Capítulo 7 – Na companhia de Harry Winston

Assim que termina de ler o bilhete, Pedro diz para Fabio:

– Cara, essa mulher sabe das coisas. Ela conseguiu me surpreender e me fazer acreditar de verdade de que vai ficar tudo bem. Ela  poderia ter feito o que todo mundo faz, mas fez diferente. Ela sempre faz diferente. Como é bom ter uma amiga como a Malu na minha vida. Pedro fala dela fica feliz pela primeira vez desde sábado, quando seu casamento finalmente acabou.

– Foi bem legal esse gesto mesmo. Ela é muito especial. Nunca te vi falar assim de uma mulher. E olha que você tem muitas amigas. Diz Fabio consternado pelo amigo.

– Nunca tive alguém assim na minha vida. Ela me conhece, sabe o que dizer, parece que nos conhecemos há séculos. Ela me faz rir, me faz pensar sobre a vida, me desafia. Gosto dela.

– Será que você gosta dela somente como amiga? Pergunta Fabio.

– Cara, sim! Ter algo além disso com ela poderia estragar tudo. Ela é a sua versão mulher. Minha melhor amiga. Agora não posso e não quero me envolver emocionalmente com ninguém e nunca seria sacana com ela. Além do mais ela tem um namorado e está muito empenhada tentando fazer a relação dela dar certo. E ainda, anda sonhando em casar, ter filhos, romance. E definitivamente, não posso oferecer isso à ela. Então, dou à ela o melhor de mim que tenho disponível no momento.

– Faz sentido! E se ela sou eu de saias, acho que não vai rolar nada sexual mesmo. Eu jamais transaria com você. Brinca Fabio, tentando animar o amigo.

Seguem conversando e entornando shots de tequila e Pedro se sente realmente melhor depois do bilhete de Malu.

Enquanto isso, ela recebia seus melhores amigos em casa, para comemorar sua conquista no trabalho que de alguma maneira tinha muito a ver com eles.

A noite vinha bem animada. Betsy contava detalhes sobre os preparativos do casamento e Malu teve na hora a ideia de fazerem uma viagem de despedida de solteira. As meninas adoraram a ideia. A única que parecia não se animar muito com tudo era Grazi, que desde que chegou tinha uma expressão muito chateada. Ela vinha tendo problemas no trabalho e ver sua amiga fazendo coisas tão legais levava ela a sentir ainda mais mal sucedida.

Vitor pergunta finalmente:

– Grazi meu amor, que carinha é essa? Uma cara linda como a sua não combina com essa tristeza toda.

– Não é nada demais Vit! Minha vida no trabalho não anda lá essas coisas. Meu chefe não está nem aí para mim, sinto que não estou aprendendo muita coisa, sinto que minha carreira está estagnada. Estou pensando se sirvo mesmo para isso. Tem mais de 2 anos que recebo o mesmo salario, enquanto contratam pessoas de fora para fazer a mesma coisa que eu faço ganhando um salário muito melhor. Sou uma boa funcionaria. Dedicada, comprometida, trabalho até melhor sob pressão. Não sei o que estou fazendo de errado. Estou muito longe da parte estratégica e me sinto muito executora. Não me vejo por exemplo, participando de uma trabalho como essa concorrência da Malu. Sinto que para ser bem sucedida cedo eu deveria estar em uma posição mais sênior. Eles me valorizam tão pouco que estou começando a acreditar que não sou boa e que fiz escolhas de carreira muito equivocadas. Enfim, vejo todos evoluindo, mudando de emprego, sendo promovidos e eu sigo fazendo a mesma coisa. O ponto é que a necessidade de mudança está clara, mas não tenho ideia de onde ir ou por onde começar.

– Tadinha! Que chefe é esse, que permite que um funcionário se sinta assim? Não tenho a menor ideia de como funciona esse mundo de vocês, afinal no restaurante as coisas são bem diferentes, porém eu mesmo que não passo por isso, comecei a investir na minha confeitaria gourmet. Porque você não começa a pensar em um projeto pessoal? Acho que nós damos muita importância para os nossos empregos. A vida vai muito além disso. Uma vida linda como a sua não poderia ficar tão abalada por isso. Esse é só um emprego. E lembre-se que você pode tentar arranjar outro.

– Hoje não foi um bom dia. Talvez amanhã eu esteja melhor. E hoje é dia de celebrar, não de reclamar. Então, por favor vamos mudar de assunto. Não quero pensar ou falar mais sobre isso.

Nesse momento chega Eric com uma nova namorada, Heloisa. Era a primeira vez que ele apresentava alguém para a turma desde que ele tinha terminado com Grazi. Apesar de já não sentir mais nada por ele, Grazi morreu de ciúmes. Além de ser uma pessoa mal sucedida na vida profissional, não tinha namorado e nem uma perspectiva de família. Enquanto o ex namorado era bem sucedido e já tinha uma namorada nova. Pensava que definitivamente aquele não estava sendo um bom dia, e nem um bom ano na verdade.

Acabam voltando para a história da despedida de solteira e resolvem passar um final de semana no Rio de Janeiro. Em meio a brindes com margaritas especialmente preparadas por Edu, expert em drinks, Malu recebe uma ligação de Rodrigo dizendo que se enrolou e não poderá ir, mas que está planejando uma surpresa para ela. Malu fica chateada, mas de alguma maneira, pelo horario, já esperava que ele não viria mais.

Vitor passa a noite inteira olhando o celular. Padecia estar trocando mensagens com alguem. Malu percebeu e achou estranho, afinal o namorado dele estava bem ali. E pergunta baixinho parabo amigo:

– Vit, você não largou o celular a noite inteira. Está tudo bem? Nunca te vi fazendo isso.

– Sim! Está tudo bem. É uma cliente nova. Vou fazer os doces do casamento dela. Estamos falando sobre isso. Na verdade, estou trabalhando.

– Então deixa o trabalho para amanhã e venha se divertir com a gente.

– Ok! Amanhã eu resolvo. Diz isso enquanto coloca o celular em cima da mesa o empurrando para frente.

Ele até largou o celular, mas de alguma maneira estava curioso sobre o que acontecia nele e não resistia dar uma olhada de vez em quando.

Todos vão embora tarde da noite e se despedem tentando combinar algo antes do aniversario de Vitor, que aconteceria em uma semana. A hora de ir embora deles era sempre um pouco caótica. Malu vai dormir o mais rápido que pode, porque Rebeca ia voltar no dia seguinte e eles teriam uma longa reunião que começaria com um café da manha às 8h.

Era inicio de julho, Malu completava 3 meses de agência e um monte de coisa tinha acontecido, ela pensava sobre como o tempo tinha voado e ela nem tinha percebido. Mal Rebeca tinha saído para ir viver a sua vida e já estava voltando. Há 3 meses atrás, parecia que demoraria uma eternidade. Além da volta de Rebeca, o assuntos que mais se falavam na agência ultimamente era sobre o festival de Cannes e uma aposta de quais seriam os nomes que iriam acompanhar a premiação e a festa de comemoração de 20 anos da agência em que aconteceria um baile de gala, digno de vestido de alta costura para as mulheres e smoking para homens. Agora faltava pouco para tudo. Rebeca já voltava no dia seguinte, o baile aconteceria em 20 dias e Cannes em pouco mais de 1 mês. O tempo realmente tinha voado.

O dia amanhece cinza. Faz frio e Malu veste uma calça de couro skiny preta, botas de camurça na altura dos tornozelos, malha de lã branca justa sobreposta com uma camisa branca, um casaco tipo trench coat preto e uma série de colares sobrepostos em tamanhos diferentes trazendo modernidade para seu look. Quase tudo comprado por indicação de Olivia. Ela nunca teria comprado uma calça de couro na vida dela, se não fosse assim. Ela chega pontualmente às 8h, o café da manhã dura 1 hora e todo o tempo foi gasto por Rebeca contando com riqueza detalhes tudo que aconteceu na sua Eurotrip, com direito a mostrar fotos dos lugares paradisíacos por onde passou na sua lua de mel. No final do café da manhã, Pedro chega perto de Malu e diz que ela está muito bonita e que gosta do novo estilo dela. Ela agradece e diz que isso é obra da Olivia.

Começam a reunião mensal com Guto apresentando o cronograma para finalizar a inscrições dos cases que concorreriam a prêmios em Cannes. Eles tinham um pouco mais de um mês para preparar tudo antes do festival. Malu soube que ela e Caíque iriam com Pedro e Guto, além de Duda e Priscilla e mais 2 diretores de criação. A viagem não parecia compensar o trabalho duro que teriam para preparar tudo em tão pouco tempo. Seguem com a extensa pauta da reunião que invade a hora do almoço. Apresentam para a Rebeca o status dos principais trabalhos em andamento e contam sobre a conta nova conquistada com a ajuda de Malu. Rebeca se sente feliz em estar de volta e recomenda a todos que trabalhem duro, mas que nunca renunciem aos prazeres da vida ou deixem de priorizar a família.

Pedro vai almoçar com Rebeca e conta sobre suas ideias para a área de inovação, sobre o seu divórcio e aproveita a volta dela para tirar uns dias de férias e organizar a vida. Ele tinha que comprar uma casa nova.

Pedro fica fora 1 semana, alguns dias, totalmente escondido na fazenda de um amigo, isolado do mundo sem internet e telefone. Fica quase 10 dias sem notícias da civilização. Volta a tempo de encontrar um novo apartamento. E mais uma vez o tempo voa. Retorna das férias em uma sexta-feira, porque nesse dia ia acontecer uma reunião muito importante sobre os cases de Cannes e além disso, para a festa de aniversario da Rebeca. Ela tinha convidado várias pessoas da agência para um camarote de um show do marido.

Era uma super festa com aperitivos sofisticados e bebida à vontade. A noite estava deliciosa. Olivia e Flavio conversando perto demais um do outro. Theo e Duda não se desgrudavam e acabaram optando por cantos que lhe davam mais privacidade. Priscilla comia Pedro, ou tentava. A festa estava  divertida, Rebeca muito feliz. Malu mais sozinha do que interagindo com as pessoas. Todos pareciam muito ocupados. Eram quase 22h. o show já tinha terminado e ela se prepara para ir embora, porque encontraria seus amigos para comemorar o aniversário do Vitor no restaurante em que ele trabalha, exatamente como tinham feito para comemorar o de Edu algumas semanas atrás. Tudo parecia bem tranquilo, com um clima que se aproximava de um final de festa. Até que em um instante o ambiente ficou carregado de um clima de romance e ira.

De repente, Olivia e Flavio, que não tinham se desgrudado a noite inteira, estavam em pé e começam a discutir. Ela parecia muito brava e estava quase chorando, quando Flavio segurou seu rosto e olhou firme e profundamente dentro dos seus olhos e sem dizer uma única palavra se aproximou lentamente, fazendo com que ela parasse de falar e a beijou calma e apaixonadamente. Na frente de todos. O mundo parecia ter parado e até que aquele beijo terminasse tudo ficaria em camera lenta. A cena estava extremamente romantica até que depois de 30 segundos de beijo, totalmente correspondido, Olivia empurra Flavio dizendo: – Você ficou louco? E fim do romance, Olivia sai correndo, deixando Flavio sozinho ali de pé sem entender nada.

Enquanto isso, Priscilla esta quase em cima de Pedro, que não parece nem um pouco à vontade, tentando se esquivar dela. Ela esta dando o bote, afinal agora ele é um homem solteiro e desde o divórcio Priscilla tem se mostrado ainda mais disposta a fisgá-lo. Ele tenta claramente escapar. Malu, observando de longe, acha graça e liga para o celular dele.

– Oi tudo bem? Desculpe, mas você me pareceu estar em apuros aí. Quer que eu te salve? Se não, me desculpe atrapalhar.

– Oi! Sim! Cara ainda bem que você ligou.

– Bom essa é a hora que tenho que inventar algo para te tirar daí. Certo?

– Aham. Concorda Pedro rindo.

– Aqui é o Renato. Acabei de chegar da Australia e meu voo chegou mais cedo. Então vou ficar te esperando aqui na portaria.Você demora?

– Já chegou? Não te esperava tão cedo. Estou à caminho. Abraço

Pedro pede desculpas e diz para Priscilla que precisa sair. Ela fica claramente chateada. Malu acha graça, se sente uma adolescente e ri enquanto Pedro caminha em sua direção. Nesse mesmo momento, logo atrás deles Duda dá um tapa na cara de Theo. Alguma coisa muito errada ele tinha feito. Malu se preocupa, mas quando tenta ir atrás de Duda ela já tinha sumido e sido rapidamente seguida por Theo.

Malu e Pedro dão risada e comentam sobre a novela mexicana que aquela noite estava parecendo. Ele agradece a ajuda e diz que Priscilla perdeu a noção e emenda dizendo que jamais ficaria com alguem da equipe dele. Malu convida Pedro para ir com ela para o aniversário de Vitor. Ele aceita e saem juntos.

No caminho, enquanto dirige, Malu pergunta:

– Por que você não fica com a Priscilla? Ela é um mulherão! Linda e parece gostar muito de você.

– A Priscilla é uma mulher comum. Linda, sem dúvida, parece ser boa de cama. Ela é gostosa. Mas está longe de ser o tipo de mulher por quem eu me apaixonaria. A típica mulher bonitona, um pouco limitada para todos os assuntos que não são os do universo dela. Ela é previsível. E além do mais, ela é da minha equipe. Mesmo que fosse a mulher mais incrível do mundo eu não ficaria com ela. Não saberia o que fazer com ela no dia seguinte. Mulheres plasticamente bonitas, como a Priscilla tem aos montes por aí. Quero uma mulher que tem algo especial, um conjunto especial. Uma mulher que eu goste do pacote e não fique separando defeitos de qualidade. Ela não vale à pena a dor de cabeça do dia seguinte.

– Então a mulher não precisa ser bonita? Provoca Malu.

– Não foi isso que eu disse. Eu preciso achar ela bonita, mas a beleza de uma mulher transcende o corpo e o rosto perfeitos. Se trata de um conjunto de coisas relacionadas com um rosto e um corpo bonitos. Difícil te explicar! Mas claro que ela precisa ser bonita para mim.

– O que você quer dizer com: “um conjunto de coisas relacionadas com um rosto e um corpo bonitos?” Que coisas são essas?

– Ela precisa por exemplo, ter muito senso de humor e falar de diversos assuntos, ou seja um universo que não seja limitado. Ela precisa me envolver. Me estimular e até me desafiar. Ela não pode ser previsível. Sei lá. Vai além da beleza. Ah! E precisa ser muito boa de cama.

– Entendi. Uma beleza com charme. A mulher precisa ser mais interessante que bonita.

– Mais ou menos isso…

– Dificil encontrar essa mulher né?

– Nem tanto, Malu.

Nesse momento começa a tocar no rádio Palavras ao Vento da Cassia Eller, que de alguma maneira combina com a conversa. Malu sente uma tremenda felicidade quando ouve uma música que adora e que combina com o que está acontecendo. Ela ri, perdida em seus pensamentos. De alguma maneira, por alguns segundos, Pedro se sente contagiado com aquele clima e a forma como as luzes iluminam o rosto de Malu compõe uma cena quase poetica para ele. E nesse momento ele não consegue tirar os olhos dela.

Quando chegam no restaurante já estavam todos lá. Inclusive Rodrigo que apareceu para fazer uma surpresa, o que deixou Malu extremamente feliz. Enquanto o rosto de Grazi se ilumina ao ver Pedro de novo e partir desse momento ela parece não ver mais ninguém além dele.

Logo depois do parabéns, Rodrigo pede algumas garrafas de Veuve Clicquot Rose, o champagne que Malu guardava sempre para ocasiões especiais, e se levanta propondo um brinde.

– Eu gostaria de propor um brinde aos noivos. Diz isso levantando seu copo.

– Que noivos? Perguntam.

– O novo casal que vai se casar em breve, se aquela linda mulher aceitar se casar comigo. Diz isso apontando para Malu e levando uma caixinha de jóias em sua direção.

– Nossa!! Que lindo Rô! Sim!!! A linda moça aceita!! Grita Malu totalmente surpresa. Pulando no colo de Rodrigo para abraça-lo.

Enquanto todos se levantam para cumprimentar os noivos as mulheres pedem para ver o anel. Era um Harry Winston cravejado de brilhantes, que deixou todos, inclusive Malu, de boca aberta.

Pedro se sente estranho em relação aquilo. Fica feliz por Malu porque ela merecia muito ser feliz e andava triste querendo ser pedida em casamento, mas morre de ciúme de um jeito que ele mesmo não consegue entender. Grazi se sente a última da turma que vai casar e nem tem namorado, fica feliz pela amiga. mas morre de aflição e medo de ficar sozinha. Os demais amigos presentes vão para as nuvens com Malu.

Grazi, tentando disfarçar o seu mau humor é a primeira que se despede de todos alegando que terá um dia importante no trabalho e oferece uma carona para Pedro que tinha ido com Malu. Ele aceita e vão embora juntos. Já no carro, Pedro confuso com o que estava sentindo, beija Grazi.

Malu e Rodrigo vão para casa dela comemorar sozinhos o pedido de casamento, porém a noite é interrompida por mais uma emergencia medica e Rodrigo precisa ir. Ela precisava se acostumar com isso porque essa seria a vida dela quando estivesse casada com ele.

Coloca sua playlist favorita para tocar e pela segunda vez na noite é surpeendida com a música Palavras ao Vento. Ela amava aquela música. Seus pensamentos vão para Pedro. Será que ele tinha ficado com a Grazi? Será que a Grazi poderia ser a mulher que torna impossível separar defeito de qualidade? Volta para a mpusica. As pessoas estão o tempo tentando se encontrar e ela o Rodrigo tinham se encontrado. E naquela noite ele a pediu em casamento. As frases insistentes do refrão da música a fizeram pensar sobre ser de verdade, “quero poder jurar que esse amor jamais será palavras ao vento”.

Enquanto olhava o anel de brilhantes em seu dedo, pensava que pelo menos agora ela tinha esperança de que o Rodrigo estava de fato se esforçando para ficarem juntos e que talvez as coisas melhorassem. Ela estava feliz demais para se importar com qualquer coisa e naquela noite seu Harry Winston lhe faria companhia, ela não ia dormir completamente sozinha.

Palavras Ao Vento🔊🎶🎶🎶

CONTINUA…

O CAPITULO 8 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEITA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *