Capítulo 8 – O Novo Dono do Meu Destino

Vitória passou o sábado sofrendo com os seus fracassos de amor e nem Thomas que passou dias a chamando para sair dava mais sinais de vida. Logo agora que ela estava disposta a dar uma chance para ele.

Ela não teve motivação para tirar o pijama e aproveitou para descansar depois de dias tão intensos de trabalho. Sequer abriu a janela. Passou a tarde rodando pelos canais da TV à cabo. Não teve concentração suficiente para ver suas séries de TV e somente filmes com histórias românticas tinham espaço na televisão dela naquela tarde.

Emendou um filme no outro. Comeu chocolate, pipoca, tomou refringente, comeu um pote inteiro de sorvete direto do pote. Não sentia culpa por comer tanto e ingerir tantas calorias. Na verdade se sentia grata. Agradecia silenciosamente o inventor do sorvete de doce de leite. Já não aguentava mais comer, já não aguentava mais açúcar e já não aguentava mais tanto romance. De vez em quando buscava por uma mensagem de Thomas no seu celular. Mas nada. Bastou ela pensar em dar uma chance para a história e ele sumiu.

Pensava mentalmente na enorme quantidade de coisas que precisava fazer e que não fazia por falta tempo. Pensou em arrumar seus armários, tirar o que não servia. Mas não teve motivação suficiente para se levantar e arregaçar as mangas. Se arrependeu por ter perdido um lindo dia sol. Poderia ter ido na piscina. O bronzeado das férias já estava quase sumindo e ela pensava todos os dias da semana que gostaria de tomar sol para manter seu bronzeado. Mas perdeu o sol. Já estava anoitecendo. Pensava sobre os livros comprados que não tinha tempo de ler e que estavam ainda novos esperando por ela em seu criado mudo. Pensava sobre conversar mais com a mãe e com a irmã. Aproveitar seu sobrinho que estava crescendo tão rápido. Mas recusou o convite de viajar com eles para praia. Agora era tarde. Também lamentou não ter ido se exercitar. Há meses adia o inicio das suas caminhadas que podem ser a pequena participação de atividades físicas em sua vida tão sedentária. Pensou em ir correr na esteira da academia do prédio, ainda mais depois de tanto açúcar, mas não conseguiu ir adiante. Por mais afazeres que tivesse na sua lista, ela não conseguia se mover da cama.

Já no final do dia, depois de passar o dia em silencio, completamente sozinha, sentia o peso da falta de perspectivas ou de vida em volta dela e sentiu-se triste.

Então ela resolveu ligar para Thomás para chamá-lo para jantar. Ligou decidida a dar uma chance para essa história, mas ele não atendeu o telefone.

“Hum. Ligo de novo?” Pensava ela. “Mando uma mensagem?” “Melhor esperar ele retornar.”

Resolveu ir tomar banho e já pensava na roupa que iria vestir, no caso de Thomas retornar sua ligação. Tomou um banho demorado. Passou hidratante no corpo inteiro. E depois de quase 1 hora e meia que havia ligado correu para ver se tinha alguma ligação perdida ou mensagem no seu celular. E nada. Nem da operadora, de ninguém.

Vitoria se sentia decepcionada e pensava na quantidade de produtos de beleza que tinha gastado para ir direto para a cama dela e sozinha. Ria de si mesma.

Ela terminava de colocar seu pijama quando o celular tocou. Ela correu, como se fosse bater o record mundial dos 100 metros rasos.

Era José ligando.

– Oi José.

– Oi Vick, tudo bem?

– Sim. E você?

– Bem também. Estou ligando para saber como você está. Depois do que aconteceu ontem.

– Estou bem José. Procurando me encontrar. Sei lá. Parece que meu coração finalmente que viver algo bom de novo depois de tanto tempo. E acabei misturando um monte de coisas.

– Você não está brava comigo né?

– Claro que não José. Estou mais parecendo uma lunática. Desculpe pela forma como venho agindo com você. Nunca pensei que eu pudesse estar brincando com os seus sentimentos assim. Espero que não me entenda mal. Mas o que senti por você foi real. O que sinto é real.

– Eu posso imaginar. Não precisa se desculpar. Sou grandinho e sei me cuidar.

– Desculpe ter te beijado.

– Não precisa se desculpar por isso também. Desculpe não ter deixado continuar.

– Você fez bem.

– Que bom que tudo está bem. Dormi pensando naquele beijo.

– Fiquei pensando naquele beijo até agora. Mas agora você tem uma namorada.

– Isso. Agora eu tenho uma namorada. E não vou deixar a gente pirar.

– Combinado. O que você vai fazer hoje? Perguntou Vitória querendo mudar de assunto.

– Vou no cinema com a Isabela. E você?

– Vou ficar em casa. Estou cansada.

– Então vai descansar. Bom saber que você está bem.

Nesse momento começa a tocar a segunda linha do celular de Vitória e ela se apressa em desligar com José.

– Vou! Obrigada! Preciso ir. Bom cinema para você. Beijo

Ela corre atender a segunda linha.

– Oi Vick, cadê você? Diz Tatiana do outro lado da linha.

– Como assim? Na minha casa. Por que?

– Não acredito que você esqueceu!

– Do que? Respondeu Vitória já aflita.

– Minha despedida de solteira. Só falta você aqui.

“Puta que pariu! Esqueci da despedida de solteira da minha melhor amiga. Que merda de amiga que eu sou.” Pensava Vitória antes de responder.

– Estou indo Tati. Me dá 20 minutos e chego aí.

Vitoria se sentia grata por ter tomado banho e em poucos minutos vestiu um vestido preto que tinha uma saia justa de paetê e uma malha fininha que ficava mais solta fazendo um contraponto com a saia justa na altura do meio da coxa. Arrematou o look com uma sandália preta e foi de táxi encontrar a amiga.

Chegou rápido em uma danceteria recém inaugurada na cidade e graças ao fato de a festa acontecer em um camarote ela não pegou fila e em segundos estava dentro da danceteria.

Assim que viu Vitória entrando Tatiana correu para buscá-la.

– Sua amiga mais desnaturada! Ainda bem que você chegou.

– Me desculpe. Mas tenho tanta coisa na minha cabeça ultimamente.

– Te desculpo. O importante é que você está aqui! Agora vem. Vamos beber. As mulheres já estão bêbadas. Temos vodka, tequila e champagne na mesa. Tudo nosso!

– Oba! Vamos.

O lugar era extremamente sofisticado e estava lotado de pessoas na faixa dos 30 e poucos anos. Tinha muita gente bonita e a pista lotada fervia ao som de Madonna. As pessoas mal conseguiam se ouvir de tão alta que a música estava.

As meninas se jogaram na pista e viraram muitos shots de tequila. Aproveitaram a noite como não faziam a tempos. Estavam imunes à tristeza e ao cansaço. Perto das 6 horas da manhã com suas tiaras de chifrinho e echarpes de plumas, o dia quase amanhecendo e o lugar ficando deserto, Tatiana e Vitória começaram a conversar.

– Que delícia que foi essa noite. Obrigada por dividi-la comigo. Dizia Tatiana realmente feliz.

– Também achei deliciosa. Me esqueci de todos problemas e tive certeza absoluta de que tudo vai dar certo.

– Minha amiga querida! Tudo vai dar certo. E acredite que o melhor vai acontecer. Sobre aquela confusão toda com o José e o encontro surreal com o casal Eric e Isabel, como você está?

– Na verdade, acho que vou dar uma chance ao Thomas. Acho que o José pode ter razão. O que sinto é real, mas foi repentino e eu não estou regulando bem mesmo. Nem eu me entendo. E o fato de saber que ele já gostou de mim, coloca tudo em outra perspectiva. E a história com o Eric… Bom isso nem sei como explicar. Nunca daria certo. Mundos diferentes demais. Ele nem me notava quando nos encontrávamos à trabalho. Enfim, vou dar uma chance para gostar de quem gosta de mim. Porque de verdade, cheguei a achar que não sou atraente.

– Sua maluca! Olha a quantidade de caras lindos que tentaram te beijar hoje. Você é linda! E está no auge da sua beleza.

– Bom, pensando por esse lado você tem razão! Tive muitas oportunidades de beijar na boca homens realmente lindos essa noite.

– Viu! Você é linda e está tomando uma sabia decisão! Chama o Thomas para sair. Se joga Vick. A felicidade às vezes se cansa se esperar.

– Obrigada por tudo minha amiga querida e me desculpe mais uma vez ter esquecido sua despedida de solteira.

– Te desculpo pela milésima vez! Relaxa. O importante é que você veio! Agora vamos embora? Eles querem limpar o local e ir para casa. Disse Tatiana olhando para os funcionários que esperavam exclusivamente por elas para fechar o local.

– Vão começar a nos jogar pragas se não formos embora daqui.

E as duas caíram na gargalhada e se levantaram para pagar a conta quando já não havia mais ninguém ali, além delas e dos funcionários.

Vitória foi para casa com o nascer do sol se sentindo grata por suas amizades e todas as boas perspectivas que tinha pela frente. Ainda mais gratidão sentia ao lembrar de todas as chances que a vida lhe apresentava para ela ser feliz.

No domingo ela dormiu o dia todo, porque precisava se recuperar da noite que tinha passado em claro dançando e bebendo tequila. Quando acordou , já anoitecendo, sua mãe estava de volta e chamou Vitória para jantar.

– Minha filha que noitada hein? Nunca te vi dormir tanto. Dizia a mãe enquanto colocava os pratos na mesa.

– Mãe! Que bom que você chegou. Essa casa fica muito quieta sem vocês. Sim! Foi uma tremenda noitada.

– A Tati estava feliz?

“Meu Deus até minha mãe se lembrava da despedida da Tati e eu não! Realmente eu surtei.” Pensava Vitória antes de responder para a mãe.

– Sim! Ela estava muito feliz. Todas as nossas amigas foram. E dançamos até amanhecer. Foi uma delícia. E você o que conta de novo?

– Ah filha. Tive um final de semana realmente muito romântico. O Roberto é um amante incrível e um homem muito gentil. Gente, como é estranho falar sobre isso com você. Disse Helena corando.

– Para com isso mãe. Vergonha do amor?

– Do amor não! Do sexo minha filha.

E as duas caíram na gargalhada.

– Mãe, que delícia te ver feliz no amor depois de tanto tempo.

– E você minha filha? Como anda o amor?

– Ih mãe. Acho que anda de ré.

E as duas morreram de rir de novo.

– Jura minha filha? Por que?

– Longa história. Mas basicamente, quem eu gosto parece não gostar de mim, quem eu poderia gostar, gosta de uma top model e quem aparentemente gostava de mim, sumiu depois que resolvi dar uma chance para essa história.

– Que novela minha filha. Quero acompanhar as cenas do próximo capítulo.

– Você irá mãe. Mas agora vou tomar um banho e tentar dormir. Amanhã vou estar acabada.

– Vai minha filha. Boa noite.

– Boa noite mãe.

Vitória deu um beijo na mãe e foi para o seu quarto. Já estava deitada lendo quando seu celular anunciou a chegada de uma mensagem. Ela se alegrou e foi ver em expectativa. Era de Thomás.

“Olá Vick, tudo bem? Vi sua ligação, mas não pude atender. Estava fora de São Paulo e acabei de chegar. Tenho um dia importante amanhã no trabalho. Te ligo amanhã no final do dia.”

Ela pensou, pensou, pensou, quis perguntar onde ele estava. Imaginou que ele tinha viajado com outra mulher, do contrário poderia ter atendido o telefone. Escreveu e apagou várias vezes a mensagem antes de enviar. E por fim escreveu simplesmente:

“Boa sorte no seu dia importante amanhã. Espero sua ligação. Beijos”

Ela já não conseguia mais se concentrar na leitura e também não conseguia dormir porque sentia seu coração bater mais rápido que o habitual.

Pensava sobre a chance que ia dar para o amor quando finalmente dormiu.

Na segunda-feira quando chegou ao escritório recebeu a recomendação de ir para maior sala de reuniões da agência.

“Parece afinal que os boatos faziam sentido. Por que fariam esse tipo de reunião com todo o time reunido?” Pensava ela enquanto se dirigia para a grande sala de reuniões.

Quando ela chegou na sala já tinham muitas pessoas reunidas e em poucos minutos a equipe estava toda lá. Com a sala totalmente lotada, Veronica e Omar começaram a falar.

– Já tem alguns meses que fomos procurados por uma grande agência de modelos com atuação internacional com uma proposta de parceria. Começa dizendo Veronica.

– E o sucesso de modelos recém lançadas por nós e campanhas tão bem sucedidas com nossas modelos acabaram nos dando projeção e aumentando nosso valor. Logo a proposta de parceria antes não tão vantajosa, acabou se tornando muito atraente com as novas cifras e garantias que nos apresentaram. Complementou Omar.

– Por isso, como vocês tem especulado, de fato nossa agência está sendo vendida para TOP. A maior agência da América Latina. Disse Veronica.

– Pedimos que olhem o lado positivo e pensem no quão bom isso pode ser para nós. Sei que se preocupam pelos seus empregos, mas lhes convido a pensar em oportunidades e não em ameaças nesse momento. As negociações foram duras e pedimos pelas pessoas que já trabalham aqui alegando ser importante para manter nossa essência. Eles vão avaliar, mas a principio, todos tem seus empregos garantidos. Finaliza Omar. – Vocês tem perguntas?

– Vamos continuar nesse endereço? Perguntou Cristina.

– Não. Nos mudaremos para o escritório da TOP que fica bem perto daqui, mas com uma infraestrutura muito melhor. Respondeu Omar.

– A TAI continua existindo ou seremos totalmente incorporados. Perguntou Gustavo um funcionário que havia acabado de começar a trabalhar na empresa.

– A principio continua existindo. Eles vão estudar algumas especialidades possíveis pensando nos negócios.

– E tem chance de trocarmos de empresa. Hoje trabalho na TAI mas a partir da semana que vem estou na TOP? Continuou Gustavo.

– Sim. Isso pode acontecer. Mas tudo será muito bem planejado e certamente não será feito de uma hora para a outra. Respondeu Omar.

Enquanto isso Vitoria se perdia em seus pensamentos. “Minha historia com José terminou sem começar e acho que ele tinha razão de fugir. Nem eu entendo o que estou sentindo. Eric era mais legal quando éramos anônimos e contávamos com a ajuda do destino. Eu comecei a acreditar que podia dar certo e aí aparece a mulher mais bonita que eu já vi pessoalmente e diz para o meu coração: – Não dessa vez meu bem. E ainda aparece o Thomas, um cara legal, que parece me querer, mas que eu não quero, apesar de ele estar lindo e beijar divinamente bem. E na hora que eu resolvo tentar dar uma chance para a história ele some e provavelmente viajou com outra esse final de semana. Por que tudo tem que ser tão difícil? Se o Thomas não me ligar hoje, vou ligar para ele. Ele me valoriza. Preciso parar com essa história de querer quem não me quer. Vou investir nele. Vou chamar ele para jantar hoje e dar uma chance para essa história. E como se ainda não bastasse os fracassos no amor, posso perder meu emprego ou a projeção que eu começava a ganhar. Em agência grande, as oportunidades são muito mais raras. Essa sou eu voltando para o inicio no jogo da vida. Maus números nos dados. Bom podia ser pior. Os dados podiam me mandar para a cadeia.” Ela ria de sua tragédia e dos seus fracassos quando foi totalmente arrancada dos seus devaneios.

– Queremos apresentar a vocês nosso novo chefe. O novo diretor geral vem da TOP. Recebam Thomas Novaes.

Vitoria não podia acreditar no que estava vendo. O novo chefe dela. Ou melhor, o novo chefe do chefe da chefe dela era o Thomas. O amigo de escola, que insistiu em levar ela para jantar e que beijou ela carinhosamente dias atrás era o novo dono do destino dela.

CONTINUA…

O CAPÍTULO 09 SERÁ PUBLICADO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *