“A obra se inspira no movimento Modernista para ser integrada à paisagem da famosa e tradicional avenida Paseo de Gracia e busca reviver a famosa loja de chocolates que anos atrás existiu aqui.”

Essa era a primeira fala de Miguel apresentando o projeto, na gravação do primeiro capítulo da temporada do programa, conforme o desejo de Raissa. Dando forma ao projeto, ao sonho e à nova vida dela.

A primeira semana de filmagem passou rápido e todos trabalharam nas mais diferentes funções e com intensidade. Juan e Raissa ficaram ainda mais próximos, devido às gravações. Tinham que escrever os textos juntos, treinar as falas e sentiam frio na barriga por estarem em frente às câmeras. Uma cumplicidade nascia entre eles enquantow compartilhavam do mesmo tipo de nervosismo.

Helena e Miguel trocavam carinhos de vez em quando. Apesar de estarem juntos o tempo todo, Miguel estava muito ocupado com tudo que tinha que administrar, no curto espaço de tempo. A dedicação era total ao projeto e acabava sobrando pouco tempo para Helena. Enquanto Helena via cenas dele e Carolina em frente às câmeras onde eles mostravam total intimidade. Ele pegava ela no colo para andar sobre as ruínas, trocavam falas divertidas e tomavam vinho no final do episódio na área externa da casa. Apesar de entender a relação de trabalho entre Miguel e Carolina e de Miguel deixar claro o quanto gostava dela, Helena ainda se sentia muito insegura e se chateava quase o tempo todo.

Lara seguia se dedicando a ajudar o projeto, sendo responsável pela montagem de todo business plan e o controle de orçamento da obra. Além disso, seguia firme no propósito de esquecer Rodrigo. Ele ainda povoava seus pensamentos, mais do que ela gostaria, mas tinha parado de procura-la conforme ela tinha pedido. Apesar de achar a distância saudável para seu equilíbrio, ela sentia cada vez mais a falta dele e ele se tornava uma presença cada vez mais frequente em seus pensamentos.

Antônio começava a ganhar mais intimidade com todos e se soltava, mostrando um lado divertido e descontraído, que não existia no início. Ele e Raissa começavam a se tornar muito amigos e essa amizade despertava muita insegurança em Juan, que se sentia cada vez mais atraído por Raissa, mas também mais receoso em relação a esse sentimento.

Após uma semana de limpeza e de demolição de paredes, o lugar já parecia muito melhor. Era nítida a transformação que aquele lugar já tinha passado e enqunto o lugar se transformava, de alguma forma, todos que trabalhavam ali, se transformavam com o lugar.

O programa tinha estreado fazendo muito sucesso no Brasil e trazendo curiosos para a porta da fachada, se tornando uma espécie de atração turística.

Juan tinha voltado para o seu trabalho, mas passava todos os finais de tarde na obra.

O lugar começava a ganhar a cara do que seria, com o início do tratamento das paredes que ficariam definitivas no lugar.

Raissa fazia visitas a lojas de plantas e flores com Antônio para começar a dar forma ao projeto da parte externa da casa, que a encantava de todas as maneiras. E a amizade dos dois seguia ganhando força.

Já tinham se passado três semanas de obras e a parte externa começava a ter cara de nova, apesar de parecer pertencer a outro século. A fachada estava em restauração, com o objetivo de ser exatamente a mesma de cem anos atrás.

Era o primeiro dia de agosto e o mais quente daquele verão intenso. O sol tinha chegado pintando o céu de laranja e cor de rosa.

Raissa e Lara chegaram na obra e o ar de 1920 parecia estar presente ali. O coração de Raissa se aqueceu vendo seu projeto ganhando exatamente a aparência que ela tinha sonhado para ele.

– Isso está mesmo acontecendo! Disse Raissa ao entrar.

– E está ficando lindo demais. Disse Lara.

Elas entraram e cumprimentaram todos que já trabalhavam no lugar. E em poucos instantes chegaram Miguel, Helena e Carolina.

Miguel e Carolina foram para dentro, deixando as três amigas do lado de fora de casa.

– Está tudo bem Helena? Perguntou Raissa.

– Sim! Eu e o Miguel brigamos hoje de manhã, mas já passou.

– O que houve? Perguntou Lara.

– Eu disse que não gostava das brincadeiras entre ele e a Carol. A cena em que ele pegou ela no colo para atravessar as ruinas, nunca mais saiu da minha cabeça.

– Amiga! O Miguel é louco por você. Ele demonstra isso todos os dias. Essas brincadeiras fazem parte do programa, que depende da afinidade entre os apresentadores para ter sucesso. Eles estão fazendo isso. Apenas isso. Disse Raissa.

– E de maneira muito profissional. Pontuou Lara.

– Eu sei meninas. Mas vê-lo cuidando tão bem dela, me lembra do porque me apaixonei por ele e parece que estou vendo ele dar isso a outra pessoa. É estranho e irracional, mas me incomoda. Confessou Helena.

– Mas você tem isso na vida real. Só você. Disse Lara.

– Eu sei. Mas na vida real é muito difícil separar as coisas. Disse Helena.

– Eu posso imaginar.

– Nunca imaginei que isso poderia acontecer e não estou sabendo lidar com isso. Desabafou Helena.

– Mas precisará lidar com isso. O Miguel está feliz e o formato do programa está incrível. Ele não pode fazer nada sobre isso, a não ser desistir do projeto. É isso que você quer? Provocou Lara.

– Claro que não.

– Então amiga, pare de fantasiar. Porque estou vendo de fora e o que o vejo é um Miguel super profissional em cena e totalmente apaixonado por você fora dela. Disse Lara.

– Você tem razão. Vamos tomar um café? Convidou Helena, tentando deixar aquilo para trás.

– Vamos! Acho que todas nós estamos precisando de novos ares.

– Que tal irmos em uma cafeteria? Podemos nos inspirar um pouco com novas referências. Propôs Raissa.

– Mudar de ares seria uma boa ideia. Empolgou-se Helena. – Estou há semanas aqui e conheci pouco de Barcelona.

– É verdade! Estou aqui há quase 2 meses e também conheci pouco de Barcelona. Essa propriedade me tomou de todas as maneiras.

– Vou procurar um lugar por aqui. Disse Lara já buscando um lugar em seu celular.

As meninas saíram animadas, deixando o caos para trás.

Elas acabaram ficando mais tempo do que o planejado e se divertiram juntas, somente as três, com há tempos não acontecia. Quando elas voltaram, Raissa se surpreendeu com a presença de Juan.

– Hey! Você está aqui. Disse Raissa animada ao ve-lo, dando um abraço nele.

– Vim passar a tarde aqui. Preciso trabalhar em um material e vou escrever aqui. Trouxe algo para comerem. Ele disse, dando um saco de papelão cheio de mini pães com chocolate para Raissa.

– Juan, você é mesmo muito gentil. Estou feliz que esteja aqui.

– Estou feliz de estar aqui.

E nesse momento Carolina chamou Raissa, para uma decisão de projeto.

Quandi Raissa entrou, Miguel saiu à procura de Helena e quando a encontrou, um sorriso tomou conta dele.

– Aí está você! Ele disse a abraçando e dando um beijo nela. – Onde você estava?

– Fomos tomar um café aqui perto.

– O café devia estar bom. Vocês demoraram. Fiquei com saudades.

– Ficou com saudades é?

– O que você acha de sairmos hoje, só nós dois? Ele propôs. – Posso sair mais cedo.

– Acho uma ótima ideia. Ela respondeu, sentindo que começava uma festa em seu coração.

– O que você quer fazer? Ele perguntou.

– Quero muito conhecer um lugar que tem um jardim em forma de labirinto. O parque se chama Parc del Laberint d’Horta. Esse é o jardim mais antigo de Barcelona. Dizem que é muito encantador. Ele foi iniciado em 1794, mas foi acabado aos poucos, com a primeira parte apenas finalizada em 1808 pelo arquiteto italiano Domenico Bagutti. O que acha de irmos lá?

– Acho uma ótima ideia. Ele respondeu encantado. – Sou louco por você Helena.

– Eu também sou louca por você! Ela respondeu.

E nesse momento Raissa chamou Helena para ajudá-la com uma decisão de design.

Miguel observou Helena caminhar até chegar perto de Raissa e Juan se sentou ao lado de Miguel.

– Você parece gostar muito dela. Disse Juan para Miguel.

– Eu amo a Helena. Ela é a mulher da minha vida.

– Dá para ver.

– E você parece gostar da Raissa. Miguel disse.

Juan paralisou por um momento e procurava as melhores palavras para responder a observação de Miguel.

– É complicado. Ele disse.

– Por causa da sua noiva?

– Também.

– O que mais seria?

Juan olhou para dentro da casa e Miguel acompanhou seu olhar. Eles viam Antônio levantando Raissa para que ela simulasse a presença de um candelabro de cristal no alto da parede. Eles pareciam feitos um para o outro. Eram igualmente lindos, tinham muita afinidade e combinavam em tudo.

– Você acha que pode estar havendo alguma coisa entre eles? Perguntou Miguel.

– Parece que sim. E ele parece ter muito mais a ver com ela. Ela é linda demais. A mulher mais bonita e doce que já conheci.

– Cara, vou te dizer que você está cego em relação a isso tudo. Exceto sobre a beleza e a doçura da Raissa. Ela é uma mulher incrível, que precisa de um cara gentil como você. Mas ela não ficaria com alguém que tem uma noiva. É nisso que você tem que se concentrar, se quiser ficar com ela. Não em Antônio.

– Eu não sou páreo para o Antônio. Ele parece gostar dela. Não vou me meter nisso.

– Eu sou muito amigo do Antônio. Te garanto que ele não está interessado na Raissa.

– Ele te disse isso?

– Não precisa dizer. O Antônio é gay cara. Mas é muito discreto sobre sua vida pessoal. A Raissa já deve saber.

– Ele não parece gay.

– Está vendo, como nem tudo é o que parece? Disse Miguel. – Relaxa cara! Batalha pelo que acredita. Não entregue uma batalha antes de lutar.

– Você tem razão Miguel! Obrigado pelo conselho.

– De nada. Respondeu Miguel.

E nesse momento Carolina chamou Miguel.

– Miguel, pode vir aqui por favor? Estamos pensando em reaproveitar esses candelabros, que estavam nos baús, aqui nessa parede. Pode ver se é possível fazer as instalações assim? Ela perguntou apontando o local na parede.

– Claro! Vamos incluir na elétrica. Me parece bem simples.

– Você é demais! Um realizador de sonhos. Disse Carolina, dando um abraço nele.

– Isso não foi nada demais. Ele disse a afastando dele, totalmente sem graça com a atitude dela.

Ele afastou Carolina e chamou Raissa para tomar algumas decisões importantes para o projeto e também avisou sobre a filmagem para escolha dos acabamentos, que aconteceria em uma famosa loja de materiais de construção no dia seguinte.

Depois da conversa com Miguel, Juan não parou mais de sorrir e parecia mais radiante do que nunca. Ele estava começando a entender melhor seus sentimentos por Raissa e começava a pensar sobre o futuro do seu relacionamento. Ele não poderia casar com outra mulher, sentindo o que sentia por Raissa, mesmo que ele e Raissa não ficassem juntos.

Eles retomaram as gravações depois do almoço e os diálogos improvisados entre Carolina e Miguel traziam um pouco de frio na barriga e apreensão para Helena. Ela nunca sabia o que esperar dessas cenas.

As filmagens começaram e se estenderam por duas horas. Estava tudo sob controle até o momento que começaram a falar das escolhas de relíquias dos baús e os desafios que o Miguel teria para a instalação, gerados pelas ideias de design de Carolina.

Ela se empolgava falando dos desafios e pulou no colo de Miguel o pegando de surpresa.

– Estou vendo que te deixei feliz. Ele disse para ela, ainda em seu colo.

– Sim! Muito. A Raissa vai amar. Ela disse – E eu também. E depois de dizer isso ela deu um beijo na boca dele.

Helena viu a cena perplexa e saiu correndo sem falar uma única palavra.

Miguel soltou Carolina.

– O que você fez? O que pensa que está fazendo? Ele disse a repreendendo.

– Me desculpe Miguel. Só queria…

– Ah não importa. Preciso falar com a Helena. Onde está a Helena? Ele perguntou para Lara se sentindo desnorteado.

– Ela saiu correndo quando viu a cena. Lara respondeu.

– Para onde ela foi? Ele perguntou desesperado.

– Eu não faço a menor ideia.

E sem dizer nada, ele saiu correndo atrás dela.

O clima ficou tenso e todos ficaram à espera de Miguel para terminar as gravações. Depois de alguns minutos ele voltou.

– Não a encontrei. Preciso ir procura-la. Podemos retomar nossas gravações amanhã? Tivemos uma briga hoje de manhã, exatamente pelos exageros das cenas. E agora acontece isso. Por que fez isso Carol? Não estamos em uma novela.

– As pessoas estão gostando da nossa sinergia. Só achei que seria legal.

– Eu tenho uma namorada, que amo muito. Não quero magoa-la de maneira alguma. Não posso parecer um conquistador no programa. Isso não é uma novela. Precisamos rever isso.

– De acordo Miguel. Disse o produtor. – As interações são legais, mas não pode parecer que estão se apaixonando. Tiraria o foco do programa. Essa cena não irá ao ar. Fique tranquilo. Agora vá atrás da Helena. Vou fazer as cenas da Carol hoje à tarde. Amanhã de manhã gravamos as suas.

– Muito obrigado! Raissa e Lara me ajudem a procura-la, por favor? Ele implorou.

– Miguel você chamou Helena para um passeio hoje, e ela falou sobre um jardim com labirinto. Será que ela não foi para lá? Tem dias que ela fala desse lugar. Disse Lara.

– Excelente ideia. Estou indo para lá. Me avisem se tiverem notícias dela.

– Combinado. Vou ligar em casa e pedir que me avisem se ela aparecer por lá. Disse Raissa.

– Eu vou até o apartamento de vocês, para ver se ela foi para lá. Disse Lara.

– Dificilmente ela voltaria para lá. Ele disse.

– Pouco provável mesmo. Ficamos por aqui e te avisamos se ela der notícia. Mas fique tranquilo Miguel. Disse Lara.

– Só me tranquilizo, quando encontrá-la. Ele disse enquanto já se afastava.

Miguel saiu deixando um clima tenso no lugar.

Depois de uma pausa de dez minutos, retomaram as gravações entre Raissa e Carolina. Juan seguia por perto, mas concentrado no trabalho que estava fazendo e Lara olhava a cena, mas seus pensamentos se perdiam em Rodrigo.

As gravações chegavam ao fim e todos se preparavam para ir para casa. Raissa e Lara conversavam em pé na parte externa, próximas a entrada, esperando por Juan, quando uma cena chamou a atenção de Lara.

Ela olhava fixamente para o portão de entrada da casa observando uma pessoa se aproximando. Ela não podia acreditar no que estava vendo. Seu coração acelerou e ela desmaiou.

CONTINUA…

O CAPÍTULO 32 será publicado na próxima sexta-feira

Capítulo 31 – Inesperado

Sabrina Almeida


Sou mãe, filha, esposa, mulher, amiga, confidente, conselheira. Sonhadora, determinada e realizadora. Organizada, mas com um que de caótica. Apaixonada pela vida e pelas pessoas. Intensa! Publicitaria, trabalho desenvolvendo produtos e marcas para deixar as pessoas mais bonitas e felizes. Escrevo porque amo escrever. Minha cabeça está sempre repleta de sonhos e devaneios. Sigo sempre meu coração. Hoje penso mais antes de tomar uma decisão. Encontrei a FELICIDADE, assim todinha maiuscula, nas coisas simples da vida. E escrever é uma delas. Enquanto as pessoas vão para a academia, fazem trilhas, tocam instrumentos musicais, cozinham… Eu escrevo! Esse é o meu hobbie… Escrevo para traduzir o que está no meu coração, sem regras, métodos ou filtros. Escrevo porque me inspira e me faz feliz. Acredito que é simples ser feliz e que para isso é preciso uma boa dose de coragem, de sorte e de sonhos e devaneios. Quando eu decidi escrever, uma pessoa me perguntou: “quem te garante que as pessoas vão se interessar pelo que você escreve?” E a minha resposta é como vou concluir minha apresentação. Vou escrever para tentar ajudar as pessoas a ver diferentes perspectivas, rir no meio de um dia difícil ou enxergar poesia no dia a dia. E se eu conseguir tocar o coração de pelo menos uma única pessoa, já terá valido à pena.


Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *