Por que dizemos eu te amo?

No inicio de um relacionamento, onde as pessoas estão se conhecendo e criando vínculos, se inicia a construção de um sentimento que tem um poder transformador. O poder de transformar as pessoas, suas vidas e as suas relações. O poder de nos fazer enxergar o óbvio, que sempre esteve ali, de nos fazer entender o valor de nossas entregas diárias, o poder de ensinar a estabelecer nossas prioridades. O amor tem o poder de nos mostrar uma capacidade de sorrir e chorar sem motivo. O amor tem o imenso poder de nos fazer apaixonados e principalmente, nos dá a oportunidade de nos apaixonarmos varias vezes, pelas mesmas pessoas, pelas mesmas coisas, pelos mesmos lugares, por nós mesmos. O amor é um sentimento que nos fortalece e que nos ensina. É um sentimento que nos faz crescer e que nos motiva a sermos cada vez melhores.

Para que o amor aconteça é necessário vínculo, cuidado, atenção e compatibilidade.

Quando nasce um bebe, nasce um amor que é imenso e ainda assim, só aumenta com o tempo. O amor por um filho mostra que não existem limites para o amor. E a cada filho que nasce, nasce um novo amor, diferente na forma, mas igual na proporção. Já nasce gigante e também só aumenta com o tempo. Um filho nos presenteia com o maior amor do mundo. Aquele incondicional, onde não importa nada, nem a gente mesmo, em relação à necessidade do outro. Um amor que te reconhece diariamente e te devolve amor na mesma proporção fazendo com que você se sinta a pessoa mais amada do mundo.

image

Quando nasce um casal, nasce um amor surreal, que dá vontade de gritar para todo mundo ouvir. Um amor que faz sorrir sem motivo, em um momento qualquer do dia. Um amor que te faz querer ser melhor, que te faz querer conquistar e ser conquistado, de novo e mais uma vez e cada vez mais. Um amor que faz você cair e que faz você voar. Um amor que parece que acaba de repente, por causa de um contratempo, e que renasce de novo sem qualquer explicação. Um amor que te faz enxergar beleza em tudo. Um amor que faz você se apaixonar por si mesmo. Um amor que faz o coração disparar, que muda sua forma de sentir com o passar do tempo. Um amor que às vezes te desafia e em outras te conforta. Um amor que te dá forças para viver a vida com seus lados doces e amargos. Um amor que faz termos a certeza de que nunca mais estaremos sozinhos. Um amor que se transforma, acompanhando nossas próprias transformações. Um amor que foca o olhar e a energia naquilo que realmente importa. O amor é difícil de explicar e delicioso de sentir. Li em um livro da Adriana Falcão, que trazia definições para vários sentimentos, a seguinte descrição: “Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado. Não… Amor é um exagero… também não. Um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desapego? Talvez porque não tenha sentido, talvez porque não tenha explicação, esse negócio de amor, ela não conseguiu explicar.” Para mim, é impossível explicar ou medir o amor entre um casal, simplesmente porque ele é de sentir e não de descrever ou explicar.

image

Quando a vida nos abriga a conviver com uma pessoa e essa pessoa compartilha tudo com a gente, ela se torna a pessoa que vive os mesmos traumas, as mesmas perdas, as mesmas alegrias. Que cresce e se transforma junto com a gente. Que compartilha das mais diversas situações. Quando construímos uma relação que faz a gente conhecer o outro mais que ele mesmo e ele a nos conhecer mais do que nós mesmos também. Um conhecer de verdade, a ponto de serem as únicas pessoas no mundo de quem realmente não conseguimos esconder nada. De uma relação de vida e convivência, que vai aos poucos, nos fazendo conhecer um amor único e um querer bem sem fim, nasce o amor entre irmãos, que às vezes parece o contrario de amor, mas que no segundo seguinte se transforma no amor maior do mundo.

image

Quando nos conectamos com nós mesmos nasce o amor próprio, aquele que sentimos por nós mesmos, sem separar defeito de qualidade. Aquele que aceita o que precisa melhorar, que aceita o que não tem conserto, que valoriza o que é bom. Que nos ensina a impor respeito. Um amor que faz a gente buscar o melhor, que faz a gente ser cada vez mais bonita e que permite atitudes que o espelho aprova. Ah como é bom olhar para o espelho e aprovar a imagem, com um sinal positivo com a cabeça ou um sorriso, que no mesmo instante o espelho retribui de volta. Melhor ainda é deitar a cabeça no travesseiro e seus pensamentos te fazerem carinho, recompensando seus esforços e te dando uma tranquila noite de sono.

image

Quando encontramos afinidades e vontade de compartilhar a vida, os segredos, os medos, as vontades, os sonhos, surge um amor doce, que faz nossa vida melhor e mais divertida, que é o amor de amigos. Melhores amigos se conhecem, se amam e se esforçam para compartilhar a vida, mesmo diante dos maiores desafios de tempo e distancia. O amigo de verdade esta presente em nossa vida, mesmo que como uma voz na consciência, independente da distancia ou do tempo. Amor de amigo é o amor que conforta e que nos dá a possibilidade de termos alguém para dividir absolutamente tudo. Geralmente para os amigos mais amados reservamos nosso melhor, fazemos planos, nos dedicamos. Os amigos nos dão a sensação deliciosa de rir de perder o folego e são aqueles que falam as verdades mais doídas e os elogios que mais nos reconhecem ou nos impulsionam. Amor de amigo é divertido e leve, é amor que nos dá certeza que estamos indo pelo caminho certo. O amor entre amigos os faz presentes nas vidas um do outro. Estamos certos de que nossos amigos sempre estarão lá, para o que precisarmos. Amor de amigo nos dá a certeza de que sempre teremos quem nos aconselhar, com quem celebrar, com quem desabafar. Amor de amigo acompanha a gente a vida toda, verdadeiro, disponível, companheiro, independente se está sol ou se está chovendo. Amor de amigo ajuda a gente a enxergar o lado bom da vida, convence a gente a esperar a tempestade passar, a mergulhar de cabeça ou a pular de um avião.

image

Existem muitas formas de amar e poucas coisas na vida são tão boas quanto se sentir amado. Quando penso nas minhas relações de amor, chego a ter um frio na barriga, e sou invadida por uma sensação de felicidade e gratidão pelas relações que construí e pelos encontros que a vida me proporcionou, nas infinitas possibilidades de encontros que tive. Nesse momento, não encontro definição melhor do que a de Rubem Alves, que diz: “Não havíamos marcado hora, não havíamos marcado lugar. E, na infinita possibilidade de lugares, na infinita possibilidade de tempos, nossos tempos e nossos lugares coincidiram. E deu-se o encontro”.

Acho que a gratidão que sentimos pelos encontros que tivemos que nos trouxeram até as pessoas mais importantes de nossas vidas, com as quais construímos nossas relações de amor, nos dá a vontade de declarar o nosso amor. E para mim, aí está a resposta do por que dizemos eu te amo.
Coração

image

 

 

 

3 thoughts on “Por que dizemos eu te amo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *