Helena chorou do momento em que entrou no táxi até chegar na casa dela.

“Por que isso está acontecendo? Ela se perguntava enquanto as lágrimas insistiam em correr em seu rosto.

Naquela noite ela subiu de elevador e não esperou que parasse no 1º andar. Ela só queria chegar em casa enfiar a cabeça no travesseiro e chorar até aquela tristeza passar.

Seu celular tocava repetidas vezes. Gustavo tentava falar com ela para consertar as coisas, mas ela não estava disposta a falar com ele.

Antes de dormir ela checou seu celular. Tinham quinze ligações perdidas e uma mensagem.

Ela respirou fundo, limpou as lágrimas e começou a ler a mensagem.

“Helena, esperava outra reação da sua parte. Mas entendo seus sentimentos e acho que precisamos de um tempo para as coisas se encaixarem. Daremos um jeito de fazer tudo dar certo. Você é o amor da minha vida. Não quero abrir mão de nós. Me dê uma chance de fazer tudo encontrar seu lugar. Eu me mudo em um mês. Preciso chegar lá para ver como podemos seguir juntos. Não desista de nós.”

As lágrimas seguiam correndo em seu rosto.

“Ele realmente acredita que sou quem está desistindo. Ele tinha planos de mudar para outro país há 3 meses e nunca sequer comentou isso comigo. Eu fui uma idiota, uma iludida. Ele já não estava mais no mesmo relacionamento que eu. E eu esperando um pedido de casamento. Como fui tola. Nem sei o que me traz mais tristeza.” Helena pensava depois de ler a mensagem dele.

Ela não sabia o que responder e preferiu não responder nada e naquela noite ela chorou até dormir.

O dia logo amanheceu e Helena se arrastou da cama, pois tinha uma reunião importante no primeiro horário da manhã. Se arrumou, como sempre fazia, mas dessa vez, fez o melhor que pode, pois não tinha vontade de nada.

Desceu de elevador e não esperou que ele parasse no primeiro nadar. Parecia que todas as suas motivações tinham ido embora.

Ela dirigia para o trabalho sem conseguir se concentrar em nada quando seu telefone tocou. Ela sentia um misto de sentimentos, onde parte dela queria que fosse Gustavo implorando para que ficassem juntos e pronto a desistir de tudo, porém um outro lado preferia a distância pois lhe causava angustia pensar no que diria para ele.

Para o seu alívio, era Lara ligando.

– Oi Lara! Ela atendeu.

– Oi Helena. Indo para o trabalho?

– Sim! E você?

– Também. Na verdade, vou para um cliente. Vou começar um projeto novo hoje.

– Que legal! Você está na animada? Helena perguntou tentando parecer o mais animada possível.

– Muito! É uma empresa do segmento de beleza e o projeto será muito legal. Respondeu Lara animada.

– Fico feliz por você!

– E você? Não parece muito bem. Aconteceu alguma coisa?

– Na verdade aconteceu. Terminei com o Gustavo ontem.

– Como assim? Por que? O que houve? Como você está?

– Amiga, não vou conseguir contar agora porque estou chegando na empresa. Tenho reunião agora. Te ligo na hora do almoço e falamos. Mas está tudo bem.

– Espero que sim. Estou aqui para o que precisar.

– Ainda bem que tenho vocês! O obrigada por tudo Lara. Preciso desligar. Beijo.

– Lembre-se que estou por aqui. Te ligo mais tarde. Beijo.

Lara desligou o telefone preocupada com Helena, mas logo estava no prédio onde ficava o escritório que seria seu local de trabalho pelos próximos meses e uma imensa expectativa tomava conta do seu estômago e todos os seus pensamentos.

“Que prédio bonito! Ela pensou no momento em que entrou no estacionamento.

O prédio ficava em uma região nobre da cidade e era muito sofisticado. A entrada tinha um pé direito enorme e bem no centro havia uma mesa redonda de madeira com dez vasos grandes de orquídeas brancas. Os acabamentos eram em mármore branco. As recepcionistas pareciam aeromoças de companhia aérea sofisticada. Elas usavam terninhos azul marinho e lenços de seda coloridos no pescoço.

– Bom dia! Disse Lara ao chegar para fazer seu cadastro.

– Bom dia! A recepcionista simpática respondeu. – Com quem vai falar?

– Rodrigo Alcântara, da empresa Beauty&Co.

– Ele espera por você?

– Sim.

– Um instante por favor.

Lara esperou alguns segundos enquanto a recepcionista anunciava a sua chegada.

– A senhora pode subir. Aqui está o seu crachá. A reunião será no sexto andar, por favor use os elevadores da direita após a catraca.

– Muito obrigada! Lara respondeu pegando o crachá.

Lara acessou o prédio e entrou no elevador. Aquele tinha sido o elevador com o maior pé direito que ela tinha visto em sua vida.

Ela chegou e foi recepcionada por uma mulher.

– Olá! Você deve ser a Lara?

– Sim!

– Muito prazer. Sou Angela, a secretária do Rodrigo. Ele me pediu para recebe-la.

– Muito prazer Angela.

Angela conduziu Lara até uma sala de reuniões impecavelmente arrumada, com vidros que iam do chão ao teto e tinha uma linda vista da cidade.

– Você aceita água, café? O Rodrigo está chegando.

– Aceito água e café, por favor.

– Volto já.

Lara ficou sozinha na sala esperando por Rodrigo e um filme passou por sua cabeça. Ela se lembrou dos últimos projetos realmente desafiadores do último ano e se animou por iniciar um novo projeto. Isso sempre trazia um certo frio na barriga dela. Ela adorava ser consultora e já tinha conseguido ganhar muito dinheiro, apesar de ter apenas 29 anos. Ela participava de projetos desafiadores e ajudava a corrigir problemas estruturais dos mais diversos tipos em empresas. Era uma especialista em diagnóstico e solução de problemas. O desafio que vinha pela frente parecia ser enorme e ela estava realmente muito animada com as possibilidades.

Os pensamentos dela foram interrompidos pela entrada de Rodrigo na sala.

– Bom dia Lara! Ele disse ao entrar.

– Bom dia! Ela respondeu se levantando para cumprimenta-lo.

– Muito prazer Lara. Ele disse. E de repente ficou paralisado olhando para ela.

– Muito prazer Rodrigo. E ela se chocou igualmente.

Ele foi o primeiro beijo de ano novo dela. O desconhecido que deu o cartão para ela, que ela sequer leu.

“AIMEUDEUSDOCEU!” Ela pensava sem ter ideia do que dizer para ele. “Vou fingir que não me lembro. Era ano novo e eu tinha bebido. Claro que não! Isso seria muito vulgar da minha parte. O que ele pensaria de mim?” Ela tentava buscar o melhor comportamento naquela fração de segundos.

– Então finalmente descobri seu nome. Desconhecida. Ele disse amenizando o clima completamente.

– E eu o seu. Ela respondeu aliviada e admirada com o senso de humor dele.

E nesse momento a copeira entrou trazendo água e café para alívio de Lara.

A copeira saiu e o chefe de Lara chegou.

– Olá Rodrigo, Lara, bom dia! Desculpem o atraso. O transito estava terrível.

– Bom dia Jorge. Lara respondeu.

– Bom dia, Jorge. Disse Rodrigo.

– Então já se conheceram? Perguntou Jorge.

– Sim! Acabamos de nos conhecer. Disse Rodrigo achando graça.

Lara ria por dentro. Ela nunca tinha imaginado viver nada parecido como aquilo na vida dela.

“A primeira vez que me liberto nas questões do coração acontece isso comigo. Isso é um recado do universo?” Ela se perguntava enquanto Rodrigo se preparava para começar a sua apresentação.

Rodrigo começava a apresentação do projeto e Lara precisava se esforçar muito para se concentrar. Ela tinha voltado para os primeiros minutos do ano e repassava as cenas que tinha vivido com Rodrigo dias antes.

– Quero passar essa parte do diagnóstico com vocês antes que cheguem os gerentes que estarão envolvidos no projeto. Dizia Rodrigo, no momento em que Lara. Mais uma vez se perdeu em seus pensamentos.

“Como ele é charmoso!” Lara pensava seguindo com dificuldade de se concentrar enquanto Rodrigo seguia falando.

– Nosso objetivo é encontrar uma maneira de sermos mais ágeis para trazer novidades ao mercado, em um cenário extremamente competitivo. Estamos trabalhando em um projeto de inteligência artificial e quero que vocês conheçam o projeto para vermos como conseguiremos ligar o projeto aos desafios do negócio, com mais sinergia. Estamos abertos a reestruturar nossas equipes, se necessário para termos mais agilidade e usarmos melhor as informações. Os gerentes envolvidos chegarão em alguns minutos para apresentarem seus organogramas e escopos de trabalho. O que acham até aqui?

– Temos muito trabalho pela frente, mas acredito que em seis meses, que é o tempo do projeto, conseguiremos estabelecer todos os planos. Disse Jorge.

– O que acha Lara? Perguntou Rodrigo.

– Acho que dará tudo certo. Temos bastante experiência com esse tipo de projeto.

– Está pronta para passar seus próximos seis meses de trabalho aqui? Perguntou Rodrigo de maneira charmosa.

– Sim! Pode contar comigo. Estou muito acostumada a não ter um local fixo de trabalho, pois estou cada hora em uma empresa. Os projetos sempre definem onde passarei os meus dias de trabalho.

– Fico feliz! Rodrigo respondeu.

– Bom! Acho que pode chamar os demais. Disse Jorge tentando mudar o assunto porque se sentia totalmente excluído da conversa.

– Claro. Disse Rodrigo pegando o telefone. – Angela, por favor peça para os gerentes subirem.

Enquanto esperavam os outros chegarem, os pensamentos de Lara estavam nos beijos que tinha trocado com Rodrigo no ano novo e na volta na praia que poderiam ter dado, que ela tinha recusado. “Ainda bem que eu não fui para a praia com ele. Se estou assim tendo beijado, imagine se eu tivesse transado com ele. Meu Deus! Ainda bem que não transei com ele.”

E a chegada dos gerentes a tirou de seus pensamentos.

– Quero apresentar os quatro gerentes de marketing com quem terão bastante interface durante o projeto. Disse Rodrigo. – Camila gerente de marcas, Diogo de trade e canal e o Renato de planejamento, o responsável pelo projeto de inteligência artificial. E esses são Lara e Jorge da consultoria. Hoje apresentaremos o projeto para vocês. E vocês devem apresentar suas estruturas e seus planos para Lara e Jorge.

– Prazer conhece-los. Somos da consultoria MP Consulting e estamos iniciando o projeto hoje. De acordo com o escopo de trabalho terminaremos o projeto em seis meses. A Lara será a consultora responsável pelo projeto que estará aqui com vocês o tempo todo. Ela vai apresentar p cronograma e a metodologia do trabalho agora.

Lara tremeu! Ela era super experiente e nunca ficou nervosa para falar em público, mas dessa vez tinha algo diferente e ela estava em pânico. Ela respirou fundo e começou a projetar o conteúdo do seu computador. Ela começou a falar e aos poucos ia se acalmando. Enquanto ela fazia sua apresentação, Rodrigo a olhava de maneira encantada.

A apresentação correu bem e na sequência os gerentes fizeram as suas apresentações. Depois de duas horas, a reunião finalmente acabou e já era hora do almoço. Rodrigo convidou todos para almoçar. Lara se sentia feliz em estar na presença de Rodrigo e ela nunca tinha vivido uma sensação como aquela, principalmente no seu ambiente de trabalho.

Lara estava de volta ao escritório e de repente seus pensamentos se perderam em Rodrigo e ela tinha uma tremenda dificuldade de se concentrar em qualquer coisa, principalmente na pilha de informações que ela tinha recebido naquela manhã. Ela desejava estar com Rodrigo e sentia falta da presença dele ali.

Ela resolveu se levantar para tomar um café. Secretamente ela esperava encontrar com Rodrigo em algum corredor, mas não aconteceu. Ela tomava o café olhando o vai o vem dos carros lá embaixo quando se lembrou de Helena.

“Meu Deus! A Helena terminou o namoro e estava arrasada hoje. Eu não liguei para ela. Fiquei totalmente submersa em todas as novidades de hoje.” Ela pensava. E por isso resolveu ligar para amiga.

– Oi Lara. Atendeu Helena.

– Oi Lelê. Como está sendo o seu dia?

– Se arrastando. Parece que algo dentro de mim se apagou. O mundo perdeu as cores. Estou muito mais arrasada do que eu esperava.

– Ah Helena, nunca passei por isso. Nem sei o que te dizer. Mas garanto que as cores estão aí, seu olhar que mudou. Que tal alguns drinks hoje para voltar a ver as cores? Tenho uma novidade que vai te derrubar da cadeira.

– Fala qual é!

– Só com drinks. Vamos no bar de sempre? Convidou Lara empolgada.

– Vamos! Estou precisando de vocês. Vou ligar para a Raissa.

– Boa! Nos encontramos às 19h. Pode ser?

– Super. Nos vemos lá. Vou reservar uma mesa. Respondeu Helena um pouco mais animada.

– Obrigada amiga querida. Espero que seu dia siga mais colorido a partir de agora.

– Obrigada minha amiga! E eu espero cair logo da cadeira. Brincou Helena.

– Você vai. Belive me!

– Te amo amiga. Ainda bem que tenho vocês.

– Te amo.

Lara desligou e quando olhou para o lado encontrou Rodrigo parado esperando que ela desligasse o telefone.

O coração de Lara acelerou.

“Ele deve estar ouvindo o meu coração bater.” Ela pensava em pânico com a presença dele.

– Oi! Ela disse surpresa.

– Oi! Ele respondeu.

– Posso te ajudar em algo? Ela perguntou.

– Queria saber se está tudo bem.

– Tudo bem! E você? Ela perguntou automaticamente e se arrependeu na mesma hora.

Ele riu.

– Tudo bem também. Fico feliz que esteja tudo bem. Gostou da reunião de hoje? Acha que as informações foram úteis?

– Sim! Gostei muito da reunião. Temos tudo que precisamos por hora. E muito trabalho.

E nesse momento foram interrompidos por Angela.

– Rodrigo, achei você. Desculpe interromper, mas o Senhor Robert chegou. Você precisa ir para a sala de reuniões.

– Estou indo. Ele respondeu. – Continuamos outra hora. Ele disse para Lara.

– Combinado.

– Conte comigo. Até já. Ele disse já indo embora.

Lara tentava retomar o folego.

“Gente! Acho que eu não respirava desde a chegada dele. O que é isso? Que homem sério! Que profissional! Que charmoso.” Ela pensava, achando graça de si mesma.

Ela voltou ao trabalho e Rodrigo seguia tomando conta de seus pensamentos. Era a primeira vez que ela sentia isso na vida. Pela primeira vez em sua vida ela não conseguia se dedicar totalmente ao trabalho que sempre foi a grande prioridade da sua vida.

Lara passou a tarde esperando, de maneira irracional, por um contato de Rodrigo, mas ele não apareceu mais e no final do dia ela foi embora em expectativa pelo encontro que teria com as amigas. Contar sobre Rodrigo era uma forma de reviver a história e ela não via a hora de dividir isso com as amigas.

Lara chegou antes de Helena e Raissa no bar, pediu uma mesa mais reservada, com vista para a rua. Ela organizava seus pensamentos quando as meninas chegaram.

Elas pediram drinks e começaram a se atualizar sobre tudo que tinha acontecido no seu retorno ao trabalho. Raissa e Lara estavam eufóricas com suas novidades, enquanto Helena não podia se sentir mais triste.

– Meninas, sei que faz apenas dois dias que não nos vemos, que aquele nascer do sol onde falamos das nossas metas e planos parece já ter uma eternidade, mas muita coisa aconteceu desde lá. Disse Lara dando um gole longo em seu drink.

– Você está me consumindo de curiosidade. Brincou Raissa.

– E eu me corroendo, esperando saber o que vai me derrubar da cadeira. Complementou Helena.

– A espera acabou. Vou contar tudo.

– Lara, peloamordedeus, falaaaaaaa! Implorou Helena.

– Lembram do desconhecido número 1? O que foi meu primeiro beijo de ano novo? Que me convidou para dar uma volta e me deu um cartão, porque não fui andar com ele na praia? Aquele cartão que eu coloquei no bolso sem ler?

– Sim!! Claro que lembramos. Brindamos a esse desconhecido. Respondeu Helena empolgada.

– Eu cheguei na empresa do meu novo cliente hoje, na primeira reunião do projeto. E adivinhem quem era o diretor responsável pelo projeto, que me recebeu de manhã?

– Não posso acreditar nisso! Disse Raissa super empolgada dando um longo gole em seu drink.

– Pois acreditem! Era o desconhecido. Que já não é mais desconhecido. Ele se chama Rodrigo, é charmoso e inteligente. E é meu mais novo cliente.

– Como foi esse encontro? Ele te reconheceu? O que ele disse? O que você disse? Perguntou Helena ainda mais empolgada.

– Ele foi simplesmente maravilhoso. Ele disse: “Finalmente descobri seu nome, desconhecida.”

– M-E-U D-E-U-S D-O- C-É-U! Ele é demais. Disse Raissa.

– Ele tem senso de humor. Completou Helena.

– Ele um homão das galáxias. Respondeu Lara.

– Não acredito que você se apaixonou a segunda vista. Brincou Helena.

– Pelo meu cliente. Lamentou Lara.

– É impressão minha ou você acabou de admitir que se apaixonou por ele? Perguntou Raissa.

– Não sei o nome do que estou sentindo. Não afirmo, mas não nego. Fiquei estremecida. Confessou Lara.

– Ah amiga! Você parece estar apaixonada. Derreteu-se Helena.

– Eu pensei nele o dia inteiro. Queria que ele estivesse comigo o tempo todo. Não consegui me concentrar nas coisas que eu tinha para fazer. Fui tomar café na expectativa irracional de encontrar com ele. Acho que estou totalmente envolvida com ele. Seguiu Lara com suas confissões.

– Amiga, você está apaixonada! Concluiu Helena. – Não há mais dúvidas. Eu realmente poderia ter caído da cadeira. Agora é a vez da Raissa contar como foi o retorno ao trabalho e o encontro com o novo chefe.

– Bom, meu encontro não foi tão emocionante como o da Lara, mas acelerou meu coração.

– Como assim? Perguntou Lara empolgada. – Vou pedir mais uma rodada de drinks. A ocasião merece.

– Cheguei para trabalhar na segunda e tinha pedido para que chegássemos cedo, para uma reunião extraordinária. Quando eu cheguei na garagem, encontrei um cara maravilhoso, que deu bom dia com sotaque. Na hora, não consegui reconhecer de onde era, só sabia que era gringo. Meus pensamentos foram tomados por ele. Na hora que coloquei os olhos nele. Eu até me senti livre do Vitor e cheguei a sentir um certo alívio de não ter um namorado. Acho que em um ano, foi a primeira vez que me senti assim. LIVRE! Bom, aí outras pessoas chegaram e nos distanciamos. Até então, eu não tinha ideia para onde ele ia. O fato é que o elevador foi esvaziando e ele seguia no elevador. Estávamos sozinhos, rumo aos últimos andares quando eu ri dos meus pensamentos e ele sorriu de volta. Eu flertei com ele. Poderíamos ter nos beijado ali. Até que chegamos no andar no meu escritório e ele desceu junto comigo. Obviamente fiquei constrangida ao imaginar que ele poderia ter alguma relação de trabalho comigo. Mal sabia eu que ele seria meu novo chefe.

– Como assim? Perguntou Lara empolgada.

– A reunião extraordinária começou e era para dizer que ele vai ficar no lugar da minha chefe pelos próximos seis meses. Ela está indo para Argentina e ele vem para cá. Eles trocaram de lugar em um programa que acabou de começar.

– E como ele é? Perguntou Helena.

– Ele é um Deus grego. Ele saiu do Olimpo direto para o programa de job rotation e veio parar aqui. Não só na agencia que trabalho, como virou meu chefe. Amanhã teremos nossa primeira reunião. Ele marcou alinhamentos individuais com cada gerente que vai reportar direto para ele. Ele quer conhecer o time. Não sei se vou conseguir dormir hoje.

– Vejo um concorrente à altura do Vitor chegando! Comemorou Lara.

– Um brinde ao…. novo chefe. Propôs Helena. – Como ele chama?

– Andre! Andre Gonzalez. Respondeu Raissa suspirando.

– Um brinde ao Andre e ao Rodrigo. Rodrigo propôs Helena. Independentemente de qualquer coisa, eles são especiais, porque deixaram os olhos das minha melhores amigas brilhando.

– Um brinde ao brilho nos olhos. Propôs Raissa.

– Ao brilho nos olhos! Elas disseram juntas enquanto brindavam batendo seus copos, uns contra os outros.

– Agora, no conte o que houve com o Gustavo. Pediu Lara.

– Como assim? Perguntou Raissa perdida.

– Nós terminamos! Respondeu Helena.

– Como assim? Espantou-se Raissa.

– Foi ontem. Ele me chamou para jantar e por um instante eu achei que ele me pediria em casamento, mas mais uma vez, eu estava me iludindo. Ele queria comemorar sua promoção e sua expatriação para os Estados Unidos.

– Ele te chamou para jantar para dizer que ia se mudar para os Estados Unidos? Perguntou Lara chocada.

– Sim! Ele me disse que eu poderia ir em um não e que até lá ele viria a trabalho para cá e eu de férias para lá. Ele sugeriu também que eu tentasse uma transferência para os Estados Unidos. Como se a gente tirasse do bolso uma transferência para os Estados Unidos.

– Chocada! Disse Raissa. – Como ele pode?

– Eu sempre soube que a carreira era importante para ele, mas nunca imaginei que era tanto. E eu querendo casar com ele. De verdade. Ele está indo expatriado. Ele poderia me levar se fossemos casados e nem assim ele me pediu em casamento. Ele está nesse processo há três meses e não me contou. Nunca me senti tão descartável na minha vida. Disse Helena, no momento que começou a chorar. – Eu já chorei tanto. Não consigo acreditar que ainda tenha lágrimas.

– Lelê, o destino decidiu por você! Disse Raissa. – Você merece mais! Merece alguém que faça planos com você e que valorize a mulher maravilhosa que você é! Você é deslumbrante Helena. Tão linda, que nem parece de verdade. Tem um emprego maravilhoso! É competente e bem sucedida. Os homens se jogam aos seus pés. Agora você vai poder ficar com alguém que valorize a mulher incrível que você é e que faça planos com você.

– Que incluam você! Completou Lara, com raiva. – Sempre achei que você era boa demais para o Gustavo. Ele não é tão bonito e não tem senso de humor. Você é divertida e leve. Você é maravilhosa!

– Meninas, vocês são maravilhosas! Ainda bem que tenho vocês. Helena respondeu.

– E vamos lembrar do vizinho! Do cara que foi o primeiro em todos os seus momentos desse ano novo. Acho que vale um brinde ao vizinho. Propôs Lara.

– Eu ainda não encontrei o vizinho. Será que ele mora mesmo no meu prédio? Talvez ele estivesse na casa de um amigo ou da namorada. Gente, talvez ele tenha uma namorada. Disse Helena.

– Se ele tivesse uma namorada, ela estaria com ele na praia. E ele estava com um monte de amigos homens quando encontramos com ele. Pontuou Raissa.

– Faz sentido! Respondeu Helena, mais animada. – E ele carregava uma mala quando nos encontramos no elevador. Logo, ele deveria estar saindo da casa dele.

– Todo sentido! Respondeu Lara aninada. – Vamos beber mais drinks. Vou pedir mais uma rodada.

– queria lembra-las que temos que trabalhar amanhã. Disse Raissa.

– Daremos um jeito! Sempre damos. Disse Helena empolgada.

– É verdade! A gente sempre dá um jeito em tudo. Concordou Raissa.

E nesse momento o garçom chegou com um bilhete para Helena.

– Desculpem interromper, mas o homem da mesa ali da frente insistiu para que eu entregasse uma rodada de drinks para você e suas amigas, com esse bilhete. Ele disse entregando um papel dobrado para Helena. – Posso trazer os drinks?

– Obrigada! Ela disse pegando o bilhete.

– Pode trazer os drinks! Disse Raissa empolgada.

Ela abriu o bilhete animada e leu em voz alta:

– “Envio esses drinks para animar a noite e falar que uma mulher deslumbrante como você nunca deveria chorar. Não sei o que houve, mas espero que o drink possa trazer alguma alegria para você. Você é realmente deslumbrante.”

– Helena! Acabei de falar isso! Você é deslumbrante amiga. Tudo vai dar certo. Louco é o Gustavo de te deixar para trás. Acho que você deveria beijar esse cara do bilhete. Beijar desconhecidos pode dar sorte. Disse Lara empolgada.

– Escreva uma resposta para ele. Disse Raissa empolgada.

– Nem sei quem é o cara.

– Pergunte para o garçom.

– Não estou pronta para isso. Disse Helena. – Mas admito que isso me animou um pouco.

E nesse momento o garçom chegou com os drinks.

– Muito obrigada! Disse Helena, já mais animada. – Por favor, diga ao autor desse bilhete que ele conseguiu animar minha noite e que agradeço muito os drinks e a mensagem.

– Eu direi! Disse o garçom entregando os drinks para as meninas.

– Ao futuro! E às boas surpresas que ele nos reserva. Propôs Helena sentindo uma luz reacendendo dentro dela.

– Tim- tim! Elas disseram enquanto brindavam, sentindo um frenesi tomando conta do coração delas.

CONTINUA…

O CAPÍTULO 5 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

Capítulo 4 – Oi, desconhecido!

Sabrina Almeida


Sou mãe, filha, esposa, mulher, amiga, confidente, conselheira. Sonhadora, determinada e realizadora. Organizada, mas com um que de caótica. Apaixonada pela vida e pelas pessoas. Intensa! Publicitaria, trabalho desenvolvendo produtos e marcas para deixar as pessoas mais bonitas e felizes. Escrevo porque amo escrever. Minha cabeça está sempre repleta de sonhos e devaneios. Sigo sempre meu coração. Hoje penso mais antes de tomar uma decisão. Encontrei a FELICIDADE, assim todinha maiuscula, nas coisas simples da vida. E escrever é uma delas. Enquanto as pessoas vão para a academia, fazem trilhas, tocam instrumentos musicais, cozinham… Eu escrevo! Esse é o meu hobbie… Escrevo para traduzir o que está no meu coração, sem regras, métodos ou filtros. Escrevo porque me inspira e me faz feliz. Acredito que é simples ser feliz e que para isso é preciso uma boa dose de coragem, de sorte e de sonhos e devaneios. Quando eu decidi escrever, uma pessoa me perguntou: “quem te garante que as pessoas vão se interessar pelo que você escreve?” E a minha resposta é como vou concluir minha apresentação. Vou escrever para tentar ajudar as pessoas a ver diferentes perspectivas, rir no meio de um dia difícil ou enxergar poesia no dia a dia. E se eu conseguir tocar o coração de pelo menos uma única pessoa, já terá valido à pena.


Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *