Por Mais Prazer e Menos Culpa

A vida vai ficando cada vez mais complicada, corrida e apertada. Nossa rotina inclui trabalhar, ganhar dinheiro, pagar contas, cuidar dos filhos, da casa, do gato, do cachorro, ir no supermercado, fazer o jantar, limpar a casa, estudar, malhar, nos aprimorar, nos espiritualizar. A pressão por ter tudo e fazer tudo é cada vez maior, o que vai tornando o tempo cada vez menor e angustia cada vez maior.

Os dias vão ficando cada vez mais curtos para a enorme quantidade de tarefas com as quais vamos nos comprometendo. O que nos faz ter a cobrança roubando o lugar do nosso sono, nos faz amargar a culpa por termos deixado de fazer tantas coisas, por ter deixado coisas para trás ou para amanhã. E assim nosso amanhã já começa atrasado e como consequencia outras coisas vão ficando para amanhã, fazendo uma enorme bola de neve começar a rolar na nossa cabeça.

Trabalhamos sete dias para descansar dois. Nos dois dias acabamos descansando mesmo, quando deveríamos estar nos divertindo. Mas o acumulo de sono e cansaço durante a semana nos deixa exaustos. Por isso optamos por descansar ou fazer toda a coisa burocratica que o trabalho não nos permitiu ao longo da semana, quando deveríamos estar sentindo prazer, descobrindo o novo, compartilhando experiências com amigos. E assim vamos aprendendo a inventar desculpas para não ver nossos amigos ou fazer as coisas que nos dão prazer. Afinal, quem estamos enganando?

Mas o mais grave de tudo, não é a rotina ou a cobrança. Acabamos renunciando prazeres o tempo todo. Por culpa, falta de tempo, falta de prioridade. E se nos permitimos o prazer, sentimos culpa.

A equação que acabamos assumindo entre prazer e responsabilidades não parece muito justa. Ela na verdade não é nada justa.

Precisamos colocar prazer na nossa vida e nos permitir viver indulgencias. Precisamos nos permitir viver prazeres sem sentir culpa.

Algumas coisas podem e devem ficar para amanhã, se a troca for um jantar com os amigos, uma conversa sobre planos para o futuro regada a vinho com o seu parceiro, um jantar especial com sua família, mesmo em uma segunda qualquer, finalmente começar a fazer uma atividade física ou simplesmente para colocar o sono em dia porque você anda se sentindo muito cansado.

Transforme segundas em sextas de vez em quando! Faça um jantar especial durante a semana e aproveite para abrir aquela garrafa de vinho de uma safra especial já empoeirada de tanto esperar por algo grandioso. Saia para jantar na terça como se fosse sexta. Tire um dia de folga para viver um dia de feriado, mesmo que o mundo esteja trabalhando, na casa do seu melhor amigo que mora longe.

Contar calorias deve ser substituído por somar experiências gastronômicas inesquecíveis. Você precisa parar para aproveitar uma refeição e se permitir a sobremesa. Comer uma chocolate. Mas aproveitar! Aproveitar é diferente de comer um chocolate. Significa escolher o chocolate (não pode ser qualquer chocolate) e colocar na boca, fechar os olhos, perceber o chocolate derretendo e ocupando toda a sua boca inundando todas as suas papilas gustativas com prazer imediato. Estou falando de comer com prazer, sem culpa e sem pressa. Aproveitando o melhor, sempre.

E os cheiros? Você precisa descobrir os que te fazem bem. Os que te fazem feliz. Preencha sua vida com cheiros. Perfume a sua casa, sua cama, perfume você. Perceber os cheiros são dádivas que nos dão de presente bem estar e alegria instantâneos.

Tome um banho demorado, de vez em quando, sem culpa. Nem que você precise colocar na agenda da família esse seu momento e também compensar posteriormente o gasto com água.

Use aqueles cosméticos especiais, guardados para momentos especiais (aqueles momentos que nunca chegam por falta de tempo e excesso de desculpas). Use aquelas velas aromáticas compradas há tanto tempo, os hidratantes e sabonetes especiais. Experimente produtos de cosméticos de aromaterapia para resolver problemas de stress ou insônia. Respire fundo, como pedem os rótulos desses produtos. Sinta o cheiro entrando pelo seu nariz. Aproveite. Hidrate cada pedaço do seu corpo e do seu cabelo. Os cosméticos tem data de validade, mesmo os mais caros ou comprados em viagens que você talvez não faça mais. Não tenha pena de usá-los. Use-os enquanto ainda estão bons para serem usados.

De vez em quando, pelo menos de vez em quando, não tenha pressa. Cuide de você até sentir que sua alma foi cuidada.

Estreie logo suas roupas novas, seja em uma ocasião especial ou apenas para se sentir confiante no trabalho ou em um encontro de amor. Não economize suas roupas novas, porque elas ficarão velhas ou sairão de moda. Aproveite tudo o que puder de suas roupas novas. Outras roupas novas virão, por mais que você ame essa que vive economizando por medo de que fique velha.

Compre roupas novas. Cuide da sua aparência. Você é o seu maior tesouro. A imagem que você reflete no mundo é no final a forma como as pessoas te veem. Encontre sua melhor versão e assuma um novo estilo se sentir confortável com ele. Não tente ser mais ninguém além de você, por mais tentador e simples que as revistas e blogueiras de moda e beleza façam parecer.

Compre flores para a sua casa. Isso não é supérfluo, mas uma indulgencia para encher seus olhos de beleza quando estiver indo para a cozinha. Para te fazer se sentir bem na sua casa.

Se presenteie com momentos de ócio, aqueles para não fazer nada. Mas sem culpa! Use esses momentos para se conectar com você mesmo, descansar a cabeça, o corpo e alma. Sinta a energia em volta, contemple paisagens que façam bem para o seu coração e trazem aquela felicidade que não dá nem para explicar. Sinta! Converse com Deus, ou com a energia que o universo te apresentar.

Se presenteie com momentos com seus filhos, brinque com eles, arranque gargalhadas deles, porque eles estão crescendo bem debaixo dos seus olhos e você não está percebendo. Acredite que por essas gargalhadas, todo o resto pode esperar.

Ande mais devagar e preste mais atenção no caminho. Isso vale para o dia e para a vida. Aproveite o seu caminho.

Faça pactos com você mesmo e os cumpra! Se permita concessões e estipule as compensações. Esse é o melhor caminho para começar a viver a vida com mais prazer e menos culpa. Quando conseguir se permitir mais, aquela equação de prazer e responsabilidade, antes tão injusta, começará a fazer mais sentido.

A vida não vai mudar, o mundo não vai mudar. O stress, os problemas, a pressa, a dificuldade de estabelecer suas prioridades, a falta de tempo para fazer tudo, fazem parte da vida e isso não vai mudar. Para a equação começar a ser mais positiva, quem tem que mudar é você e sua forma de se valorizar, olhar para o essencial, se permitir sentir prazer e perceber e aproveitar mais a vida, que é muito preciosa, e vai se tornando ainda mais preciosa quando passamos a aprecia-la. Portanto, no final não se trata de viver, mas de apreciar a vida.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *