu amor! Assim vou ficar mal acostumada.

– É para ficar. Ele disse colocando a bandeja na frente dela.

– Não vejo a hora que esse dia passe e eu possa estar aqui de novo. Ela disse dando tapinhas na cama dele.

– Nem eu! Que horas está marcada sua conversa com as meninas?

– Vou fazer do carro, indo para o escritório. Como sempre fazemos. E você, o que vai fazer hoje?

– Não faço a menor ideia. Acho que não vou fazer nada. Tem tanto tempo que não tenho essa possibilidade. Acho que vou aproveitar. Vou caminhar no parque, tomar um sol. Dar uma organizada na casa.

– Que delícia. Queria ficar aqui e não fazer nada com você. Amo meu trabalho, mas estou precisando de férias. Inclusive, já desisti de usar minhas férias esse ano para fazer o curso. Quero descansar. Ir para algum lugar novo, que ainda não conheço.

– Acho uma excelente resolução.

– Eu estava pensando nisso, essa semana. Vou com frequência à Paris a trabalho. Nunca estive lá de férias. E não vou usar minhas férias para ir para lá a trabalho. Não faz sentido desperdiçar vida assim.

– Concordo com você. E quando são suas férias?

– Eu posso tirar a qualquer momento. Inclusive se não sair até julho, serei obrigada a sair. Faz dois anos que não saio de férias.

– Então hoje, vou pesquisar nosso destino de férias.

– Eu acho que ainda não acordei e que estou sonhando.

– Não está não! Estamos aqui! Nós dois juntos e acordados.

– Você é demais Miguel.

– Você me inspira Amora!

– A conversa está maravilhosa, mas eu preciso ir ou vou me atrasar.

– Te espero aqui em casa hoje à noite. Bom trabalho para você.

– Obrigada Miguel.

Helena se levantou e vestiu a calça do seu pijama.

– É engraçado vestir o pijama para sair de casa. Ela disse.

– Não vou negar! Mas você poderia sair assim. Fica linda de qualquer jeito.

– Não fico não. Até mais tarde! Ela disse dando um beijo nele.

– Até! Ele respondeu fechando a porta, depois de se despedir dela.

Helena correu para casa, tomou um banho rápido e escolheu um lindo vestido colorido para usar naquele dia cheio de reuniões importantes. Ela estava flutuando de felicidade.

Quando entrou no carro se conectou com as amigas.

Elas gritavam uma em cima da outra falando o quanto estavam morrendo de saudades uma da outra.

– Não acredito que estamos conseguindo conversar! Disse Helena, se sentindo feliz.

– Meninas, tenho tanta coisa para contar para vocês! Disse Raissa.

– E eu também! Completou Lara. Ainda bem que tive um tempinho com vocês. O Rodrigo precisou se conectar em um call da empresa e eu tenho um tempo para fazer as minhas coisas. Estou grudada nele vinte e quatro horas por dia.

– E está gostando?

– Estou. Mas está sendo uma montanha russa.

– Como assim?

– Longa história. Mas quero contar que fiquei com ele. Nos beijamos e foi ainda melhor do que eu esperava ou lembrava.

– Não acredito! Raissa gritou. – Você ficou com um cara do trabalho. Você está realmente mudada Lara.

– Não estou nem me reconhecendo meninas.

– Mas e aí? O que mais?

– Mais nada. Nos beijamos e nada mais. Aconteceu um imprevisto com uma deusa argentina que parece ser a fim dele e estamos voltando a ter um clima bom entre a gente. Foram dois dias com a deusa e hoje vamos jantar sozinhos, sem companhia. Nossas passagens mudaram para terça-feira. Só volto para o Brasil na terça. Surgiram temas extras aqui. Vou passar o final de semana com ele. Nem sei o que vai ser depois dessa semana cheia de coisas. Hoje vai ser a primeira vez que vamos jantar juntos sozinhos. Foi uma avalanche meninas.

– Ah, desse final de semana vocês não escapam! Disse Raissa empolgada.

– Não quero pensar muito nisso. Quero viver um dia de cada vez. Essa montanha russa não me faz bem. Não gosto de montanhas russas. Nem daquelas de parque de diversão. Mas não nego que tenho algumas expectativas. E por aí? Como vocês estão?

– Eu estou perdida. Herdei um prédio em ruínas. Olhem as fotos aí. Estou enviando para vocês. Não sei o que fazer. Vou me afundar em dívidas e não conseguirei sair daqui nunca mais. Não posso vender o prédio pelos próximos 20 anos.

As meninas viram as fotos e morreram de pena.

– Não sei o que dizer. Mas tenho certeza que você saberá o que fazer. Você sempre sabe Raissa. Disse Helena tentando apoiar a amiga.

– Vamos te ajudar Raissa. Vamos pensar em algo.

– Meninas preciso de um arquiteto, urgente. Preciso de uma luz.

– Eu tenho um arquiteto. E ele acaba de ficar desocupado. Ele está a procura de trabalho. Talvez ele possa ajudar.

– Como assim? Perguntou Raissa.

– O Miguel é arquiteto! Vou falar com ele e ver se conhece alguém que pode ajudar.

– Você é a luz no final do túnel Helena. Por favor fale com ele.

– Vou falar com ele hoje. Fica tranquila. Vamos te ajudar.

– Onde fica o prédio? Perguntou Lara.

– Paseo de Gracia.

– É o metro quadrado mais caro de Barcelona. Você está rica Raissa. Disse Lara.

– Tenho ruínas no metro quadrado mais caro de Barcelona. Por ora estou endividada.

– Mas vamos capitalizar esse imóvel. É um prédio amiga. Você tem infinitas possibilidades.

– Lara eu queria uma possibilidade só. Nem preciso das infinitas. Estou perdida meninas. Passei dois dias caminhando pela avenida, olhando o comercio do lugar e lendo sobre o modernismo e sobre Gaudí. Estou a apaixonada por Gaudí. Eu queria ter herdado esse prédio quando ele projetava prédios aqui em Barcelona. Mas ele se foi. Ele agora é minha fonte de inspiração.

– Raissa, vai dar tudo certo! Você tem uma joia a ser lapidada. Tem a Lara, que é a pessoa que mais entende de business plan, tem a mim que não sei como ser útil ainda, mas posso te ajudar com o arquiteto. E tem você, que é expert em diagnósticos e planos de ação, além de ser a pessoa mais criativa que conheço. Disse Helena tentando animar a amiga.

– Como é bom ouvir vocês! Em 10 minutos de conversa tenho certeza que tudo vai ficar bem. Eu amo vocês meninas! Derreteu-se Raissa.

– Eu também amo vocês. Disse Lara.

– Eu também amo vocês. Repetiu Helena.

– Vou precisar desligar meninas. Rodrigo está batendo aqui. Preciso ir. Disse Lara.

– Eu também cheguei no trabalho e tenho reunião agora. Disse Helena.

– E eu vou encontrar Juan no escritório para falarmos sobre minhas possibilidades de investimento e destino do imóvel. Eu amei falar com vocês. Disse Raissa.

Elas se despediram, marcando uma nova conversa para domingo.

Elas terminaram a conversa felizes em ter umas às outras. Helena se lembrou da conversa que tinha tido com Miguel naquela manhã e decidiu que suas próximas férias seriam em Barcelona.

CONTINUA…

O CAPÍTULO 21 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

Capítulo 20 – Surpresa

Sabrina Almeida


Sou mãe, filha, esposa, mulher, amiga, confidente, conselheira. Sonhadora, determinada e realizadora. Organizada, mas com um que de caótica. Apaixonada pela vida e pelas pessoas. Intensa! Publicitaria, trabalho desenvolvendo produtos e marcas para deixar as pessoas mais bonitas e felizes. Escrevo porque amo escrever. Minha cabeça está sempre repleta de sonhos e devaneios. Sigo sempre meu coração. Hoje penso mais antes de tomar uma decisão. Encontrei a FELICIDADE, assim todinha maiuscula, nas coisas simples da vida. E escrever é uma delas. Enquanto as pessoas vão para a academia, fazem trilhas, tocam instrumentos musicais, cozinham… Eu escrevo! Esse é o meu hobbie… Escrevo para traduzir o que está no meu coração, sem regras, métodos ou filtros. Escrevo porque me inspira e me faz feliz. Acredito que é simples ser feliz e que para isso é preciso uma boa dose de coragem, de sorte e de sonhos e devaneios. Quando eu decidi escrever, uma pessoa me perguntou: “quem te garante que as pessoas vão se interessar pelo que você escreve?” E a minha resposta é como vou concluir minha apresentação. Vou escrever para tentar ajudar as pessoas a ver diferentes perspectivas, rir no meio de um dia difícil ou enxergar poesia no dia a dia. E se eu conseguir tocar o coração de pelo menos uma única pessoa, já terá valido à pena.


Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *