“…E quando chega a noite e eu não consigo dormir. Meu coração acelera e eu sozinha aqui. Eu mudo o lado da cama, eu ligo a televisão. Olhos nos olhos no espelho e o telefone na mão.

Pro tanto que eu te queria o perto nunca bastava. E essa proximidade não dava. Me perdi no que era real e no que eu inventei….”

Era a letra da música que tocava na playlist do celular de Lara enquanto ela tomava banho e tentava entender o que ela sentia. “Me perdi no que era real e no que eu inventei. Será que isso é real? Será que eu deveria me jogar desse jeito que estou me jogando? Eu não sou assim. Nunca fui assim. Não estou conseguindo ser eu mesma e nem lidar com essa montanha russa, onde cada hora estou em uma altura e em uma velocidade diferente. A hora que resolvo me entregar começo a não me sentir eu mesma. O que está acontecendo comigo?” Ela pensava enquanto deixava a água quente escorrer pelo seu corpo, se sentindo mais perdida do que nunca em relação aos seus sentimentos.

Ela terminou o banho e fez sua rotina de cuidados com a pele. Se sentia vitoriosa passando seu rolinho de pedra jade no rosto.

Ela ficou de roupão e toalha na cabeça e ao voltar para o quarto, viu sua rosa vermelha. Lembrou de Rodrigo e não conseguiu evitar olhar o celular e procurar por uma mensagem dele. Mas não tinha nenhuma mensagem. Ela começava a se chatear, quando decidiu resgatar a antiga Lara.

“Uma noite de descanso, só para mim, podendo ser eu mesma, de roupão e sem qualquer preocupação sobre o que vão pensar sobre mim! Vou pedir uma comida deliciosa no serviço de quarto e uma garrafa de vinho. Assistir a um filme que me faça rir ou amar. Não podia ser um final de noite mais delicioso.” Ela pensava enquanto corria para pegar o cardápio do serviço de quarto.

Lara se animou com a expectativa da noite que teria sem sua própria companhia e começou a procurar por um filme, enquanto esperava seu jantar chegar.

Ela se animou para rever pela milésima vez Orgulho e Preconceito e em poucos minutos ela estava na frente da TV, comendo um delicioso risoto e tomando uma taça de vinho.

O filme terminou e ela já tinha bebido quase toda a garrafa de vinho.

“Acho que vou ficar de ressaca! Mas valeu a pena. Que delícia de noite comigo mesma.” Ela pensava enquanto escovava os dentes para ir dormir.

Quando se deitou, sentiu o edredom de plumas a abraçar. Checou seu celular, esperando por uma mensagem de Rodrigo, mas não havia nenhuma mensagem e ela foi dormir mais chateada do que esperava, depois da noite deliciosa que tinha tido.

Ela virava de um lado para outro, tentando dormir, quando ouviu a voz de Rodrigo.

– O que você está fazendo aqui Manuela?

Lara não podia acreditar. Aparentemente Manuela estava bem ali na porta do quarto dele. E ela correu para perto da porta para tentar ouvir melhor.

– Me deixa ficar aqui Rodrigo? Quero passar a noite aqui com você.

– Manuela, está tarde. Temos muito trabalho amanhã.

– Eu me separei do meu namorado. Não tenho para onde ir. Sai de casa.

– Manuela, você não pode ficar aqui.

– Rodrigo, me deixa ficar. Prometo que só vamos dormir. Não faremos nada. Eu durmo no sofá.

– Entre Manuela. Ele disse.

E nesse momento Lara ouviu a porta do quarto dele fechando.

“Eu não acredito que ele permitiu que ela passasse a noite com ele!” Lara pensava, se sentindo inconsolável.

Dormir naquela noite parecia ainda mais difícil naquele momento. Lara pensava no que diria para Rodrigo no dia seguinte e se deixaria ele saber que ela sabia ou se esperaria que ele contasse, quando a angustia se foi e ela finalmente pegou no sono.

Lara acordou com o despertador, assustada, sem se lembrar de onde estava e com um pouco de dor cabeça pelo abuso do vinho na noite anterior. Assim que abriu os olhos, se lembrou que Manuela estava dormindo com Rodrigo no quarto ao lado.

“Como vou olhar para o Rodrigo hoje? Ainda bem que vamos embora amanhã. Quero minha casa e minha vida de volta.”

Ela foi se arrumar e como tinha se tornado costume, escolheu uma roupa linda e fez uma maquiagem discreta, que a deixou linda.

Quando ela saiu do seu quarto, foi surpreendida pela saída de Rodrigo e Manuela do quarto dele.

– Bom dia! Disse Lara parecendo muito mais feliz do que estava com aquela situação e fingindo naturalidade.

– Bom dia! Disse Manuela, ainda mais feliz.

– Bom dia Lara. Rodrigo disse se sentindo constrangido.

Manuela insistia em andar lado a lado com Rodrigo e Lara ia andando um pouco mais atrás deles, pegando fogo de tanta raiva.

“Não vou suportar isso.”

– Eu esqueci meu celular. Vou voltar buscar. Vejo vocês no escritório. Disse Lara.

– Podemos te esperar Lara. Vá lá buscar o que precisa. Disse Rodrigo.

– Não quero atrasar vocês. Nos vemos no escritório. Eu vou demorar uns minutos aqui.

– Vamos Rodrigo. Temos reunião. Se a Lara precisa voltar, nos vemos na empresa mais tarde.

– Isso. Até mais tarde. Disse Lara, voltando para o seu quarto.

– Mesmo? Ele perguntou de maneira charmosa.

– Sim!

Lara voltou se sentindo a pessoa mais rejeitada do planeta.

“Eu não posso me sentir assim! Não quero me sentir me assim.”

Ela pensava no momento em que recebeu uma mensagem de Rodrigo.

“Eu não dormi com ela. Me desculpe essa situação. Te explico no jantar. Nos vemos já.”

Ela lia e relia a mensagem tentando se sentir melhor, mas não adiantava. Um sentimento de angustia tomava conta de todo o coração ela. “Porque me permiti viver isso? Eu nunca senti isso na minha vida. Eu estava certa de focar na minha carreira. E por falar nisso, preciso ir para aquela empresa e ser a profissional mais competente que eu puder.”

Lara retocou a maquiagem, saiu sozinha e determinada a nunca mais ter nada com Rodrigo ou com qualquer um que possa atrapalhar sua vida profissional.

Ela chegou na empresa bem a tempo de sua primeira reunião. Naquela manhã ela não tinha nenhum compromisso agendado com Rodrigo e isso trazia um certo alivio para ela. Ela estava concentrada em suas pesquisas com diretores da empresa, quando seu celular começou a tocar.

Era Rodrigo ligando e ela recusou a ligação.

Em poucos minutos a secretaria interrompeu a reunião de Lara.

– Desculpem. Lara o Rodrigo precisa falar com você um instante na sala de reuniões.

– Obrigada Gertrude. Por favor me deem licença um instante. Disse Lara de maneira totalmente profissional.

Lara saiu com Gertrude e em poucos minutos estavam na sala em que Rodrigo estava.

– Oi Rodrigo. Eu estou em reunião com os diretores, mas a Gertrude disse que precisava falar comigo.

– Sim! Eu preciso.

Gertrude foi embora e fechou a porta.

– Desculpe por tudo isso Lara. Ele disse.

– Rodrigo, podemos falar disso uma outra hora? Estamos no meio de algo muito importante para o projeto e vamos embora amanhã. Conversamos no jantar.

– Eu precisava saber se você estava bem. Você não respondeu minha mensagem e nem atendeu minhas ligações.

– Rodrigo eu estou bem. E preciso voltar para a minha reunião.

– Quero te explicar tudo e dizer que não dormi com ela. Não é o que parece.

– Rodrigo você não precisa me explicar nada.

– Claro que preciso.

– Não agora Rodrigo. Não vamos misturar as coisas, por favor. Tenho muitas coisas para fazer. Nos falamos mais tarde. Eu realmente preciso voltar para a minha reunião.

– Você tem razão. Desculpe interromper sua reunião.

– Vou voltar para lá. Até mais tarde.

Lara saiu da sala e fechou a porta. Ela caminhava em direção à sala em que estava, onde os outros diretores esperavam por ela e tentava recuperar o folego e a calma. Rodrigo tinha a total capacidade de tirá-la do controle.

“O que esse homem faz comigo meu Deus? Eu abandonei uma reunião importante para falar com ele e quase fiquei ali para ouvir o que ele tinha para me falar, no meio de um dia importante de trabalho. Meu coração está vencendo todos os embates com o meu cérebro.”

Ela respirou fundo e voltou para a sua reunião determinada a ser a melhor profissional possível.

Retomou de onde tinha parado, concentradíssima. A reunião durou mais algumas horas e ela ficou bastante satisfeita com o resultado. Ela terminava de ajeitar suas coisas e se sentia em paz, experimentando de novo aquela sensação que a fazia tão bem. As boas sensações depois de um dia excelente de trabalho.

“Lara, você ainda está aí.” Ela pensava enquanto terminava de arrumar suas coisas para sair da sala.

Ela foi almoçar com algumas pessoas do departamento de marketing e não viu mais Rodrigo.

A paz tomava conta do coração dela quando viu Rodrigo entrando com Manuela no restaurante.

– A Manuela está determinada a conquistar o Rodrigo. Fiquei sabendo que ela saiu da casa do namorado e foi para o hotel do Rodrigo ontem. Parece que ela terminou mesmo o namoro. Disse uma das meninas.

– Será que eles dormiram juntos? Uma outra perguntou.

– O que eu sei é que eles dormiram juntos. A primeira voltou a falar.

– Você é tão calada Lara. Deve saber de algo. Você e o Rodrigo parecem muito próximos.

– Trabalhamos juntos e temos uma boa relação de trabalho, mas não sei nada da vida pessoal dele

– Eu não conseguiria trabalhar com um homem desses. Você é muito sortuda Lara. Ele é um gato.

– Gente, pelo que soube a Manuela dormiu no quarto dele, mas eles não transaram. Eu acho que ele é gay!

Lara engasgou com o refrigerante.

– Você não acha Lara?

– Acho que não. Acho que ele não é gay. Lara disse achando graça.

– Lara você sabe de algo. Ainda vou descobrir.

– Não tem o que descobrir meninas.

Nesse momento Manuela e Rodrigo chegaram na mesa delas e o olhar de Rodrigo foi direto para Lara.

– Meninas, vamos sair para jantar hoje. É a última noite do Rodrigo e da Lara aqui e vamos leva-los para jantar.

– Manuela, te agradeço, mas não poderei estar com vocês hoje a noite.

– Por que não Lara? Perguntou Rodrigo.

– Vou jantar com alguns amigos. Ela mentiu.

Rodrigo ficou contrariado.

– Então vamos tomar um café antes de voltarmos ao trabalho? Convidou Manuela.

– Vamos! Respondeu Lara tentando parecer animada.

Eles saíram do restaurante e caminharam devagar. Manuela estava distraída com as meninas do time dela e Lara e Rodrigo seguiram caminhando juntos logo atrás deles.

– Lara, precisamos conversar. Eu não sabia desse jantar que a Manuela acabou de propor. Vou cancelar e vamos jantar juntos.

– Eu realmente tenho compromisso hoje.

– Não quero te perder Lara. Me deixe te explicar o que houve.

– Me explique Rodrigo.

– Fomos jantar e ela me contou que se separou do namorado e que estava arrasada.

– Rodrigo, Lara, venham aqui conhecer o Stevan. Disse Manuela, interrompendo a conversa deles.

E as explicações de Rodrigo, mais uma vez não chegaram.

A tarde seguiu cheia de trabalho e logo o dia terminou. Lara fugiu de Rodrigo e das suas tentativas para terminar a conversa e foi sozinha para o hotel.

Quando soube que Lara tinha ido embora, Rodrigo se preocupou e foi atrás dela no hotel.

Lara terminava de se arrumar para sair quando Rodrigo bateu na porta.

– Oi Rodrigo. Disse Lara abrindo a porta.

– Lara, por que está fazendo isso?

– Eu não estou fazendo nada.

– Está fugindo.

– Não Rodrigo! Não estou fugindo, estou apenas cumprindo meus compromissos de trabalho e recusando um jantar com a Manuela e com você, porque realmente não estou disposta.

– Lara, eu não tive nada com o a Manuela.

– Ela dormiu no seu quarto! Eu vi! Eu ouvi. Você não pensa duas vezes em atender os chamados dela, todas as vezes que ela aparece.

– A situação é delicada Lara.

– Não é delicada. Ela está louca por você. Essa é a situação.

– Ela está passando por um momento delicado.

– Rodrigo, eu não quero falar da Manuela.

– E eu não quero a Manuela. Eu quero você.

Lara paralisou por um momento.

Sem pensar ou deixar Lara responder, Rodrigo a encostou na parede e deu um beijo nela.

CONTINUA…

O CAPÍTULO 23 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

Capítulo 22 – Quando chega a noite

Sabrina Almeida


Sou mãe, filha, esposa, mulher, amiga, confidente, conselheira. Sonhadora, determinada e realizadora. Organizada, mas com um que de caótica. Apaixonada pela vida e pelas pessoas. Intensa! Publicitaria, trabalho desenvolvendo produtos e marcas para deixar as pessoas mais bonitas e felizes. Escrevo porque amo escrever. Minha cabeça está sempre repleta de sonhos e devaneios. Sigo sempre meu coração. Hoje penso mais antes de tomar uma decisão. Encontrei a FELICIDADE, assim todinha maiuscula, nas coisas simples da vida. E escrever é uma delas. Enquanto as pessoas vão para a academia, fazem trilhas, tocam instrumentos musicais, cozinham… Eu escrevo! Esse é o meu hobbie… Escrevo para traduzir o que está no meu coração, sem regras, métodos ou filtros. Escrevo porque me inspira e me faz feliz. Acredito que é simples ser feliz e que para isso é preciso uma boa dose de coragem, de sorte e de sonhos e devaneios. Quando eu decidi escrever, uma pessoa me perguntou: “quem te garante que as pessoas vão se interessar pelo que você escreve?” E a minha resposta é como vou concluir minha apresentação. Vou escrever para tentar ajudar as pessoas a ver diferentes perspectivas, rir no meio de um dia difícil ou enxergar poesia no dia a dia. E se eu conseguir tocar o coração de pelo menos uma única pessoa, já terá valido à pena.


Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *