Juan olhava Raissa encantado.

– Que excelente ideia! Você vai reabrir a loja de chocolates que tinha aqui. Juan disse.

– Eu daria até o mesmo nome e usaria o mesmo cardápio e a mesma inspiração de design se eu pudesse. Isso é lindo demais!

– Ideia mais que maravilhosa! As pessoas vão amar visitar uma loja de chocolates que revive a loja que existiu aqui, mais de 80 anos atrás. Disse Lara empolgada.

– Eu já posso ver o marketing dessa história. Vou começar a desenhar esse plano hoje mesmo. Raissa disse empolgada.

– Como é bom te ver empolgada assim. Disse Helena.

– Acho que nunca estive tão animada com um projeto. Vou fazer o que sempre faço. Eu sei fazer isso. Mas sempre fiz para outras empresas, outras marcas, outras pessoas. Dessa vez vou fazer por mim. Que sensação incrível. Eu sei exatamente o que tenho que fazer.

E nesse momento foram interrompidos por Antônio.

– Acabo de fazer uma primeira avaliação e tive algumas ideias. Mas ainda preciso entender seu estilo Raissa. Também é importante saber o que será construído aqui. Você já tem uma ideia?

– Sim! Acabei de ter. Nesse andar vou montar uma loja de chocolates. Quero que tenha a alma de 1920. Vou usar o estilo art deco. Mas é tudo que sei.

– A ideia parece ser muito boa. Podemos marcar uma reunião para falarmos melhor? Quero te mostrar minhas ideias e te ouvir.

– Claro! Quando puder.

– Podemos almoçar juntos amanhã e começamos nossa conversa. Depois passamos aqui e te conto o que estou pensando. Pode ser?

– Sim! Podemos almoçar amanhã.

– Tome o meu cartão. Esse é o número do meu celular. Me passa seu telefone. Vou pensar em um lugar para nos encontrarmos aqui perto e te envio o endereço.

– Combinado.

– Nos vemos amanhã então. Preciso ir. Foi um prazer conhece-los. Ele disse olhando para todos. – Até amanhã Raissa.

– Até amanhã. Ela respondeu constrangida.

Antônio saiu e todos ficaram em silencio.

– Eu também preciso ir. Disse Juan, um pouco contrariado, claramente incomodado com a presença de Antônio e com a atenção que ele tinha acabado de dar para Raissa.

– Fica Juan. Vamos tomar um drink para comemorar as nossas ideias de hoje. Convidou Raissa.

– Não posso. Minha namorada deve estar de volta. Acabei de chegar de viagem e combinei de encontrá-la. Ele respondeu.

– Que pena. Seria especial comemorar com você, mas entendo que precise ir. Nos falamos na segunda? Raissa perguntou.

– Claro. Foi um prazer conhece-las. Ele disse olhando para Lara e Helena.

– O prazer foi nosso. Lara disse.

Juan saiu sem dizer mais nada e as três ficaram em silencio, se olhando.

– Gente, o que foi isso? Perguntou Lara.

– Qual parte? Perguntou Raissa.

– O Juan ficou com ciúmes de você.

– De onde tirou isso? Ciúme do que?

– Do bonitão que te chamou para almoçar amanhã.

– Achei o bonitão, bem bonitão, mas muito profissional. E não acho que Juan tenha ido embora por isso. Respondeu Raissa.

– Eu concordo com a Lara. Acho que o Juan ficou um pouco incomodado sim. Disse Helena. – Acho que ele gosta de você.

– Vocês estão malucas. Querem muito ver alguém gostando de mim. Só pode ser isso. Mesmo depois de ter conhecido o Juan, vocês acham que pode ter alguma coisa?

– Eu acho. Disse Helena.

– E eu continuo achando. Provocou Lara.

– Não vou discutir esse tema com vocês. Vocês estão em maior número. Agora o que quero mesmo é sair daqui e tomar bons drinks com vocês.

– Acho que as descobertas de hoje merecem bons drinks. Concordou Lara.

Elas organizaram rapidamente as coisas e saíram felizes da propriedade em busca de um lugar para comer e brindar.

Em poucos minutos de caminhada chegaram a um lugar com decoração bem moderna e bem sofisticada, que parecia bem caro. Na porta, uma placa mostrava que aquele restaurante tinha uma estrela Michelin.

– Temos dinheiro para isso? Perguntou Raissa. – Porque roupas, definitivamente não temos.

Elas riram e se entreolharam com seus moletons e tênis, sujos depois de um dia de limpeza.

– Hoje temos! Disse Lara. – Vocês são minhas convidadas. Precisamos comemorar em grande estilo.

Elas foram recepcionadas por uma mulher estonteante que as levou até uma mesa na janela, de onde era possível ver as pessoas caminhando com suas sacolas de compras e seus looks impecáveis.

Elas tinham acabado de sentar, quando o somelier as abordou.

– Senhoritas, gostariam de recomendações de vinhos? Aqui está a carta. Me chamo Eric, sou somelier e estou à disposição, para o que precisarem.

– Obrigada! Disse Raissa.

Ele foi embora e Lara imediatamente se lembrou de Rodrigo e da forma apaixonante como ele escolhia os vinhos nos seus encontros.

– Hey! O que foi? Perguntou Helena. – Parece que está distante.

– Me lembrei do Rodrigo. Ele é somelier. Ele sempre pedia o vinho. Estou morrendo de saudades dele. Ele não sai da minha cabeça. Confessou Lara. – Tudo me lembra ele.

– Ah Lara! Te entendo totalmente. Há pouco tempo tudo me lembrava o Vitor. Mas passou. Nem parece que um dia ele foi parte da minha vida. Disse Raissa, querendo ajudar a amiga.

– Não sei se quero esquecer o Rodrigo. Esse é o ponto.

– Você não precisa esquecer o Rodrigo. Dê um tempo para você e daqui a um tempo você vai saber o que fazer. Propôs Helena.

– Deu saudade, mas não quero pensar nele. Vamos comemorar! Hoje é dia de celebrar. Vamos pedir uma recomendação ao Eric. Hoje o dia é da Raissa e de suas descobertas.

– E por falar em descobertas… só eu que fiquei hipnotizada com o Antonio? Que homem é aquele meu Deus? Disse Raissa, mudando de assunto.

– Ele é o homem mais bonito que já vi pessoalmente. Disse Lara.

– Bonito mesmo! Concordou Helena.

– Acho que o Juan ficou com ciúme dele. Provocou Lara. – Quando o bonitão te chamou para almoçar, achei que o Juan ia explodir. Ele ficou até vermelho.

– Lara você cismou. O Juan nunca deu sinal nenhum de que estava interessado. Sempre foi super respeitoso. Mesmo depois de te-lo conhecido, você ainda acha que existe algo? Sério?

– Ainda acho. Mas não vamos falar do Juan, nem do Rodrigo, nem de ninguém. Vamos comemorar. Propôs Lara.

– E acho que não devemos pedir vinho, já que a Lara lembra do Rodrigo. Vamos tomar aperol spritz. Que tal? Propôs Raissa.

– Ótima ideia! Nesse calor vai super bem. Helena concordou.

– Estou viciada em aperol. Terminei todos os dias que andei por aqui com um aperol. Esse drink marcou minha busca.

– Então vamos de aperol para comemorar suas descobertas.

As meninas pediram seus drinks e brindaram ao reencontro delas e as recém descobertas.

– Raissa, além da loja de chocolates, o que fará nos outros andares? Perguntou Lara.

– Com a loja sendo rentável, vou usar o dinheiro para financiar os apartamentos vazios, quando não estiverem ocupados. Acho que vou seguir com sua ideia de transformar em apartamentos para alugar.  Pensei em montar um local com serviços de conveniência, como lavanderia e delivery de compras. Não quero montar um restaurante, mas quero colocar um serviço de busca das mais variadas coisas. Quero oferecer total comodidade para quem se hospedar aqui.

– Que ótimas ideias Raissa. Acho que seria incrível. Disse Helena. – Estou louca para contar tudo isso para o Miguel. Aliás, que saudade do Miguel. Nunca fiquei tanto tempo sem ve-lo.

– Lelê, você viu ele ontem! Ele te levou no aeroporto. Lara disse.

– Eu sei! Mas estou tão longe e esse dia parece ter durado vários. Parece que estamos aqui há vários dias e eu estou morrendo de saudades. E aqui estamos 5 horas na frente.

– Quando ele chega?

– No sábado. Estou contando os dias.

– Ele vai ficar lá em casa? Raissa perguntou.

– Acho que não. Ele vai ficar em um apartamento alugado pela emissora. E vou ficar com ele. Não dá para ficar tanta gente hospedada lá a sua casa. Vamos acabar atrapalhando a familia.

– Que pena! Mas nos veremos todos os dias e isso que importa. E como está o Vitor? Raissa perguntou, não conseguindo evitar falar dele.

– Inconsolável. Ele gosta muito de você e sente sua falta. Respondeu Helena.

– O que você sente por ele? Perguntou Lara.

– Meu coração já não acelera mais. Acho que superei o Vitor totalmente. Já não me importo mais. Como pode, em tão pouco tempo nossos sentimentos mudarem tanto assim?

– Isso me dá esperança. Disse Lara.

– De esquecer o Rodrigo?

– Esquecer não será possível. Eu nunca vou esquecer Rodrigo. Mas quero não me importar tanto.

– Você vai.

– Meninas, que loucura é esse sentimento. Não é possível que as pessoas corram atrás disso. É perturbador. Eu gosto de ter o controle sobre tudo. Hoje me considero uma pessoa totalmente sem controle. Literalmente, descontrolada. E honestamente, não sei se gosto disso, mas de alguma maneira, me viciei nisso. Enfim, é impossível descrever. Desabafou Lara.

– Acho que você precisava disso. Imagine viver a vida toda sem experimentar isso? Disse Helena, feliz pela amiga.

E nesse momento chegou uma mensagem de Rodrigo para Lara.

“Sinto sua falta. Espero que esteja bem e feliz.”

Lara lia e relia a mensagem dele, sentindo uma felicidade que parecia transbordar.

– Hey! O que foi? Aposto que é do Rodrigo. Disse Raissa empolgada.

– Acertou! A mensagem é do Rodrigo. Ele diz que sente a minha falta e espera que eu esteja bem e feliz. Lara respondeu, se derretendo.

– Esse homem é louco por você. Disse Helena.

– E eu por ele. Confessou Lara.

– Responde para ele. Incentivou Raissa.

– Melhor não. Não quero alimentar isso.

– Claro que você quer!

– Não sei o que responder.

– Diga que também sente falta dele e que está tudo bem. Ele se preocupa com você e claramente, está marcando território. Ele não quer que você esqueça dele. Disse Helena.

Lara respirou fundo e ficou em silencio por alguns minutos.

– Vamos! Responde! Provocou Raissa.

E Lara resolveu enviar uma mensagem de voz.

“Por aqui tudo bem! Mais que bem, na verdade. Queria que estivesse aqui. Também sinto sua falta.”

Raissa e Helena ficaram perplexas com a mensagem que Lara tinha acabado de enviar.

E na sequencia chegou um áudio dele.

“Você segue me surpreendendo! E me encantando de todas as maneiras.”

– Esse homem será minha ruina! Lara disse em tom de voz de eufórico. – Melhor guardar esse telefone na bolsa, antes que eu implore para que ele pegue um avião agora mesmo para vir me encontrar aqui.

– Lara, você está mesmo irreconhecível. Disse Raissa.

– Um brinde a isso! Precisamos disso meninas. Propôs Helena.

As meninas seguiram brindando e falando cada vez mais alto, conforme iam tomando seus drinks.

Já no final da noite, elas estavam eufóricas e fazendo declarações de amor umas para as outras.

Foram para casa, já de madrugada, e seguiam eufóricas, apesar do cansaço. Elas estavam tão cansadas que mal terminaram o banho, já estavam dormindo.

O domingo amanheceu ensolarado e Raissa acordou com seu celular apitando com a chegada de uma mensagem de Antônio.

“Bom dia! Tudo certo para o nosso almoço hoje? Me encontra às 13h no Vino? Segue localização. Fica a poucos metros da sua propriedade.”

“Sim! Conheço. Famoso pelas tostadas. Te encontro lá.”

“Até já.”

“Até.”

E ele terminou enviando uma carinha feliz para ela.

Ela pensava: “Além de lindo, é fofo. Que homem, meu Deus!”

E com uma sensação de felicidade que preenchia todas as suas células, ela se levantou, escolheu um lindo vestido de tule preto e branco para vestir e foi encontrar as amigas.

As meninas tomaram café da manhã juntas e foram passear por pontos turísticos de Barcelona. Na hora marcada, Raissa foi encontrar Antonio e Lara e Helena foram fazer compras.

Quando Raissa chegou, Antônio já esperava por ela. Ele se levantou quando ela se aproximou. Ele vestia uma camisa branca de linho com as mangas dobradas e uma calça de sarja caqui. Naquele dia ele estava ainda mais bonito do que no dia anterior.

– Olá Raissa. Ele disse a cumprimentando com um beijo na bochecha.

– Olá!

– Animada para o início do projeto?

– Sim! Muito animada. O que me deixa aliviada. Quando conheci a propriedade aquelas ruínas todas me trouxeram desespero e tristeza. Pensei em doar a propriedade para alguém da família, porque não posso vende-la. Eu não tinha a menor ideia do que fazer com ela. E sempre planejei voltar para o Brasil. Não pretendo viver aqui. De alguma forma me sentia presa aqui.

– Eu posso imaginar. O Miguel me contou a história.

– E você? Mora aqui faz tempo? Ela perguntou.

– Sim! Já tem cinco anos.

– E gosta de viver aqui?

– Me encontrei aqui Raissa. Tive problemas de incompatibilidade com a minha família. Meu pai é engenheiro e tinha expectativa que eu me tornasse engenheiro, como ele. Fiz arquitetura e me tornei paisagista. Ele não aceitou. Barcelona me acolheu e encontrei paz e felicidade aqui.

– Fico feliz por você.

– E eu por você. Então você vai montar uma loja de chocolates?

– Sim! E nos demais andares, vou fazer apartamentos para alugar em aplicativos. Vou disponibilizar para agências de viagens.

– Essa ideia é excelente. Acredito que não tenha nada parecido aqui nessa rua tão importante de Barcelona. Tem um hotel, bem no início, mas aqui, onde a vida pulsa muito mais, não tem nada assim. E pretende morar aqui, ou ainda vai voltar para o Brasil?

– Já não sei mais. Tenho uma licença de 3 meses do trabalho. Até lá decido. Mas cheguei certa de que voltaria assim que possível ao Brasil, mas agora, já não estou tão certa assim.

– Você não vai querer ir embora daqui. Esse lugar nos abraça e nos faz feliz.

– Já estou começando a sentir isso.

– Vai querer ainda mais, depois que sua propriedade estiver pronta. Acredito que o projeto vai ficar sensacional. E por falar no projeto, quero te mostrar algumas referências que separei para te explicar o que estou pensando.

Ele começou a mostrar fotos de jardins belíssimos em seu tablet. Raissa chegou a pensar que estava sonhando, enquanto olhava aquelas fotos.

“Não é possível que algo lindo assim, possa mesmo ser meu.” Ela pensava, enquanto via as fotos.

Eles conversaram sobre amenidades da vida, além da maior parte do tempo em que falaram do projeto. Antônio era muito sério e muito profissional e Raissa se sentia um pouco intimidada por ele.

Depois do almoço, foram para o prédio e Antônio explicou como as referências iam se materializar no espaço real. E ela ia gostando cada vez mais do que ele mostrava.

O sol já ia se por, quando Helena e Lara chegaram no prédio, cheias de sacolas, para encontrar Raissa. Assim que elas chegaram, Antônio se despediu e foi embora.

– Vocês aproveitaram mesmo para fazer compras! Raissa disse animada, impressionada com a quantidade de sacolas que as amigas carregavam.

– Sim! Todas as lojas estão em liquidação. Comprei um vestido de seda por quinze euros. Disse Helena.

– E eu comprei hoje, mais do que já comprei em toda a minha vida. A Helena me fez comprar coisas que nunca imaginei que ficariam bem em mim. É um perigo sair para fazer compras com ela. Disse Lara.

– Ainda bem que eu não fui. Não posso gastar um centavo até terminar essa obra gigantesca, que vai levar todo o meu dinheiro. Quero ver essas compras! Disse Raissa.

– Aqui? Espantou-se Helena.

– Não! O que acham de irmos para casa? Estou exausta. Propôs Raissa.

– Excelente ideia. Podemos passar no supermercado e fazer um jantar. O que acham? Disse Helena.

Elas saíram animadas e logo estavam em casa. Antes jantar teve desfile de moda e as meninas mostraram suas roupas novas para Raissa. Helena tinha dom para moda e tudo que ela comprava lhe caia impecavelmente bem. Era a que tinha mais estilo e se vestia com mais personalidade, entre as três. Helena parecia pertencer à uma família real. Ela tinha porte de princesa. Falava baixo e mais escutava do que falava. Ela gostava muito de moda e seus looks eram tão elogiados que ela começava a desenhar um projeto para ter um blog de moda, onde ia poder se expressar com toda a liberdade em um espaço só seu, falando de coisas que ela gostava. Ela aproveitou o momento para contar sobre o projeto do blog para as meninas. Raissa vibrou pela amiga e já começou a dar ideias sobre design e divulgação, além de trazer dados para gerar alcance e engajamento. A Raissa era a mais comunicativa das três, a que tinha o temperamento mais doce e a mais bonita. Ela tinha olhos azuis que combinavam perfeitamente bem com seu cabelo loiro e sua pele rosada. E não bastasse a sua beleza, quando começava a falar, o mundo parava para ouvi-la e ainda era capaz de convencer qualquer um sobre suas ideias. Lara achava graça da empolgação de Raissa, incentivando as ideias de Helena. Das três Lara era a mais bem sucedida e a mais inteligente. Tudo que Lara fazia, era sempre muito bem feito e sempre que falava, era com muita propriedade. Ela sempre tinha razão. Era objetiva e pragmática e isso a trazia muita racionalidade. Lara tinha uma beleza diferente que era difícil de explicar. Por parecer um pouco misteriosa, era a mais sensual das três. Além disso era muito culta e dona de um alto senso de humor. Ela encantava e divertia as pessoas com muita facilidade.

As três eram muito diferentes entre si, mas se completavam e se adoravam. Juntas eram capazes de tudo. E a amizade que tinham construído as fazia sentir gratidão e felicidade.

Depois do desfile de moda, elas fizeram um jantar delicioso, beberam vinho, celebraram a vida e, inevitavelmente, falaram de amor.

Foram dormir se sentindo leves, felizes e cheias de expectativas pelo que estava por vir.

O dia amanheceu trazendo uma semana que prometia ser intensa. Os planos eram de muito trabalho, muito passeio e muita diversão.

Elas acabaram visitando pouco a propriedade e aproveitaram seus primeiros dias, passeando e conhecendo muitos lugares turísticos de Barcelona. Os dias estavam sendo sendo ensolarados e sempre terminavam com drinks ao por do sol embalando risadas e planos.

Juan ficou distante a semana toda e Raissa sentia falta da companhia e de notícias dele. Ela não quis perturbá-lo, afinal ele sempre dedicou muito mais tempo para ela do que poderia, por isso também não ligou para ele.

Miguel e Helena se falavam o tempo todo e Rodrigo não passava mais do que dois dias sem se comunicar com Lara.

A semana tinha voado e sem parecer que o tempo tinha passado, já era sexta-feira. Helena estava empolgada com a chegada de Miguel e mal podia se conter de tanta ansiedade para que chegasse logo o dia seguinte. Raissa sentia mais falta de Juan do que esperava e cogitou a ideia de ligar para ele na sexta à noite, desistindo por temer atrapalhar uma rotina dele com a noiva. Lara sentia muita falta de Rodrigo, mas tentava não pensar muito e nem falar com ele, evitando trocar muitas mensagens.

Já era tarde e elas tomavam vinho em uma grande varanda de onde se podia ver uma enorme lua cheia.

Depois de um tempo de silencio, onde se ouviam apenas os sons da natureza à noite trazendo uma sinfonia de grilos e cigarras, Raissa se declarou para as amigas.

– Amo vocês! Estou feliz por estarem aqui. Vocês são o que tenho de mais precioso na minha vida. Disse Raissa.

– Raissa! Obrigada por me permitir estar aqui. Para mim vocês são o que tenho de mais precioso também. Disse Helena.

– Digo o mesmo! Vocês são o que tenho de mais valioso. Complementou Lara.

– A vida é mesmo incrível né? A gente precisa crer, sonhar e sempre fazer a nossa parte. Disse Raissa.

– É verdade. E também precisamos de tempo para viver nossos sentimentos e entende-los melhor. Disse Lara.

– E a vida é justa! Sempre recebemos de volta aquilo que semeamos. A gente faz o bem e por isso recebemos o bem. Disse Helena.

– Preciso confessar uma coisa. Disse Raissa.

– O que? Perguntou Lara.

– Estou estranhando a ausência de Juan. Ele não me ligou nenhum dia essa semana. Fiquei preocupada. Será que está tudo bem? Nunca fiquei tanto tempo sem falar com ele. E ele foi tão importante para mim nos meus primeiros dias aqui. Por que será que ele sumiu? Queria que ele participasse desse momento. Ele estava na tristeza, quero ele aqui na alegria.

– Quer a sinceridade? Perguntou Lara.

– Claro.

– Acho que ele ficou realmente com ciúmes do Antônio e acho que ele gosta de você Raissa. E tem mais, ele te dava atenção porque você estava sozinha. Agora suas amigas estão aqui. Disse Lara.

– Talvez ele esteja te dando espaço e esperando que você ligue para ele. Disse Helena. – Convide ele para estar com a gente amanhã lá na casa, quando teremos a primeira conversa com o Miguel.

– Já esta tarde. E a noiva dele não vai gostar de ver ele recebendo uma ligação minha a essa hora.

– Envie uma mensagem. Não acho que tenha nada demais.

– Ok! Disse Raissa pegando o telefone.

“Oi Juan, acabamos não nos falando essa semana. Imagino que você esteja ocupado. Amanhã faremos uma reunião lá na casa, depois do almoço. Queria que você estivesse lá. Veja se consegue ir. Boa noite. Beijo.”

– Agora vamos ver o que ele responde. Disse Lara.

Raissa ficou mais ansiosa do que esperava pela resposta dele.

– Sossega Raissa. Daqui a pouco ele responde. Disse Lara.

– Amiga, será que você está gostando do Juan? Perguntou Helena.

– Garanto que não. Sinto falta da companhia dele, mas não tenho nenhuma atração por ele. Não me imagino beijando o Juan. E de verdade, prefiro não ter nenhum envolvimento amoroso agora. Não sinto nada além de carinho e amizade por ele. Ele está se tornando um grande amigo.

– Mas sente falta da companhia dele? Provocou Lara.

– Sim! Sinto. Confessou Raissa.

– Vamos ver se ele vai amanhã. Disse Helena querendo mudar de assunto.

– Ele não respondeu ainda. Disse Raissa aflita.

– Você acabou de enviar. Daqui a pouco ele responde.

Raissa respirou fundo.

– Você esta engraçada Raissa. Disse Helena.

– Estou me sentindo engraçada. Respondeu Raissa achando graça. – Talvez seja o vinho.

– Ele deve ter morrido de ciúme do Antonio, mas eu não o culpo. Ele parece ter vindo do Olimpo. Disse Lara.

– Misterioso ele né? Disse Helena.

– Ele é realmente bem misterioso. Disse Raissa. – Vocês acham mesmo que o Juan se afastou por ciúme?

– Ou por juízo. Já que vai se casar. Você é um perigo Raissa. Uma mulher que tira qualquer homem do sério. Disse Lara.

– Menos o Antonio. Ele foi super profissional o tempo todo. Não vi aliança. Será que ele é casado? Ele é muito sério. Disse Raissa.

– Vou tentar saber mais sobre o ele com o Miguel. Eles são bem amigos. Disse Helena.

– Estou chateada por ter magoado o Juan. Disse Raissa.

– Amiga relaxa. Você não fez nada. Se ele se afastou por ciúme é um tolo. Pense assim. Disse Lara.

E nesse momento chegou uma mensagem de Juan e Raissa ficou animada. Ela leu em voz alta.

“Amanhã passo lá a tarde. Boa noite, Beijo.”

– Só isso? Disse Raissa, desapontada.

– O que você esperava? Provocou Lara.

– Nada! Mais calor na mensagem. Sei lá.

– Amiga, ele disse que vai amanhã. Quando ele chegar você vai entender o que está se passando com ele. Disse Lara.

Raissa respirou fundo novamente.

– Estou feliz que ele faça parte disso. Confessou Raissa.

– Está dando para perceber. Disse Helena, feliz pela amiga.

 

CONTINUA…

O CAPÍTULO 29 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

Capítulo 28 – Expectativas

Sabrina Almeida


Sou mãe, filha, esposa, mulher, amiga, confidente, conselheira. Sonhadora, determinada e realizadora. Organizada, mas com um que de caótica. Apaixonada pela vida e pelas pessoas. Intensa! Publicitaria, trabalho desenvolvendo produtos e marcas para deixar as pessoas mais bonitas e felizes. Escrevo porque amo escrever. Minha cabeça está sempre repleta de sonhos e devaneios. Sigo sempre meu coração. Hoje penso mais antes de tomar uma decisão. Encontrei a FELICIDADE, assim todinha maiuscula, nas coisas simples da vida. E escrever é uma delas. Enquanto as pessoas vão para a academia, fazem trilhas, tocam instrumentos musicais, cozinham… Eu escrevo! Esse é o meu hobbie… Escrevo para traduzir o que está no meu coração, sem regras, métodos ou filtros. Escrevo porque me inspira e me faz feliz. Acredito que é simples ser feliz e que para isso é preciso uma boa dose de coragem, de sorte e de sonhos e devaneios. Quando eu decidi escrever, uma pessoa me perguntou: “quem te garante que as pessoas vão se interessar pelo que você escreve?” E a minha resposta é como vou concluir minha apresentação. Vou escrever para tentar ajudar as pessoas a ver diferentes perspectivas, rir no meio de um dia difícil ou enxergar poesia no dia a dia. E se eu conseguir tocar o coração de pelo menos uma única pessoa, já terá valido à pena.


Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *