A vida.

Não é climatizada e tampouco tem sua temperatura definida.

Às vezes é fria, às vezes gelada. Às vezes congela. Como se nunca fosse voltar à sua temperatura normal.

Normal… a vida não tem nada de normal.

Às vezes é quente, em outras ferve. Às vezes queima.

De repente, se descobre que o morno é o ideal.

Às vezes é sol implorando por chuva e em outras, nublado implorando por sol.

A vida é rápida.

Corre, como se estivesse fugindo, sabe-se lá de que.

Anda a passos de tartaruga, como se já não houvesse mais energia para continuar. Parece que vai parar a qualquer momento.

Instável… em um momento parece que vai parar e em outro te atropela.

Às vezes pede por mudança, em outras constância.

A vida tira o fôlego e ensina a importância do respirar.

Passa como um furacão. Rápida, forte e não avisa, devastando tudo ao redor.

A vida não espera. Ela passa.

Não oferece rotas alternativas, cabe a cada um replanejar o caminho.

Não oferece mapas.

Não oferece garantias.

Mas recompensa quem luta.

Presenteia quem segue em frente e que não desiste, apesar de todos obstáculos.

A vida é sempre em frente, não há outro caminho.

Segue de acordo com a passagem do tempo, que leva o que há de mais precioso. A juventude, a infância, as pessoas amadas. Mas recompensa quem merece com sabedoria, beleza, amor que não se explica e felicidade que não cabe no coração.

Nos oferece uma equação de perdas e ganhos que nos faz entender que cada escolha é uma renuncia.

O que é a vida afinal, senão um emaranhado de vidas? As vidas interligadas que dão graça e sentido à nossa própria vida.

A vida pulsa.

A vida transforma lágrimas em sabedoria.

Dúvida em certeza.

Perda em saudade.

Intensidade em paixão.

Relações em amor.

A vida ensina.

Mostra o certo e o errado. O fugaz e o para sempre.

Eterniza o amor e a felicidade.

De alguma maneira faz com que tudo dê certo no final.

No final, sempre apresenta um recomeço.

No final, parece nunca ter final.

A vida ensina que o importante é aproveitar o caminho.

A vida incendeia.

A vida é efêmera, mas tem o poder de eternizar momentos e pessoas, na memória e no coração.

É feita de tentativas, erros, espera, acertos, insistência, amor.

Não é somente feita, mas abastecida pelo amor.

Na vida estamos todos em busca do que amar. Quando encontramos, não queremos mais nada da vida. Só viver.

Por amor a gente segue. Por amor a gente espera. Por amor a gente faz.

Por amor a gente vive.

E no fim, a vida é o próprio caminho, que somos capazes de percorrer sem mapas, bússolas, setas, avisos. Porque tem como único guia o coração.

E por isso, mesmo com tamanha inconstância ou incerteza, sabe exatamente onde ir, mesmo sem estar totalmente certa como chegar.

A vida não espera. Ela passa.

Sabrina Almeida


Eu sou a Sabrina, mãe do Gabriel de 17 anos e do Guilherme e do Rafael de quase 8 meses, mulher do Alessandro. Para me apresentar, vou descrever as coisas que mais me fazem feliz, porque para mim, essa é a principal maneira de conhecer uma pessoa. E felicidade é o principal assunto desse blog. Ver o sorriso dos meus filhos no final do dia é o que mais me faz feliz. Não importa o quão difícil tenha sido o dia, os sorrisos dos meus filhos me fazem entender o que realmente importa e todas as angústias que ocupavam meu coração, de repente se evaporam e perdem completamente a importância. Olhar meu marido cuidando dos meus filhos e sentir que ele me ama com o melhor e o pior de mim, me faz feliz. Acalma meu coração, que antes era cheio de perguntas sobre ter realmente encontrado o amor e a pessoa certa. Ver meu marido amando os nossos filhos me dá a plena certeza de que tudo vai dar certo. De que nunca estarei sozinha. Que terei alguém ao meu lado para dividir o lado bom e o ruim da vida. Amar o que eu faço me faz muito feliz. Desde muito pequena eu sabia o que queria ser quando crescesse. Eu queria fazer coisas bonitas para as pessoas! Hoje eu trabalho todos os dias para fazer coisas bonitas para as pessoas. Ter minha mãe me apoiando no cuidado com os meus filhos me faz feliz. Ela faz as papinhas com a maior dedicação do mundo, dá dicas e conselhos preciosos, ajuda nas tarefas repetitivas e exaustivas do dia a dia. Ela dedica seu tempo mais precioso para mim e para minha família. Ter fé me faz feliz. Enxergar Deus nas coisas que são vivas, ver poesia no dia a dia, me sentir abençoada e protegida. Ter certeza de que tudo tem um propósito. Ter mais para agradecer do que para pedir. Ter muito o que celebrar. Ter a certeza de que tem algo, com uma força inimaginável, cuidando de mim e da minha família, me faz incrivelmente feliz. Tem muitos pequenos prazeres, pequenos luxos, muitos momentos de rir de perder o fôlego, que ajudam a complementar essa sensação de felicidade. Felicidade, que para mim, está nas coisas simples da vida. Ainda bem que descobri cedo, que é simples ser feliz e que para isso é preciso uma boa dose de coragem, de sorte e de dedicação. Quando eu decidi escrever, uma pessoa me perguntou: "quem te garante que as pessoas vão se interessar pelo que você escreve?" E a minha resposta é como vou concluir esse post de apresentação. Vou escrever para tentar ajudar as pessoas a ver diferentes perspectivas, rir no meio de um dia difícil ou enxergar poesia no dia a dia. E se eu conseguir tocar o coração de pelo menos uma única pessoa, já terá valido à pena.


Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *